Cidadeverde.com

Tecnologia torna-se aliada no aprendizado de idiomas em sala de aula

Aprender um novo idioma requer disciplina e subsídios que ajudem a praticar a língua. A tecnologia vem como alternativa para somar o aprendizado em sala de aula seja por meio de aplicativos, tablets, celulares ou objetos inteligentes. Os métodos de aprendizado tradicionais com professores e material didático são indispensáveis para quem está aprendendo um novo idioma. O uso de ferramentas tecnológicas serve como um complemento para fixar os conteúdos ensinados tornando as aulas mais dinâmicas e interativas. 

Um dos métodos de aprendizado por meio da tecnologia são materiais com realidade aumentada, que proporciona aos estudantes interagir com personagens dos livros didáticos. Este recurso, que permite a interação entre objetos virtuais e objetos reais, já está se expandindo rapidamente e sendo adaptado para outros segmentos além do entretenimento, com a educação. Os benefícios são inúmeros, uma vez que, torna o aprendizado em sala de aula mais atraente e empolgante, principalmente para as crianças. 

Para a diretora pedagógica de uma escola de línguas emTeresina, Lina Carvalho, além de estimular o interesse pelo aprendizado de um novo idioma, a realidade aumentada também proporciona maior compreensão e a absorção do conteúdo trabalhado. “O uso da tecnologia auxilia os alunos a praticar o que está sendo aprendido em sala de aula, assim como tirar dúvidas com pronúncias de palavras e expressões.  Nesse material de forma especifica as crianças apontam a câmera do celular para livro e os personagens do livro saltam do livro possibilitando diversas brincadeiras em inglês.”, destacou. 

Outro recurso é a Wiz.pen, uma caneta que faz a pronúncia de palavras, frases, expressões e músicas. O objeto ainda vem com um cabo USB que pode ser utilizado para carregar o dispositivo e atualizá-lo assim que um livro for concluído e o aluno ainda pode conectá-la ao fone de ouvido. “A tecnologia avançada é uma extensão de todo conteúdo de áudio dos livros. Com a caneta o aluno estuda onde estiver e melhora a pronúncia com rapidez”, pontuou Lina Carvalho.

A diretora pedagógica afirma que a intenção é buscar as melhores formas de retenção do aprendizado para manter a qualidade do conhecimento de uma segunda língua e garantir o efeito positivo que as tecnologias aliadas à competência do professor proporcionam aos alunos. “A educação é o maior agente de transformação de uma nação e, assim como o ser humano, ela tem de estar em constante evolução”, finaliza.