Cidadeverde.com
Esporte

Peru vence, passa em segundo e elimina a Venezuela da Copa América

Imprimir

O Peru venceu a Venezuela por 1 a 0, gol de Carrillo, neste domingo (27), no estádio Mané Garrincha, pela última rodada do grupo B da Copa América. O placar classificou os peruanos como segundo da chave e mandou os venezuelanos de volta para casa.

O Peru chegou aos sete pontos e ficou apenas atrás do Brasil na classificação. Sua partida de quartas de final será em Goiânia, no dia 2 de julho, contra o terceiro colocado do grupo A. A Venezuela, com dois pontos, foi eliminada.

Peru e Venezuela não marcaram gols no primeiro tempo, mas ambos perderam chances muito claras de fazer isso. O primeiro foi Yotún, que recebeu cruzamento de Corzo e, dentro da área, chutou para longe o que poderia ser o gol peruano. 

Em seguida, Savarino chutou, Gallese deu rebote e ficou caído. A bola se ofereceu a Córdova que, de cabeça, conseguiu o mais difícil: colocou para fora.

O técnico Jose Peseiro optou por começar com Soteldo no banco. Recuperado de lesão o ex-santista não tinha condições de atuar por 90 minutos.

Sua entrada ocorreu apenas aos 23 minutos do segundo tempo, quando o time perdia por 1 a 0. Em campo, ele tratou de mostrar sua qualidade e empilhou vitórias pessoais.

A Venezuela é, sem dúvida, a seleção mais prejudicada pela Covid-19 nesta Copa América. Perdeu, ao todo, 11 jogadores ao longo do torneio, além de membros da delegação. 

Precisou convocar emergencialmente 15 atletas, depois liberou 11 quando os infectados testaram negativo. Em meio a tantas idas e vindas, o técnico Jose Peseiro é cobrado para montar uma seleção mais ofensiva. 

Porém não parece muito sujeito às críticas e, contra o Peru, manteve sua equipe com uma linha de cinco defensores, quatro meio-campistas e apenas Córdova na frente. Em campo, o time produziu bem pouco para quem precisava pontuar.

O Peru estava praticamente classificado. Apenas um desastre tiraria o time de Ricardo Gareca das quartas de final. E não aconteceu. Por isso, o treinador tratou de resolver os problemas defensivos de sua equipe. 

Com Yotún e Tapia protegendo o quarteto defensivo, o Peru foi seguro na maior parte do jogo. Sofreu em chutes de média distância e pela aparente instabilidade do goleiro Gallese, que cometeu falhas.

MARINHO SALDANHA
BRASÍLIA, DF (UOL/FOLHAPRESS)

Imprimir