Cidadeverde.com

"Ofendeu não só minha filha, mas uma raça", diz mãe que denunciou racismo

A mãe que denunciou crime de racismo contra sua filha de dois meses de idade disse ao Cidadeverde.com que a prisão da dentista - suspeita de ataques discriminatórios - é um sinal de que a "justiça será feita". 

Na manhã desta terça-feira (16), a dentista Delzuite Ribeiro de Macedo, 31 anos, foi presa após denúncia de racismo contra uma bebê de dois meses. Ela fez postagem ofensiva contra a mãe e a criança em rede social.  Na Delegacia de São Raimundo Nonato existem sete denuncias de racismo contra a dentista. 

Na postagem, ela afirma: "Já vi que você saiu da senzala, porém a senzala ainda não saiu de você". E ainda: "Não me interesso por gente que nunca chegará ao meu tom de pele". Sobre os ataques a criança, ela diz que o bebê é "feio" e não é "lindo e branco" como o seu filho.

"Quando li aquela mensagem fiquei revoltada, chorei. Ela ofendeu não só minha filha, mas uma raça. Como uma pessoa chama uma criança de dois meses de vida de feia. Só uma pessoa amarga e mal caráter", disse Thaiane Ribeiro Neves, de 30 anos, mãe do bebê que acionou a Polícia Civil contra o crime de racismo. 

Thaiane com marido e filha

 Ela disse que recebeu com tranquilidade a informação da prisão da dentista e espera que as outras denúncias sejam agilizadas. 

"Esse tipo de atitude não pode passar impune. Passei minha gestão toda aguentando ofensas, mas quando ela atacou minha filha vi que ela passou dos limites. Eu não sei de onde veio esse ódio tão grande contra mim".

Thaiane Neves, que também é dentista, disse que cobrou uma posição do CRO (Conselho Regional de Odontologia) que ficou omisso, diante das graves denúncias contra a Delzuite Ribeiro de Macedo. 

"Deveria ter dado pelo menos uma advertência, pois ela atingiu todos os negros", disse. 

Segundo Thaiane foi um ano e meio de desassossego e que evitava até sair de casa.

"Espero que ela saia com outra cabeça, que tenha paz, não consigo entender porque tanta raiva e ofensa". 

Momento em que a dentista foi presa; foto: Polícia Civil

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com