Cidadeverde.com

Instituto registra 4 tartarugas mortas nas praias do PI; exames serão realizados

Foto: Instituto Tartarugas do Delta / arquivo

 

Dez animais morreram nas praias piauienses neste mês de novembro, mas a relação com a presença de óleo nas águas não está comprovada. De acordo com a bióloga Werlanne Magalhães, vice-presidente do Instituto Tartarugas do Delta, os animais não apresentavam sinais aparentes de intoxicação.

"Nas demais praias do Nordeste, vemos os animais completamente imersos, manchados de óleo. Esse não é nosso caso. Tivemos dez animais mortos em novembro, mas sempre temos um número acentuado de mortes porque as tartarugas comuns daqui são costeiras e ficam expostas à ação humana, se chocam com embarcações, sofrem pesca predatória ou engolem lixo das piscinas naturais das praias. Não há como dizer ainda se algum desses animais teve contato com o óleo o suficiente para causar a morte. Eu acho que esse não foi o caso", disse a bióloga ao Cidadeverde.com.

Werlanne informou que alguns dos animais mortos estão congelados e serão realizadas análises nesta semana. Quatro dos animais foram encontrados nos dois últimos dias, quinta e sexta-feira, quando as manchas das praias ficaram aparentes.

Circula nas redes sociais a imagem de uma tartaruga morta e com uma pequena mancha de óleo na parte inferior. A bióloga explica, entretanto, que para causar a morte, o animal teria que ter engolido ou aspirado o óleo, ou ter estado submerso, como aconteceu em outros locais.

"Pode ser que o animal já estivesse à deriva e passou pelo óleo. Não dá para dizer que foi isso que causou a morte. Dizemos que pode ser causa quando vemos manchas nas narinas, na boca ou na calda, porque indica que pode ter saído nas fezes, ou se encontramos o animal tão manchado que parece que ele mergulhou em uma piscina de óleo. Isso não ocorreu aqui", explica.

As quatro tartarugas mortas nesses últimos dias foram encontradas na Praia de Atalaia (2), Cajueiro da Praia (1) e Pedra do Sal (1).

Jordana Cury
[email protected]