Cidadeverde.com
Geral

Salve Rainha: Moaci Junior se apresenta após ter prisão decretada

Imprimir

Moaci Moura da Silva Júnior se apresentou ainda ontem(21) à Justiça, após ter o pedido de prisão preventiva decretado pela juíza Maria Zilnar Coutinho Leal. Ele está sendo julgado pela morte dos irmãos Bruno Queiroz e Francisco das Chagas Junior, em um crime de trânsito no mês de junho. 

Segundo o advogado de Moaci Junior, Eduardo Faustino, ele se apresentou ainda na tarde de ontem(21) quando foi solicitada a prisão, na própria Vara do Tribunal do Júri, enquanto ocorria a audiência de instrução do processo que decidirá sobre seu julgamento. 

O pedido de prisão aconteceu depois que a magistrada detectou que o acusado não estava cumprindo as medidas cautelares lhe imposta à época do acidente, as quais ele deveria comparecer em juízo sempre que convocado, entregar sua carteira de habilitação e permanecer em sua residência após determinado horário.

O advogado Eduardo Faustino disse ainda que na mesma audiência solicitou o relaxamento da prisão, mas a juíza negou. Ele não quis informar o local para onde Moaci foi encaminhado. Mas, de acordo com o promotor Ubiraci Rocha, o local de preso provisório é a Casa de Custódia.  

Advogado Eduardo Faustino

A audiência 

Nesta sexta-feira(21), a juíza Maria Zilnar ouviu testemunhas de defesa e acusação sobre o acidente para decidir se Moaci vai ou não a júri popular. Após o interrogatório, a magistrada ouviria o promotor e o advogado, mas este alegou complexidade no caso e pediu mais tempo para elaborar as alegações finais. 

A concessão aconteceu sob protestos do promotor Ubiraci Rocha. Segundo ele, a defesa sai beneficiada com a decisão. 

O acidente

A colisão que vitimou os idealizadores do Salve Rainha  aconteceu no dia 26 de junho quando Júnior Araújo, seu irmão Bruno Queiroz e o amigo Jader Damasceno deixavam o Parque da Cidadania. O Fusca em que estavam foi atingido violentamente por um Corolla na avenida Miguel Rosa.

Bruno morreu no local, o irmão ainda resistiu 4 dias no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). Jader passou por cirurgia em um hospital da rede particular.

O motorista apontado como suspeito de provocar a colisão, Moaci Junior, pagou fiança de R$ 7 mil e foi liberado na manhã seguinte ao acidente.

No processo, ficou constatado através de perícia técnica que Moaci estaria em estado de embriaguez alcoólica aguda e dirigia a aproximadamente 100 km/h, além de ter desrespeitado o sinal vermelho no momento da colisão.

 

Caroline Oliveira
[email protected]

Imprimir