Cidadeverde.com

Paciente de hospital é preso suspeito de planejar morte de rival em show de Xand Avião e Nattan

A Polícia Civil do Piauí tem avançado na investigação do tiroteio durante show dos cantores Xand Avião e Nattanzinho, em Floriano, no interior do Piauí. Um dos principais suspeitos do atentado foi preso nesta terça-feira (15), em cumprimento a mandado de prisão temporária. Identificado apenas pelas iniciais, R.S.S teria planejado a morte de um rival durante a festa. Segundo o delegado Roni Silveira, ele é um dos nove feridos durante a troca de tiros e o mesmo que foi flagrado tentando fugir seminu do hospital.

Cantor Nattanzinho ao chão. O tiroteio ocorreu antes dele entrar no palco

O atentado deixou nove feridos e um morto no último sábado (12). Até o momento, a investigação indica que R.S.S foi ao show para matar o rival identificado como Eliton Lira,30 anos. A discussão teria iniciado próximo ao banheiro durante o evento. Na sequência, os dois trocaram tiros. Eliton Lira foi morto após ser baleado por um policial militar de folga que teria agido em legítima defesa própria e de terceiros para cessar os tiros. O delegado Roni Silveira avalia que a tragédia teria sido muito maior, com mais inocentes feridos ou mortos, se o PM não tivesse interferido. 

"Ele teria planejado a morte daquele que morreu em decorrência do disparo efetuado pelo PM para cessar o tiroteio. O que apuramos até aqui é que o R.S.S foi ao show com o plano de matar o rival [Eliton]. Só que na hora de botar em prática a empreitada, o rival revidou efetuando vários disparos contra o R.S.S e em sentidos diversos, o que provocou a reação do PM que, vendo aquilo, neutralizou o Eliton para que mais pessoas não fossem atingidas e acontecesse uma desgraça maior. O preso de hoje teria ido lá para matar o rival no show. Agora nós entendemos o porquê ele tentou fugir do hospital", explica o delegado.

A motivação do atentado ainda está sendo apurada. Roni Silveira diz que o crime tem características de premeditação e  pontua que a investigação é muito complexa e extensa.

Em depoimento, R.S.S negou o plano para matar o rival e se colocou na condição de vítima. "Ele diz que foi ao banheiro e foi surpreendido pelo Eliton e outro que foram lá para matá-lo. Ele troca de posição, se coloca na posição de vítima", reitera o delegado. 

As vítimas internadas ainda não foram ouvidas, bem como os organizadores do evento. A Polícia Civil diz que há indicíos de falha na organização da festa, uma vez que pessoas entraram armadas no show. 

"Estamos respeitando as vítimas, esse momento traumático. Como já identificamos um possível autor e o atirador foi neutralizado, nas próximas diligências vamos nos debruçar também para ouvir o depoimento das vítimas, dos baleados. Já avançamos bastante na investigação, descobrimos a existência desse plano de usar o evento para praticar o crime, mas ainda temos muito para descobrir", destaca o delegado que também é titular do 1º Distrito Policial, em Floriano.

Com o morto, os policiais apreenderam uma pistola ainda no coldre e um revólver calibre 32 já descarregado. No cenário do crime foi apreendido também um revólver calibre 38. 

Caso confirmado a autoria do crime, R.S.S pode responder por um homicídio e oito tentativas de homicídios. 

 

 


Graciane Araújo
[email protected]