Cidadeverde.com

Companhia lidera ranking de relacionamento com startups

A 100 Open Startups, plataforma de open innovation, acaba de anunciar as corporações líderes em open innovation com startups no Brasil, as TOP Open Corps 2021. Na categoria TOP 5 Imobiliário, a plataforma de soluções habitacionais MRV conquistou a premiação de primeira colocada, se destacando no relacionamento com startups entre mais de 3900 empresas de todo o país. Na sequência, Cyrela, SYN Prop & Tech, Loft e Quinto Andar também foram reconhecidas como promotoras de novos negócios com startups. Juntas, as companhias representam 51% dos relacionamentos com startups identificadas no setor. 

"Inovar para transformar é um dos valores da MRV, e ser reconhecida como uma empresa líder em iniciativas de Open Innovation com startups no Brasil, só reforça o quanto estamos engajados, buscando meios de fomentar a inovação tanto na cultura quanto nos negócios. Procuramos e adotamos as melhores práticas, gerando mais valor para o grupo e para os nossos clientes, e tudo isso só é possível quando nos conectamos com soluções que possuem grande potencial de transformador. Continuaremos contando cada vez mais com as startups para inovar", comemorou o CEO da MRV, Rafael Menin.

A premiação é parte do Ranking 100 Open Startups, que chega à sua sexta edição em 2021, registrando números recordes do ecossistema de inovação. Foram registrados 26.348 relacionamentos de open innovation entre corporações e startups, dobrando o volume de 2020. Corporações com contrato aumentaram de 1.968 para 3.334, um crescimento de 69%. Além disso, das 18.355 startups que fazem parte da plataforma 100 Open Startups, 2.344 fizeram negócios com ao menos uma empresa.

Na categoria Imobiliário, o Ranking identificou 50 corporações que praticam open innovation com startups no Brasil, sendo que oito delas se relacionaram com startups pela primeira vez no último ano. No total, as corporações do setor estabeleceram 193 relacionamentos de negócios com 104 startups no período, um crescimento de 55% em relação à edição 2020. O tipo de contrato mais comum foi a contratação de serviços ou produtos das startups, seguido pela contratação de projetos piloto.
Juntos, os 193 relacionamentos de negócio transacionaram diretamente cerca de R$ 49 milhões (contra R$ 20 milhões no ano anterior). O impacto direto em benefícios para ambos os lados e para o setor como um todo, certamente, é muitas vezes superior a esse número. Em relação aos relacionamentos, a maior parte foi com ConstrucTechs (23%), HRtechs (18%), e RetailTechs (17%), dos relacionamentos registrados no setor.