Cidadeverde.com
Diversidade

Um Chamado Ecumênico e carinhoso para Defesa da Vida

Carta aberta para a vida,

Um chamado ecumênico e carinhoso para a defesa da vida

 

Otacílio Batista Netto

Emídio Matos

 

Carta aberta para a vida,

Um chamamento a responsabilidade cidadã

A minha, a sua, a individual de cada um,

A coletiva, a de todos os uns

A responsabilidade de hoje a noite

E a de amanhã de manhã, a nossa de todos os dias

Convidamos a todas as autoridades

A todos os poderes constituídos

A todas as universidades, a UFPI, a UESPI, o IFPI, a Embrapa, as particulares, seus mestres, doutores, pós-doutores

Convidamos nossos colégios, o Colégio das Irmãs, o Dom Barreto, o Diocesano, o Liceu, todos

Convidamos o mercado velho, nosssos mercados municipais,

Convidamos nossas praças, o calçadão, nossas comidas típicas

Todas as cidades do interior que aqui chegaram e chegam

Convidamos todo o povo negro e indígena,

Esperança Garcia, Mandu Ladino

Convidamos o povo do Piauí

De quem emana o poder mais legítimo, e ainda assim, mais invisível

Convidamos nossos homens e mulheres, nossos mestres

Amadeus, Tonis, Gabrieis, os cordeis dos violeiros de Teresina, os santeiros

Pedimos a benção das águas dos nossos rios Parnaíba e Poti, que se encontram aqui e não nos deixam mentir

Convidamos o mano crispim, o cabeça de cuia, num se pode,

Convidamos com máximo respeito Nossa Senhora das Dores, São Benedito, Frei Serafim, Dom Severino, Dom Avelar Brandão Vilela, o Motorista Gregório,

Convidamos os evangélicos e todos os povos de terreiros, Erês, Cosmo e Damião, pretos velhos, sacis, da Santa Maria da Codipi ao Angelim

Convidamos todos os espíritas, agnósticos, ateus

Convidamos a poesia de Torquatos, os Paulos Machados, Hgdobais, Cineas, Validuatés, Danilos, Claras, Moisés, Eevestrés, Thiagos és

Reverenciamos Abraães, Cornélios, Raimundos, o suco, o pão, o canto lírico

Convidamos os que creem na força da vida

Convidamos todos os que nasceram aqui, e os que aqui, depois chegaram

Edificaram suas vidas, seus amores, suas dores, gostando ou não de cajuína

Convidamos todos os bairros, dos vales do gavião, do avião, do vale quem tem, a quem nada tem,

Somos muitos, do povo dos palácios aos que tem como lastro, as ruas

Convidamos Amarilis, Joaquins, Amparos, Lianas, Dadás, Tatianas, Jaciras (nossa guerreira que partiu ontem-hoje)

Honremos nossos teresinenses, grandes e pequenos,

O pequeno Pedro Malta Ramos, filho de nossa colega Denise,

O grande José Ivaldo e suas lutas por tantas vidas no SAMU

Convidamos as minas e os manos

Cada vida vale

Cada vale tem muitas vidas

Na Chapada do Corisco

Onde o som e a luz é trovão e relâmpago

Toda vida é para ser bem vivida

Carta aberta a vida

Por alguns dias, os próximos dias durante esta pandemia

Onde ainda não temos a quantidade de vacina que precisamos

Os hospitais e seus trabalhadores, por mais que lutem e lutam muito,

Tem limites claros e estes limites já chegaram

Não temos muitas margens de atitudes a serem tomadas

Resssignifiquemos a luta

O que precisa ser feito nas UBSs e nas UPAs

Por algum tempo restrinjamos a nossa cidade ao que for estritamente essencial

Deixemos apenas, comida, remédio, transporte e saúde

E um pouquinho mais do que não pode faltar

Defendamos a vida, cuidemos de todas as vidas

Não paremos por parar

Não abandonemos o que não pode ser abandonado

Sejamos coletivamente responsáveis

Existamos no coletivo

Que a fome seja cuidada

Que o auxílio esteja onde for preciso

Se a ciência vale, para de algum modo melhorar nossas vidas

Se a ciência vale, para dar de algum modo mais e melhores explicações

Se a ciência pode ser cúmplice da vida

Que não se cale, pede humilde: para Teresina

Para tu

Para ele

Paremos nós, parai vós,

Parem todos

Paremos todos por um tanto de dias

E não descansemos enquanto precisarmos levar ar, remédio, comida, alento

Para todos os que precisam.