Cidadeverde.com
Viver Bem

Calvície deve ser aceita naturalmente tanto por homem quanto por mulher

Imprimir

Foto: Picabay/ fotos gratis

Falar sobre calvície pode ser um assunto delicado. Nas rodas masculinas, o tema é tratado muitas vezes em tom de brincadeira, como piadas. Entre as mulheres é praticamente ignorado, com se esse fosse um problema exclusivamente de homens.

Alteração metabólica, a calvície pode atingir ambos os sexos. O assunto, portanto, não pode ser ignorado. Afinal, a discriminação pode prejudicar a autoestima de quem convive com o problema.

A queda anormal de cabelos ou rarefação de fios no topo da cabeça ocorre quando uma pessoa possui muitas enzimas capazes de metabolizar o hormônio masculino testosterona, que atinge a raiz do cabelo.

Orientação

Apesar de ser uma particularidade do organismo, a calvície não pode ser considerada uma enfermidade, já que não afeta a saúde e o bem-estar de quem possui. Entretanto, a queda dos cabelos tornou-se uma doença psicossocial. Ou seja, afeta o emocional do paciente, mexendo com sua autoestima e capacidade de se relacionar com os amigos e familiares.

O estresse físico e emocional causado por brincadeiras e piadas com o tema, aliás, também pode provocar alterações hormonais, capazes de aumentar ainda mais a queda. Quem aceita o fato com naturalidade ganha em qualidade de vida, evitando problemas de origem emocional, como depressão.

Não confunda

As mulheres, em especial, não podem confundir calvície com queda natural de cabelos. Entre os especialistas, é consenso que o caimento de mais de 100 fios por dia é normal. Portanto, isso não tem relação com alterações metabólicas.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir