Cidadeverde.com
Geral

Preso último suspeito de participação na morte de advogado

Imprimir

Advogado foi socorrido com vida e morreu no hospital

O terceiro envolvido na morte do advogado Ozires de Castro Machado Neto, 28 anos, foi preso na manhã desta terça-feira (13). Leylson Alves da Silva, 22 anos, vulgo Dodô, nega as acusações, mas a Polícia Civil não tem dúvidas da participação do suspeito. 

"Ele participou ativamente do crime. Identificou a vítima que estava distraída no carro, mexendo no celular e apontou para o comparsa. Ele escolheu a vítima", explica o delegado Danúbio Dias, da Delegacia de Homicídios. 

Dodô é apontado como coautor do latrocínio do advogado. Os suspeitos de serem comparsas dele foram presos ainda em 2017: Francinaldo dos Santos Batista, vulgo Neném e José Rodrigues Oliveira Neto, 29 anos. 

Questionado, o suspeito confirma que conhece os outros dois suspeitos, mas nega participação no roubo seguido de morte. 

"Estava foragido devido o roubo a uma churrascaria no bairro Bela Vista. Lá foi um momento de fraqueza, pois trabalho. Não estava nesse caso do latrocínio", alega Dodô.

Dodô nega participação no latrocínio do advogado

O assalto à churrascaria citado pelo preso ocorreu um dia antes do assassinato do advogado.  

O delegado explica que com a prisão de Dodô todos os suspeitos de participação no crime foram presos. 

O suspeito dormia na casa de um irmão na Vila Dilma Rousseff, na zona Norte da capital, quando foi localizado e preso.

Delegado Danúbio Dias

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir