Cidadeverde.com
Geral

Vídeo: dupla matou analista para levar carro e vender por R$ 8 mil, diz Baretta

Imprimir

A camionete roubada do analista judiciário do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) seria vendida por R$ 8 mil em Caxias-MA. Segundo Francisco Costa, o Baretta, coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), os dois suspeitos de participação direta no caso teriam envolvimento com uma quadrilha intestadual de roubo de veículos.                                          

Vinicius Alves da Silva foi preso horas após o crime na última quinta-feira (28). O segundo suspeito identificado como Igor Araújo de Souza continua foragido e, provavelmente, está com a arma da vitima, um revólver calibre 38, que também foi usada no latrocínio.  

DIA DO CRIME

Um vídeo de câmeras de segurança mostra a dupla caminhando na Avenida Principal do Dirceu I em direção ao local onde ocorreu o crime, um bar no bairro Tancredo Neves, na zona Sudeste de Teresina. 

"Os dois desceram de um táxi na avenida do Dirceu. Já ouvimos o taxista que não teve nada a ver com o caso e tinha pego apenas mais uma corrida. O Igor será preso nos próximos dias e ele que vai dizer como será preso. Eles roubaram a camionete porque tinham uma encomenda de uma Hillux para entregar no Maranhão. O veículo seria repassado a R$ 8 mil. Esses dois fazem parte de uma quadrilha interestadual de dois roubadores de carro conhecidíssimos no Piauí", alerta Baretta. 

Foto: Divulgação DHPP

DHPP divulga foto de Igor Araújo de Souza, segundo suspeito de participação no latrocínio do analista do TJ-PI

"O Vinicius declarou que saiu do Parque Piauí, pegaram um táxi e desceram próximo à Fundação Bradesco no Dirceu. De lá saíram caminhando. Daí avistaram duas camionetes uma Frontier e uma Hillux e ainda disseram: tá na promoção. Para você entender como é a audácia desses criminosos. Depois, eles foram até a vítima e o amigo. O Vinicíus pegou o amigo e a vítima saiu correndo. O Igor foi atrás e acabou tendo luta corporal. Nesse momento, o Vinícius viu que o comparsa estava se dando mal e deu o tiro.Depois, o Igor pegou a arma da vítima e deu outro disparo", completa Baretta.

Foto: Graciane Sousa/ Cidadeverde.com


DOIS SUSPEITOS TERIAM ATIRADO NA VÍTIMA

O delegado explica que foram encontrados marcas de diferentes projéteis no corpo da vitima e que tanto Vinicius como Igor atiraram no analista.                                         

"Foi apreendido um revólver calibre 32 que estava com o Vinícius que alegou que o outro havia atirado. Mas comprovamos que os dois atiraram,  sendo que o segundo tiro foi dado da arma da vitima", disse Baretta que acrescenta que  a arma do analista era devidamente registrada.                                  


PARTICIPAÇÃO DA MULHER                               

Baretta conta que as investigações apontaram que Maria da Conceição Sena- que se apresentou espontaneamente na delegacia e confessou participação no caso- não teve envolvimento no latrocínio do analista e agora deve responder pelo crime de autoacusação falsa. 

"Ela não se encaixa no crime. Ela já teve um colóquio amoroso com o Vinícius, mas a história dela não se encaixa com o fato. Analisamos o antes e depois do crime. Estou analisando com o presidente do inquérito se ela será indiciada por autoacusação falsa porque deslocamos todo um aparato policial e ela mentiu", conclui o coordenador do DHPP.

Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir