Cidadeverde.com
Geral

Missa de Natal é celebrada na Penitenciária Irmão Guido

Imprimir

Foto: Ascom/Sejus

Detentos da Penitenciária Irmão Guido, em Teresina, assistiram, nesta sexta-feira (13), à Santa Missa de Natal, realizada pela Pastoral Carcerária. A celebração foi feita pelo arcebispo da capital, Dom Jacinto Brito. Em clima de Natal, a missa foi repleta de louvores e mensagens sobre o nascimento de Cristo, e, principalmente, a presença de Jesus em cada um dos espectadores na celebração religiosa.

Segundo o arcebispo de Teresina, o momento de comunhão é necessário para levar a eucaristia aos detentos. “Já se tornou, para nós, uma prática anual, antes da Páscoa e antes do Natal, eu passar na penitenciária. Hoje, foi um momento feliz, pois pude encontrar esses irmãos privados de liberdade e trouxemos a pessoa de Jesus na sua Palavra e na eucaristia. Eu parabenizo a todos que se lembram dos encarcerados em suas orações, que se lembram de trazer algo pra eles que necessitam, para que possam ser revitalizados e sair daqui pessoas melhores, e não piores do que entraram”, refletiu Dom Jacinto.

O detento Francisco Escórcio se emocionou com a celebração e reconheceu as graças de Jesus Cristo. “Foi uma graça que o Senhor Jesus mandou pra mim, através da missa, pois alimentou minha alma. Hoje, eu abri meu coração para receber a misericórdia de nosso Jesus e reconheço que, sem ele, não sou nada”, disse o detento.

Para o diretor da Penitenciária Irmão Guido, Maceone Pinheiro, a assistência religiosa é muito importante para a ressocialização dos detentos. “Temos as igrejas como grandes parceiras para a mudança de vida dos internos. Aqui, na nossa unidade, cerca de 10 denominações estão presentes fazendo esse trabalho”, afirma.

A assistência religiosa, como prevista na Lei de Execução Penal (Lei nº 7.210/84), é um dos pilares da Secretaria de Justiça no tocante à ressocialização. Cultos, missas e outros atos religiosos são realizados nas unidades penais do Piauí.

Da Redação
[email protected]

Tags: MissaNatal
Imprimir