Cidadeverde.com
Diversidade

Aula Pública na UFPI: Vamos conversar sobre Gênero

A escritora, pensadora e ativista feminista Simone de Beauvoir declarou “Ninguém nasce mulher, torna-se mulher”. O cantor e compositor Pepeu Gomes poetizou “Ser um homem feminino, não fere o meu lado masculino”. Neste contexto, o Núcleo de Estudos e Pesquisas ‘Educação, Gênero e Cidadania’(NEPEGECI), da UFPI, promoverá dia 05/05, às 14h, aula pública “Vamos conversar sobre gênero?”. A atividade educativa será um momento para refletir sobre gênero e diversidade sexual a partir de aspectos sociais, históricos,  políticos e culturais.  O evento ocorrerá no Auditório do Centro de Ciências Humanas e Letras (CCHL).

A ação visa debater de forma crítica sobre as inconsistências, reducionimos, preconceitos e desinformação expressa no conteúdo do Projeto de Lei nº 20/2016, aprovado na Câmara Municipal de Teresina. O projeto veda o debate e ações educativas referentes às questões de gênero nas escolas públicas municipais da capital.

Organizações da sociedade civil, universidade, faculdades, instâncias do poder público, conselhos de direitos estão desde março se mobilizando e promovendo documentos, aulas públicas, manifestações em espaços públicos e interlocuções com a sociedade para mostrar os riscos e perigos de um projeto que viola direitos humanos básicos, amordaça políticas públicas de inclusão de grupos sociais vulneráveis além de contrariar princípios e preceitos constitucionais e da Lei de Diretrizes de Base da Educação Nacional.

Os grupos organizados também já estabeleceram diálogo com o Prefeito Municipal de Teresina e apresentaram os argumentos legais, científicos e sociopolíticos sobre a ilegalidade do PL. As organizações solicitam o veto do poder executivo.

A aula pública organizada pelo NEPEGECI tem apoio do Kátias Coletivas, Observatório de Juventudes e Violências na Escola(OBJUVE), Núcleo de Estudos em Gênero e Desenvolvimento (ENGENDRE), grupo de Estudos SexGen (Sexualidade, Corpo e Gênero) e Comissão da Diversidade Sexual da OAB/PI.

Por Herbert Medeiros