Cidadeverde.com
Diversidade

Sarau Cinestético: Literatura escrita por LGBTQs

Estão [email protected] [email protected] a se deliciar hoje com "Sarau Cinestético" a partir das 19h com transmissão via instagram (@sinesteticas). O Cardápio será variado: cada participante poderá ler poema de sua autoria e texto produzido por [email protected] LGBTQS da História da Literatura. 

E deixamos aqui algumas doses poéticas e musicais  escritas por talentos LGBTIQ+: 

 

Bárbara, Bárbara

Nunca é tarde, nunca é demais

Onde estou? Onde estás?

Meu amor, vem me buscar – Angela Ro Rô

 

Eu comi com você e dormi com você – seu corpo se tornou não apenas seu, nem deixou o meu corpo somente meu,

Você me deu o prazer de seus olhos, rosto, carne, enquanto passamos – você tomou de minha barba, peito, mãos, em retorno,

Eu não devo falar com você – devo pensar em você quando sentar-me sozinho, ou acordar sozinho à noite,

Eu devo esperar – não duvido que lhe reencontrarei,

Eu devo garantir que não irei lhe perder. – Walt Whitman

 

Cai a lua, caem as plêiades e

É meia-noite, o tempo passa e

Eu só, aqui deitada, desejante.  – Safo de Lesbos

 

Eu era um enigma, uma interrogação

Eu tava rezando ali completamente

Um crente, uma lente, era uma visão

Totalmente terceiro sexo

Totalmente terceiro mundo terceiro milênio

Carne nua, nua, nua, nua, nua, nua

Tava perguntado:

Eu sou Neguinha  - Caetano Veloso

 

“Eu amo de formas diversas e afins

Porém o desejo não toma conta de mim

Amo de uma forma única e infinita

Que faz com que de forma plena me sinta!

(Fonte:http://castelodeebano.blogspot.com/2012/10/um-poema-sobre-bissexualidade.html)

 

Corpo com gosto a erva rasa

De secreto jardim,

Corpo onde entro em casa,

Corpo onde me deito

Para sugar o silêncio

Ouvir

O rumor das espigas,

Respirar

A doçura escuríssima das silvas. – Eugenio Andrade