Cidadeverde.com
Cidades

Teresina tem final de semana violento e com cinco homicídios em menos de 48h

Imprimir

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde

Teresina registrou um final de semana violento com cinco homicídios em menos de 48 horas. O caso mais recente ocorreu no bairro Poti Velho, na zona Norte, por volta das 20h30 do domingo(21), próximo ao cemitério, na Rua Alameda Domingo Jorge Velho.A vítima, identificada como Josimar de Sousa Oliveira, 28 anos, foi morta com um tiro na cabeça.

O comandante do 9º BPM, tenente-coronel Maurício Lacerda, informou que o suspeito pelo crime atuava nos serviços gerais do batalhão. Após o crime, o homem identificado apenas como Robertinho procurou a polícia e informou que após uma discussão acabou realizando o disparo de arma de fogo.

“Ele atuava nos serviços gerais do 9º BPM, e ligou informando que tinha cometido um crime. Eu recomendei que ele fizesse essa apresentação no batalhão. Assim foi feito, por volta das 22h30 ele se apresentou e foi preso. Foi encaminhado para a Central de Flagrantes de Teresina e agora a Polícia Civil fica responsável pelo caso. Ele relatou que estaria sofrendo ameaças, mas isso daí fica a cargo da Polícia Civil apurar o que aconteceu”, informou o comandante. 

A arma usada pelo crime foi apreendida, além de dois invólucros de substância análoga ao crack.

Outro crime ocorreu também no domingo. Um jovem, de identidade não revelada pela polícia, foi morto com um tiro na Vila Irmã Dulce, na zona Sul de Teresina.

A vítima estava em um aniversário, quando foi chamado por alguém. Logo depois que ele saiu do local, foram ouvidos disparos de arma de fogo e ele foi encontrado morto. O suspeito pelo crime ainda não foi localizado.

Crimes no sábado

No último sábado foi registrado um duplo homicídio na estrada do loteamento Recanto dos Pássaros, no povoado Alegria, zona rural Sul de Teresina. 

De acordo com o 22º Batalhão da Polícia Militar do Piauí, a viatura foi acionada por volta das 4h30 e, ao chegar no local, encontrou duas vítimas com marcas de disparos de arma de fogo. Próximo aos corpos os policiais ainda encontraram uma motocicleta sem placa.

No mesmo dia foi registrado outro assassinato, dessa vez na Vila Lucy, no bairro Novo Horizonte. Um jovem identificado como Pedro Henrique, de 19 anos, foi assassinado a tiros na tarde de sábado. A Polícia Militar informou que o crime ocorreu por volta das 14h, quando ele estava na frente da residência de uma tia.

“A informação que temos que foram homens em um veículo prata, que passaram pelo local e fizeram os disparos de arma de fogo. Ele morreu ainda no local, que é em frente a residência de uma tia dele. Segundo familiares, ele não tinha passagem pela polícia”, informou o sargento Nunes no dia do crime.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) vai ficar responsável pela investigação dos cinco homicídios.

Aumento de crimes

Membros da cúpula de Segurança Pública do estado do Piauí já se reuniram para tratar sobre os casos de homicídios que estão sendo registrados na capital. 

O delegado geral Luccy Keiko afirmou que as mortes estão ocorrendo principalmente por briga entre facções e destacou que está ocorrendo uma facilidade na aquisição de arma de fogo.

“Houve um aumento expressivo do número de crimes praticados com arma de fogo. Todo mundo está sentindo isso. São muitas armas apreendidas, então está tendo uma facilitação na aquisição de armas, inclusive essas facções estão se utilizando disso para se armarem”, destacou Luccy Keiko, delegado-geral da Polícia Civil. 

A avaliação do  coronel Scheiwann Lopes, comandante-geral da Polícia Militar, é semelhante. Além de mencionar o acesso a armamento clandestino proporcionado pela falta de fiscalização nas fronteiras do país, alertou que os criminosos também têm como alvo os civis que conseguem obter a posse de armas.  "No Brasil, nos últimos anos, essa questão do aumento de armas entrando no país, houve também uma grande abertura e facilitação e isso logicamente aumenta o número de roubos e furtos de arma e vai parar esse armamento na mão da criminalidade", afirmou o militar.

 


Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir