Cidadeverde.com
Geral

Dono da Transcol não crê que adolescente apreendido realizou ataques a ônibus

Imprimir

Fotos: Roberta Aline

Empresário Edimilson Carvalho

O proprietário da Transcol, Edimilson Carvalho, presidente do Setut (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina) esteve na manhã desta segunda-feira (11) na sede da Secretaria de Segurança Pública para cobrar esclarecimento sobre a investigação do incêndio a dois   ônibus coletivos na capital. 

Edimilson acredita que o adolescente aprendido no final de semana não é responsável pelas ações criminosas. Ele suspeita que os incêndios tenham relação com a ameaças que ele afirma ter recebido de membros do Sintetro (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes). 

"Na sexta-feira anterior ao Carnaval membro do Sintetro disseram para mim, lá dentro da Transcol, que toda ação tinha uma reação", disse Edimilson Carvalho.

O desentendimento entre o empresário e a categoria ocorreu após a suspensão do recolhimento da taxa associativa, que era descontada diretamente no contracheque dos funcionários para o Sindicato.

"Existe hoje um dinheiro do Sintetro que é arrecadado pelas empresas, a taxa associativa. Foi suspensa porque estamos trabalhando com liminar do Tribunal do Trabalho. E também teve uma medida provisória do presidente atual que diz que esse dinheiro do sindicato o funcionário paga através de boleto bancário, que vai para casa dos trabalhadores e eles pagam. Eu não posso mais descontar. Como eu não fiz isso eles questionaram o motivo e perguntaram se eu queria briga. Disseram que toda ação tem uma reação. Aí em seguida os carros são queimados. Eu vou acreditar que foi esse ladrãozinho?", desconfia Edimilson.

Edimilson Carvalho não crê também na possibilidade dos incêndios aos ônibus ter relação com facções criminosas.

"No Piauí não está acontecendo nenhuma rebelião em presídio, nenhum movimento de estudante e não há nada que justifique esses incêndios. Eu tenho anos de experiência", disse.

O secretário de Segurança Pública, Rubens Pereira se reuniu a portas fechadas com o empresário na sede da secretaria. O gestor adiantou ao Cidadeverde.com que o caso foi encaminhado ao Grupo de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Greco) e, segundo ele, está sendo investigado "com toda seriedade".

"Estamos tomando medidas de segurança nos terminais. Existem policiais à paisana e fardados. As equipes de inteligência também estão nas ruas", informou o secretário.

Rubens Pereira disse que o adolescente apreendido deu informações importantes sobre o ataque. A expectativa é que o menor revele participações de outras pessoas no crime. 

Para a Secretaria de Segurança nenhuma linha de investigação está descartada. O secretário disse ainda que Teresina não é uma "terra isolada" e que os incêndios podem ter relações com facções criminosas.

“Estamos tendo cautela. Tivemos fatos recentes no Ceará, não podemos descartar nenhuma hipótese. Não é porque estamos no Estado do Piauí que estamos ilhados sem essas possibilidades”, disse o secretário.

A segurança nos presídios, delegacias e quarteis da PM foi reforçada desde a primeira ocorrência, segundo o secretário.


Rubens Pereira lembrou que existe um canal para receber denúncias dos casos de incêndios a ônibus. Contato é pelo fone (86) 99978-0749.

O portal Cidadeverde.com falou com a direção do Sintetro sobre as acusações do empresário. 

O delegado Tales Gomes, coordenador da Greco, informou que a investigação está em curso, que já foram feitas oitivas e apreensões. 

“Agora estamos atrás de outros elementos para confirmar a linha de investigação da Greco, que a gente mantém em sigilo para não atrapalhar as investigações”, disse Tales.

Atualizada às 7h30

 

O secretário de Segurança Pública, Rubens Pereira, disse que vai se reunir com o diretor da Transcol para tratar sobre as investigações dos incêndios aos ônibus coletivos ocorridos na última semana. Entre quinta e sexta-feira dois veículos da empresa Transcol foram atacados e terminaram totalmente queimados. As investigações estão a cargo do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco).

Em entrevista ao Notícia da Manhã, ele informou que passou o fim de semana reunido com forças policiais e também representantes dos empresários do Sindicato das Empresas de Transporte de Teresina (Setut). 

"O diretor da Transcol nos solicitou uma reunião. Vamos conversar com ele e verificar o que pode contribuir para as investigações", afirmou. 

O secretário de Segurança disse que todas as possibilidades estão sendo levantadas, inclusive dos ataques terem partido dos presídios.   

"Essa é uma possibilidade que temos que confirmar, as investigações estão muito avançadas com a apreensão do menor, mas não basta a declaração dele, temos que confirmar o que ele disser não tive acesso. Nós estamos analisando todas as possibilidades e que ocorra o mais rápido possível para tranquilizar a população", afirmou.

Rubens Pereira destacou que o policiamento ostensivo foi reforçado nas estações de passageiros e terminais de ônibus principalmente nos horários de pico. 

"A Polícia Militar, a Strans e a Guarda Municipal estão reforçando o policiamento ostensivo para que cicadão tenha tranquilidade de ir trabalhar, de voltar para casa, naqueles horários de possibilidade de ocorrência desses eventos", disse. 


Izabela Pimentel e Caroline Oliveira
redacao@cidadeverde.com

Imprimir