Cidadeverde.com
Política

Sílvio Mendes confirma que é pré-candidato a governador do estado em 2022

Imprimir

O ex-prefeito de Teresina, Silvio Mendes (PSDB), anunciou nesta quinta-feira (19) que seu nome está disponível para disputar o governo do Piauí em 2022. O tucano disse que já comunicou sua decisão ao ministro da Casa Civil e senador, Ciro Nogueira, do Progressistas. Na oposição, os dois partidos ensaiam uma aliança para o pleito do ano que vem.

"Durante muito tempo se discutiu quem se oferecia para cuidar do Piauí. Eu disse durante muito tempo que não estava disponível por várias razões. Teresina me ensinou muito a cuidar de gente. Diante de todas reflexões e de uma conversa longa com o Ciro, Iracema e o Freitas, eu resolvi colocar meu nome sim disponível para cuidar do Piauí, das pessoas", disse durante entrevista à TV Cidade Verde.

Fotos: Dantércio Cardoso

Embora esteja disponível, Silvio afirma que só uma conjuntura vai confirmar ou não o seu nome ao Karnak em 2022. A única certeza, no momento, é que não será candidato a senador.

"Meu nome está na mesa. Se isso vai acontecer o tempo dirá. Eu não sou candidato a senador. Eu tenho perfil de execução, fazer e ter retorno. Que olhe pelo mais humildes. Isso é missão", declarou.

Silvio garantiu que não há disputa interna na oposição e confirmou também os nomes da deputada federal, Iracema Portella, e o do ex-senador João Vicente, como pré-candidatos.

"Não existe disputa interna. Os nomes postos até agora e que posso dizer são: Iracema Portella, João Vicente e agora o meu. Se surgir um nome melhor, que seja. Ele vem para somar", afirmou o tucano.

Bolsonaro e João Dória

Sílvio revelou que não gosta do governador de São Paulo, João Dória, e que não pensa em subir no palanque de Bolsonaro no estado.

Ele (Dória) está insistentemente me convidando para ir almoçar com ele em São Paulo. Eu não vou. Eu não gosto dele, do estilo dele. Não gosto dele por uma razão muito simples: ele não é leal, ele não é grato e a ingratidão é o pior defeito no homem. Ao assumir o poder ele afastou um cidadão de bem, um grande governador, chamado Geraldo Alckmin", afirmou, comentando ainda sobre Bolsonaro.

"O presidente Bolsonaro é legítimo, foi eleito. Ele cria ele próprio os problemas maiores dele. Eu não estou preocupado com isso e não vou tratar disso. Eu vou tratar do Piauí", declarou.

Yala Sena
[email protected]

Imprimir