Cidadeverde.com

Pai é preso acusado de estuprar o próprio filho de cinco anos em Corrente

Um homem identificado pela Polícia apenas como Alan foi preso em flagrante acusado de estuprar o próprio filho de apenas cinco anos em Corrente, município a 874 km de Teresina. De acordo com o delegado Moisés Aragão, a Polícia chegou até Alan após denúncia da mãe do menino que desconfiava do comportamento do garoto.

"Ela relatou que há mais de 15 dias estava desconfiando do comportamento da criança. Segundo ela o menino estava arredio pedia socorro e chorava para não ficar em casa", relatou o delegado.

Junto com a denúncia, a mulher apresentou um vídeo feito por ela, onde durante uma conversa o garoto conta as posições que seu pai o obrigava a fazer durante os abusos sexuais. O menino foi submetido a exame de corpo de delito e um inquérito foi aberto para investigar o abuso.

Segundo o delegado, não houve conjunção carnal, mas um calção do garoto sujo de sêmen foi apresentado como prova dos abusos e levado até delegacia. Preso, Alan negou todos os abusos , mas até seu advogado abandonou o caso, ao saber que se tratava de um abuso contra o próprio filho.

"Ele negou tudo, não quis assinar o depoimento e esse é um direito que assiste ele, mas o advogado que contrataram quando soube dos fatos não aceitou nem a causa", relatou o delegado.

Estupro de deficiente

Este é o segundo caso de estupro registrado em menos de um mês no município. Segundo o delegado, há cerca de 15 dias uma deficiente física que possui os membros superiores e inferiores atrofiados foi estuprada também no município.

"A irmã dessa deficiente nos acionou após ela ser estuprada por um rapaz que levou ela para a cozinha, arrancou o short e rasgou toda a roupa dela. Por sorte ela conseguiu quebrar um copo nele e cortar ele", acrescentou o delegado.

O policial relata ainda que familiares do homem chegaram a procurar a própria vítima. "Ele tentaram comprar o silêncio dela, mas ele já está preso e a Justiça já foi comunicada. Ele deve ir para o presídio logo", concluiu.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com