Cidadeverde.com

Sem acordo após reunião, Serra da Capivara permanece em crise

  • capivara7.jpg Yala Sena
  • capivara6.jpg Yala Sena
  • capivara5.jpg Yala Sena
  • capivara4.jpg Yala Sena
  • capivara2.jpg Yala Sena
  • capivara1.jpg Yala Sena
  • serra12.jpg Yala Sena
  • serra11.jpg Yala Sena
  • serra10.jpg Yala Sena
  • serra9.jpg Yala Sena
  • serra8.jpg Yala Sena
  • serra6.jpg Yala Sena
  • serra5.jpg Yala Sena
  • serra4.jpg Yala Sena
  • serra3.jpg Yala Sena
  • serra2.jpg Yala Sena
  • serra1.jpg Yala Sena

Mesmo após uma sequência de reuniões entre o presidente Nacional do Instituto Chico Mendes, Cláudio Maretti,  e a arqueóloga Niède Guidon, presidente da Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham), não foi fechado o acordo de cooperação que travava o repasse de verbas para a manutenção do Parque Nacional da Serra da Capivara.

A coordenadora Regional do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Luciana Machado, informou que o órgão está impedido de enviar recursos para a Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham). O motivo seria a falta de um termo de cooperação. O documento vigente encerrou ano passado. Segundo ela, o instituto destinou R$ 4 milhões para a fundação no período de 2010 a 2015.

Cláudio Maretti, veio até São Raimundo Nonato para participar de um seminário que discutiu estratégias para os parques Serra da Capivara e Confusões. A ideia era unir forças para melhorar a infraestrutura de acesso e atrair mais turistas, porém segundo Niéde, o instituto não tem dinheiro pois o país está falido.

"Eles não podem resolver porque eles não tem dinheiro. O Brasil está falido. Eles vieram, olharam tudo, mas dinheiro, eles falaram que precisam ver se conseguem através de um fundo, porque do Governo mesmo não virá", declarou Niéde.

Já Luciana  afirma que é certo que o termo de cooperação vai acontecer e acrescenta que nunca existiu a possibilidade de tirar a Fundham dessa cooperação. "Não sei como esse boato surgiu mas aproveitamos essa reunião para definir o termo da parceria", completou a coordenadora.

O Governo do Estado já garantiu a renovação de um convênio de R$ 700 mil para garantir a manutenção do parque e pagar as despesas necessárias no local, mas para Niéde, esse dinheiro só ajudará por alguns meses, e o local precisaria de um repasse mensal.  "vai ajudar por uns meses mas não resolve o problema do orçamento. É preciso ter um orçamento fixo para a manutenção do parque", completou.

A proposta da arqueóloga é que o Governo Federal defina um orçamento fixo para o parque da Serra da Capivara já que o convênio não resolve o problema a longo prazo.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com