Cidadeverde.com
Diversidade

Matizes em Ação: retrospectiva 2015

Em 2015, o Matizes se movimentou juntamente com outros movimento sociais  em prol dos Direitos Humanos dos LGBTs e de outras pessoas marginalizadas. Lacrou geral.  Com  humor, criatividade e  energia impulsionadora para sacudir a mesmice das ‘verdades’ prontas, o grupo ocupou praças, avenidas, ruas, universidades, faculdades e demais espaços da cidade para irradiar mais respeito e justiça para tod@s. Um colar de beijgos para o preconceito e a discriminação.

E o burburinho já começou em janeiro quando teve início o processo de escolha para  eleger  nova  mesa diretora da Assembleia Legislativa.  Matizes e outras organizações da sociedade civil se mobilizaram e lançaram  carta aberta à sociedade piauiense destacando a importância de se  ter uma casa legislativa comprometida com  princípios da transparência e maior participação social.

A ação  dos movimentos sociais por um legislativo mais democrático quiseram ressaltar que o parlamento não pode ser regido somente pela ‘a força da grana que ergue e destrói coisas belas’. Neste sentido, as entidades  sugeriram medidas para um legislativo mais eficiente e democrático: otimizar recursos públicos e favorecer transparência nas despesas com pessoal, custeio e aquisição de bens e serviços; garantir participação social nas proposições de leis; promover concurso público para preencher cargos da instituição; democratizar as formas de participação e produção de conteúdos da Rádio e TV Assembleia; Democratizar a escola legislativa com cursos mais acessíveis para pessoas de baixa renda.

Babado fortíssimo também foi a participação do Matizes, em março, no Seminário Estadual de Direitos Humanos promovido pela Caritas/PI. Durante o evento, foram debatidos temas como Educação em Direitos Humanos, Infância, Adolescência e DH, população lgbt e DH, Gênero e Violência contra Mulher, Diversidade Religiosa e DH. A ação da Caritas foi um arraaaaaaaso!

E o Matizes, mais uma vez, razô na sua atuação   junto ao poder público. Com a cara e a coragem que lhe é próprio, o grupo se jogou para   pautar, em março, propostas para o poder público. Através de documento encaminhado à Secretaria de Justiça, o grupo  solicitou: observância de parâmetros de acolhimento de LGBT em privação de liberdade; construção de espaços ecumênicos para prática religiosa no sistema prisional; criação de berçários e creches nas dependências da unidades prisionais femininas.

E quem não se comunica se trumbica, como lembra o velho guerreiro. Então, as matizianas   ecoaram pela  cidade   o 1º Encontro Teresinense de Lésbicas e Bissexuais com o tema ‘’Família: novos arranjos”. Entre as temáticas do evento  estavam: homoafetividade e família; Educação para Diversidade e Interações femininas no Espaço Urbano Teresinense.  Sem vez e voz não se constrói um mundo de múltiplos desejos e afetos.

Em maio de 2015  a ferveção  foi na praça João Luiz Ferreira para lembrar o Dia Mundial de luta contra a LGBTfobia. Arte, cultura  e criatividade deram o tom para protestar contra os descasos do poder público em relação aos lgbts. A atividade também reforçou a necessidade de estar na rua dialogando com a sociedade para superar discursos racistas, sexistas e homolesbotransfóbicos.

O Matizes pautou também, em junho, ações em favor da população LGBT. O grupo entregou ao governo estadual documento sugerindo: Criação de Estrutura para cuidar dos Direitos Humanos no Estado; Efetivação do Conselho Estadual da população LGBT; Implentação do Plano Estadual LGBT com orçamento especificado; Fortalecimento e ampliação do Centro de Referência LGBT Raimundo Pereira.

O mês de julho  foi babado. O grupo fez  a interlocução com a governadora   do PI  e lançou proposições em favor dos Direitos Humanos. Entre as propostas estavam: transformar o Núcleo Policial Investigativo do Crime de Feminicídio em Delegacia Especializada; Criar a Secretaria da Igualdade de Gênero; Agilizar a construção da Casa da Mulher Brasileira; Fortalecer o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher.

Em agosto,  o arco-iris banhou a cidade de Teresina com a 11ª Semana do Orgulho de Ser e 14ª Parada da Diversidade. Uma fechação geral: performances, shows, solenidade de casamento, cinema, lançamento de livros, debates, oficinas. A participação de Vanessa da Mata no Show da Diversidade  foi um luuuuuuuuuuuuxo só!

E  como “a gente quer a vida como a vida quer”, o Matizes dialogou com o mundo acadêmico para refletir sobre a promoção do respeito aos direitos homoafetivos. Em novembro a entidade participou da Semana Cientifica da FACID. Debateu também sobre homolesbrotransfobia com estudantes de Direito da Faculdade Camilo Filho.

Importante ação ocorreu em dezembro através de parceria com NUPEC(UFPI). O evento tinha como tema: Gênero e Diversidade: um debate necessário. A atividade era  comemoração ao Dia Internacional dos Direitos Humanos.

E em 2016, Prepara, Que agora é a hora do Show das Empoderad@s.

 

Por Herbert Medeiros