Cidadeverde.com
Diversidade

Literatura e Diversidade Sexual em cena: Letras tem Cores

  • Oficina_Marleide_9.jpg Marleide Lins
  • OFICINA_MARLEIDE_8.jpg Marleide Lins
  • OFICINA_MARLEIDE_7.jpg Marleide Lins
  • OFICINA_MARLEIDE_6.jpg Marleide Lins
  • OFICINA_MARLEIDE_5.jpg Marleide Lins
  • OFICINA_MARLEIDE_4.jpg Marleide Lins
  • OFICINA_MARLEIDE_3.jpg Marleide Lins
  • OFICINA_MARLEIDE_2.jpg Marleide Lins
  • OFICINA_MARLEIDE_1.jpg Marleide Lins

As palavras ganharam formas e coloridos  na oficina “Letras tem Cor: laboratório de minicontos”, idealizado e facilitado   pela poeta, escritora e artista gráfica Marleide Lins.  “Cores fora das gavetas/dos armário/do ranço amorfo/que há entre a essência naftalínica/e o morfo”. Com esses versos provocativos,  o espírito dionisíaco da  arte literária adentrou corpo e alma dos participantes para exalar novos olhares sobre a Diversidade.  A ação foi realização do Matizes e apoio do BrazilFoundation e Theatro 4 de Setembro.

Como estratégias de interação entre os integrantes,  a facilitadora solicitou aos envolvid@s a  realização de entrevista entre pares.  O resultado dos relatos trazidos pelos entrevistad@s subsidiou a cada um/a a produção narrativa de contos nos moldes tradicionais. Através de uma dinâmica imersiva,  os integrantes   teciam análises e reflexões sobre as nuances da prosa literária.

Minicontos e microcontos ocuparam ainda  a cena narrativa para instigar  as percepções e sensações do público-protagonista. A partir das estratégias de envolvimento, participantes deram asas ao imaginário poético e produziram ‘escrevivências’ recheadas de cores, odores e expressões identitárias lgbti+.

Marleide Lins destaca que uma das indagações  levantadas durante as ações  era pensar o quanto @s leitor@s  sentiam processos identitários com a produção literária trazida como ilustração para a oficina.  De acordo com a ministrante, a ausência   identificação afetiva   com os textos foi fator motivador para fomentar entre @s participantes a necessidade de ampliar a produção literária sensível com a múltiplas expressões da Diversidade Sexual.

A atividade integra uma das fases  de produção do livro “Letras das Diversidades” tematizando a História de lutas e conquistas realizada pelo Grupo Matizes ao longo de sua existências. A obra também será composta por ensaios produzidos por pesquisador@s e docentes bem como uma coletânea textual de  homoliteratura. O lançamento acontecerá no dia 29/08 durante a programação da 15ª Semana do Orgulho de Ser.  

Entre as ‘escrevivências’ gestadas no processo de criação literárias destaca-se:

  • Entre nós, elas desataram o preconceito (Viviane Carvalho)

 

  • Não encontrou o pote de ouro no fim do arco-iris. Empalideceu e se trancou no verbo. (Lucila Martins)

 

  • Lições da escola: a violência insiste em fazer sangrar (Socorro Barroso)

 

Por Herbert Medeiros