Cidadeverde.com

Operação flagra grupo de caçadores e apreende armas e animais mortos

  • 132986d6-6f0d-4d81-9814-63e64ebbfa38.jpg Polícia Militar
  • 28756104-fe26-41ff-b9ed-b9e9903a25de.jpg Polícia Militar
  • 9332cc23-4a76-45aa-94f8-6c1b3b86b32b.jpg Polícia Militar
  • 533d5246-1dba-4abe-aca6-45c976ed8496.jpg Polícia Militar
  • c90cd680-f9b5-42a0-8646-ed07e5adcc0f.jpg Polícia Militar
  • 804be07e-0f4c-42f7-9b91-d66b4d00a786.jpg Polícia Militar
  • be3b4a20-afb6-49a8-a162-fd62d5330ac8.jpg Polícia Militar
  • 7348ef57-824c-4390-9377-e02e667cfed9.jpg Polícia Militar
  • 629fc2a0-7810-4fbc-a99b-03c59dcdab8e.jpg Polícia Militar
  • 60083924-ac7b-4f70-8277-003dc0d71f95.jpg Polícia Militar

Uma operação da Polícia Militar flagrou cerca de 17 caçadores com armas e animais silvestres abatidos e outros vivos dentro do Parque Nacional da Serra da Capivara. De acordo com o tenente Ivanaldo Santos, comandante do 11º Batalhão da PM os animais estavam amarrados e eram levados para a venda tanto no Piauí quanto em outros estados.

O flagrante ocorreu no município de Tamboril onde fica parte da área do parque e todos os caçadores foram autuados e multados pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade.

"Eram vários tatus, jacu, cutia, caititu e outras espécies que estavam presos dentro de cestas e todos amarrados. Alguns já abatidos e outros ainda vivos.  Eles foram levados para o ICM Bio onde foram autuados e foio estabelecida uma multa, todo o armamento foi apreendido e eles foram liberados. Somente um que possuía um revólver de calibre 38 foi autuado na delegacia de Canto do Buriti", explicou o policial.

Foram apreendidos no local 15 espingardas e outras armas chamadas por eles de "tatuzeiras. O homem levado para a delegacia de Canto do Buriti foi autuado por crime ambiental e está a disposição da Justiça. Vasto material de caça incluindo munição e armadilha foi apreendido pelo ICM Bio.

Um fato curioso é que uma tatu fêmea capturada estava prenhe e acabou tendo seus filhotes dentro do cesto com a ajuda dos policiais que a desamarraram.  

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com