Cidadeverde.com
Geral

Novo passe livre será implantado até junho, diz superintendente da Strans

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

O superintendente da Strans, Bruno Pessoa, afirmou em entrevista ao Cidadeverde.com nesta terça-feira (17) que o “Programa Municipal de Passe Livre” deve ser implementado em Teresina ainda no primeiro semestre de 2023.

Apesar de frisar que o modelo ainda vem sendo estudado pela equipe técnica do órgão, o gestor reforçou que a iniciativa visa ampliar o quantitativo de pessoas contempladas com a gratuidade no transporte público urbano na capital piauiense.

“Será paulatinamente. Temos uma tendência de pelo menos nesse primeiro semestre a gente implementar. Estamos construindo isso em várias frentes, porque tem várias questões, contratual e trabalhista”, declarou Bruno Pessoa.

Para entrar em vigor, no entanto, a Câmara Municipal de Teresina (CMT) precisaria aprovar alterações na legislação do Fundo do Transporte. Além disso, as empresas que operam no sistema precisam concordar com a repactuação dos contratos dos consórcios. 

Logo após o anúncio do “Programa Municipal de Passe Livre”, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) convocou uma coletiva de imprensa para alegar falta de condições para implantação do novo modelo

Por sua vez, Bruno Pessoa lembra que uma das principais queixas dos empresários está relacionada à queda do número de usuários do sistema de transporte, que seria solucionada com a ampliação das gratuidades custeadas pela Prefeitura. 

“Tendo essa implementação, a tendência é que as pessoas retornem ao sistema de transporte, é o que todo mundo quer. Será que eles têm o mesmo interesse real em transportar a população ou é apenas na bilhetagem?”, ponderou o superintendente. 

O novo sistema

Apesar de frisar que ainda não há uma definição sobre o assunto, Bruno Pessoa explicou que a ideia do novo sistema de transporte público urbano da capital visa alterar a fórmula para o cálculo tarifário para o Custo do Quilômetro Operacional. 

“Se tiver uma pessoa sendo transportada, aquele ônibus vai receber pelo percurso realizado. Se tiver 50 pessoas ele também vai receber da mesma forma. A tendência é que sejam cumpridos esses horários”, garantiu o gestor. 

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

Ao anunciar a proposta de gratuidade no transporte público, o prefeito Dr. Pessoa (Republicanos) explicou que a medida seria voltada sobretudo para desempregados e pessoas em vulnerabilidade, com base em dados oficiais do IBGE. 

O custo

Segundo a Strans, a estimativa é que a implantação do “Programa Municipal de Passe Livre” eleve de R$ 5 milhões para R$ 8 milhões valor do repasse mensal que atualmente é feito pela Prefeitura de Teresina aos consórcios.  

“Temos que diminuir o custo do transporte ao máximo, para conseguir fazer com que a Prefeitura consiga suportar o sistema”, esclareceu Bruno Pessoa, que vê o montante como um "investimento" que traria retornos significativos ao município. 

“A quantidade de veículos na rua vai diminuir em torno de 40% e a economia vai melhorar em cerca de 30%, tudo isso girando a roda da economia e a Prefeitura consiga bancar tranquilamente esse novo sistema”, concluiu o superintendente da Strans.

 

Breno Moreno
[email protected]

Imprimir