Cidadeverde.com
Geral

Manifestação marca um ano de feminicídio e pede júri de acusado

Imprimir
  • 1.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • 10.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • 9.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • 8.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • 7.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • 4.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • 3.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • 2.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com

Terça-feira, 29 de setembro, um ano do assassinato da enfermeira Vanessa Carvalho, vítima de  feminicídio enquanto saía de uma festa de casamento na zona Leste de Teresina. O autor do crime é apontado como Pablo Henrique Campos Santos que também atropelou a então namorada, Anuxa Kelly Leite de Alencar, amiga de Vanessa, que conseguiu sobreviver.

Um ano após a morte, familiares e amigos realizaram uma manifestação durante a manhã, em frente ao Tribunal de Justiça do Piauí. Os pedidos são por Justiça e, principalmente, que seja marcada a data do julgamento. 

"Éramos só eu a Vanessa de irmãos, meus pais moram só, porque moro em outro estado, e agora eles fazem tratamento para depressão. Foi uma perda muito grande, principalmente, pela forma como aconteceu o crime. A gente vive em uma busca constante por Justiça para que o assassino seja julgado, condenado e pegue pena máxima", disse Edison Neto, irmão de Vanessa.

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

O irmão desabafa ainda que Vanessa foi morta covardemente, sem chances de defesa. Ele cita também os pedidos feitos pela defesa para que o réu responda em liberdade até o julgamento. 

"Isso aflige muito nossa família porque a gente tem receio do mesmo até fugir", disse o irmão. Durante o início da pandemia da Covid-19, a defesa pediu, novamente, a liberdade provisória do réu, mas foi negada. 

Emocionado, Edison Carvalho, pai de Vanessa, também pede celeridade para a marcação do julgamento. 

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

"A manifestação é para que nossa Justiça marque o mais rápido possível esse julgamento. Hoje faz um ano que minha filha faleceu, que aquele monstro levou. Se for preciso, estarei aqui todos os dias. Acredito que nem minha filha está sossegada. É difícil olhar as notícias na impresa e ver as alegações da defesa pedindo a soltura de um assassino. A vida é mais importante. Minha filha não tinha inimigos, era uma pessoa maravilhosa. Falar dela é difícil. Queremos que a Justiça seja mais rápida, pois isso prejudica a gente. Continuo acreditando na Justiça para que ele pague por seus atos. Precisamos disso para ter um pouco de paz. Chegar em casa e sair e não ver minha filha é muito difícil", pede o pai. 

A manifestação reúne um número considerável de familiares e amigos que estampam o rosto de Vanessa em camisas e vários pedidos de Justiça. Vânia Carvalho, mãe da vítima, também participa do ato, mas não tem condições de falar com a imprensa. 

Foto: reprodução Instagram

Pelas redes sociais, a campanha "As vozes de Vanessa Carvalho" também clama que o caso não fique impune e seja marcada a data do Tribunal do Júri do acusado. Em vídeos e fotos, o movimento pede também o fim da violência contra a mulher. 

Às 18h será transmitida pelo Facebook da TV Cenáculo uma celebração pela morte da jovem que era enfermeira.

 

Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir