Cidadeverde.com
Geral

Saiba quais os filmes brasileiros mais caros dos últimos 20 anos

Imprimir

Nunca antes na história do cinema brasileiro foi tão caro fazer um filme, No período da retomada filmes eram feitos com o chamado BO (Baixo Orçamento, quantias de até R$ 1 milhão). Filmes médios nacionais têm hoje um custo de produção em torno de R$ 5 milhões. Os gastos podem varias pelo tipo de filme. Equipamentos costumam encarecer as produções. A pós-produção também pode encarecer um filme, se este estiver recheado de efeitos visuais e sonoros.

Segundo dados da Ancine, apenas cinco filmes lançados comercialmente entre 1995 a 2013 tiveram um valor de custo superior a R$ 8,6 milhões.

Confira os 10 filmes nacionais mais caros dos últimos 20 anos:

Xingu (2012), filme que conta a história dos Irmãos Villas-Bôas de Cao Hamburger. Foram 9,73 milhões arrecadados.

Foto: Divulgação

Flores raras (2013), filme de Bruno Barreto, protagonizado por Glória Pires e Miranda Otto, vem em segundo lugar, com R$ 9,63 milhões captados. O valor inclui recursos obtidos através dos mecanismos de incentivo federais, de fomento direto e da própria produtora.

Foto: Divulgação

O xangô de Baker Street (2001), filme teve o Teatro Municipal de Niterói entre as suas locações. Baseada no livro homônimo de Jô Soares, a comédia de Miguel Faria Jr. captou cerca de 9,38 milhões. A trama gira em torno da vinda de Sherlock Holmes e Dr. Watson ao Rio de Janeiro. O longa teve um público de 366 mil pessoas.

Foto: Divulgação

Coração iluminado (1998), drama de Hector Babenco teve um custo de 9,20 milhões. Esse valor refere-se apenas ao dinheiro captado, e não leva em consideração os custos de marketing e distribuição.

Foto: Divulgação

Besouro (2009), dirigido por João Daniel Tikhomiroff, "Besouro" captou 8,81 milhões. O filme, que relata a história do capoeirista brasileiro Besouro Mangangá, conta com as coreografias de Huen Chiu Ku, responsável por "Kill Bill", de Quentin Tarantino.


Foto: Divulgação

O tempo e o vento (2013), épico de Jayme Monjardim tem a sexta maior captação de recursos, segundo dados da Ancine: cerca de R$ 8,49 milhões. Com Thiago Lacerda, Cléo Pires e Fernanda Montenegro no elenco, a trama chegou a ser exibida na Rede Globo no formato minissérie.

Foto: Divulgação

Gaijin II (2005), ambientado no começo do século XX, o filme de Tizuka Yamazaki relata a história de imigrantes japoneses que passam a trabalhar numa fazenda de café. O total captado pelo filme, que teve um público de 52,8 mil pessoas, foi de R$ 7,68, milhões.

Foto: Divulgação

O coronel e o lobisomem (2005), adaptação do romance homônimo de José Cândido de Carvalho, a comédia de Maurício Farias teve um custo de R$ 7,59 milhões.

Foto: Divulgação

Cidade de Deus (2002), um dos grandes sucessos do cinema brasileiro, teve Marc Beauchamps como produtor. O filme de Fernando Meirelles, um dos mais aclamados da história do cinema brasileiro, teve R$ 7,58 milhões captados. No Brasil, vendeu mais de 3,3 milhões de ingressos.

Foto: Divulgação

Corações sujos (2012). O custo do longa de Vicente Amorim girou em torno de R$ 7,3 milhões.

Foto: Divulgação

Fonte: O Globo

Imprimir