Cidadeverde.com

Novidades no PIX vão além do SAQUE e TROCO

Entraram em vigor as novas funcões de Saque e Troco no PIX

Vamos entender como funciona. Primeiro com o SAQUE:
Ao chegar em um estabelecimento (credenciado pelo Sistema), o cliente deve comunicar ao caixa que gostaria de fazer um PIX para a loja com intenção de saque. É sempre bom consultar para saber se há dinheiro disponível. O atendente então pegará o mesmo valor do Pix em dinheiro vivo e dará ao cliente.

No caso do Pix TROCO, o cliente faz uma compra e um saque na mesma transação.
Por exemplo: ao pagar por um produto de R$ 50,00, ele faz um Pix em um valor maior, de R$ 30 e retira a diferença (R$ 20) em espécie.

Custo
Pessoas físicas e empresários individuais — incluindo microempreendedores individuais (MEIs) —têm, no pacote de serviços de seus bancos, direito à gratuidade para os quatro primeiros saques do mês. Com o Pix Saque serão oito saques gratuitos, contando com os quatro que já eram previstos. Ou seja, cada pessoa terá direito a oito saques gratuitos por mês, via Pix ou de forma convencional, num caixa eletrônico.

OUTRAS NOVIDADES IMPORTANTES

LIMITE NOTURNO
Foi criado um limite padrão de R$ 1 mil para transações que ocorram das 20h às 6h. Mas o cliente pode optar também pelo horário inicial de 22h para esse limite. A medida vale para Pix, TEDs, transferências entre contas do mesmo banco e cartões de débito. Se desejar, o cliente pode aumentar ou reduzir o valor

TEMPO PARA ALTERAR LIMITE
Bancos e outras instituições financeiras terão prazo mínimo de 24 horas e máximo de 48 horas para efetivar pedido de aumento do limite de transações feito por canal digital. Até então, o prazo para aumento de limite do Pix variava entre uma hora e o dia útil seguinte. A mudança vale também para TED, DOC, boleto, cartão de débito e transferências entre contas do mesmo banco

LIMITES POR HORÁRIO
Os clientes poderão estabelecer limites diferentes, por transação, para os períodos diurno e noturno.

RETENÇÃO
As instituições financeiras poderão reter transações para análise de risco por 30 minutos, durante o dia, ou 60 minutos, durante a noite

BLOQUEIO CAUTELAR
A própria instituição bancária que detém a conta de quem recebe o Pix pode efetuar o bloqueio preventivo do dinheiro por até 72 horas, caso suspeite de fraude. De acordo com o BC, essa opção vai permitir que o banco faça uma análise mais robusta do caso, o que aumenta a chance de recuperação do dinheiro, se o pagador tiver sido vítima de algum crime

DEVOLUÇÃO
O mecanismo poderá ser acionado tanto pelo banco como pelo cliente, caso ele tenha feito uma transferência via Pix e se dê conta em seguida que foi vítima de um golpe. Para usar essa ferramenta, é preciso registrar um boletim de ocorrência e comunicar imediatamente o ocorrido à instituição financeira, por um canal de comunicação oficial, como SAC ou ouvidoria. Uma vez bloqueado o dinheiro, as instituições bancárias terão até sete dias para analisar o caso. O sistema pode ser acionado em caso de falha operacional, mas não em casos em que o usuário digita a chave Pix errada

CONTAS FORA DO LIMITE
As instituições financeiras deverão permitir que os clientes cadastrem previamente contas que poderão receber Pix acima dos limites estabelecidos. O cadastramento só terá efeito depois de 24 horas.

CONTAS SUSPEITAS
Bancos e instituições financeiras passam a ser obrigados a marcar contas com indícios de utilização em fraudes no Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT). As instituições poderão consultar essa base de dados a fim de coibir outros crimes envolvendo uma mesma conta suspeita.

COMPARTILAHEMNTO DE INFORMAÇÕES
Instituições de pagamentos eletrônicos terão de compartilhar informações de transações suspeitas de envolvimento com atividades criminosas para as autoridades de segurança pública

CONTROLE DE FRAUDES
As instituições reguladas pelo BC deverão ter controles adicionais de fraude. O Comitê de Auditoria ou o Conselho de Administração deverão ser avisados, e o BC deverá ter acesso a essas informações

HISTÓRICO
As instituições deverão exigir histórico comportamental e de crédito para que empresas possam antecipar recebíveis no mesmo dia