Cidadeverde.com
Política

"Arrependimento nenhum", diz deputado que arrancou charge na Câmara Federal

Imprimir

O deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP), em entrevista à TV Cidade Verde, afirmou nesta quarta-feira (20) que não se arrepende de ter arrancado à força um cartaz com críticas ao genocídio negro e à Polícia Militar. O parlamentar gravou o ato e divulgou em suas redes sociais. A arte, do cartunista Latuff, integrava a exposição (Re)Existir no Brasil - Trajetórias negras brasileiras, que visibilizava a morte de jovens negros em meio ao Dia da Consciência Negra, comemorado hoje.

"Arrependimento nenhum. Eu estava passando por uma exposição que combate o racismo, a qual eu apoiei sem dúvida nenhuma. O racismo é algo que nós temos que banir do Brasil e do mundo com toda certeza. Sou um defensor dessa causa, mas infelizmente no meio de tantos quadros bonitos, um me chamou atenção, o que justamente ofendia 600 mil policiais militares”, disse o parlamentar.

Segundo o deputado, o autor da charge tem ideologia de esquerda e é contra o trabalho da polícia. “Era uma charge de um cartunista, que eu já soube tem uma ideologia de esquerda, e pelo jeito detesta a polícia militar. Ele levava uma mensagem que o policial é um genocida da raça negra. Aí realmente eu fiz o protesto. Arranquei a figura da parede pois denegria a imagem dos policiais. No Brasil todo, 240 milhões de habitantes têm uma instituição que protege 24 horas por dia: chama-se polícia militar”, defendeu Coroneu Tadeu.

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O deputado do PSL paulista disse que o quadro era inconcebível nos corredores da Câmara Federal. “Aquilo era inconcebível dentro da Câmara dos Deputados. Em qualquer outro lugar na rua não teria problema nenhum. Infelizmente eu tomei aquele ato, do qual não me arrependo sem dúvida nenhuma, e infelizmente eu fiquei sabendo que já havia um pedido de retirada. Eu procurei o organizador antes para não tomar uma decisão autoritária, mas não encontrei, aí tomei a decisão de retirar o quadro e entregar a quem de direito”, disse.

A atitude do parlamentar foi criticada pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia. Segundo ele, o problema poderia ter sido resolvido de outra forma. Coronel Tadeu afirmou que Maia tem toda razão em suas palavras.

“Ele fala como presidente da Casa, ele tem toda razão. Eu até endossei esse discurso dele um minuto depois na tribuna, mas o fato já havia acontecido. Se eu soubesse do ofício que já tinha, quem sabe eu não tivesse feito isso”, finalizou.

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir