Cidadeverde.com

Polícia prende mais três suspeitos pela morte de marido de secretária no Piauí

A Polícia Civil prendeu na quarta-feira (21) outros três suspeitos pela morte do empresário João Rodrigues Dias Neto, marido da secretária de Assistência Social de São Raimundo Nonato, que foi assassinado na frente das filhas no último dia 13 de setembro. Outras três pessoas já tinham sido presas, totalizando seis pessoas detidas pelo caso.

A prisão ocorreu em São Raimundo Nonato, a 523 km de Teresina. Um dos presos é Priscila Ferreira, irmã do suspeito de ser o mandante do crime, Paulo Ferreira. Os dois são filhos do idoso Pedro Pereira que morreu em acidente que envolveu o empresário assassinado.

Foram presos ontem:

  • Patrícia Ferreira -  irmã de Paulo Ferreira, apontado como o mandante do crime;
  • Mauro de Almeida -  marido de Priscila e cunhado de Paulo, que é suspeito de saber do plano para matar o empresário e participar do pagamento;
  • Ronigleison - mototaxista é apontado como o responsável por ceder o carro usado na logística de fuga que levou Juniel, o executor, a São Lourenço do Piauí.

Já tinham sido presos:

Crime foi por vingança

O crime teria ocorrido por motivo de vingança pela morte do idoso Pedro Pereira, em junho deste ano, após ele colidir uma motocicleta em uma vaca em uma estrada em São Raimundo Nonato. Logo atrás vinha João Rodrigues em um carro, que acabou batendo também em um animal e passando por cima do corpo do idoso. Em outro o carro estava um filho da vítima, que teria presenciado tudo.

Foto: Arquivo pessoal 

Familiares do idoso, principalmente os filhos, culpavam João Rodrigues pela morte do idoso. Uma investigação da Polícia Civil foi realizada, que apontou que o idoso morreu com o impacto da colisão com o animal, e que João Rodrigues não teve culpa. 

Inconformados com a morte, familiares começaram a fazer ameaças e perseguições contra a família do empresário, até que um pistoleiro identificado como Juniel Assis, teria sido contratado por R$ 5 mil, para matar o empresário. Em depoimento, Juniel afirmou que a ordem era que a vítima fosse morta na frente das filhas, de 7 e 11 anos.

O pistoleiro chegou a receber R$ 1,5 mil pelo crime, mas logo foi preso pela Polícia Civil e informou por quem teria sido contratado, e desde então, estão sendo realizadas várias prisões.

Câmera flagrou assassinato

João Rodrigues foi morto na frente das duas filhas quando buscava as meninas em uma escola no centro da cidade.  Ele era casado com a empresária Valdênia Costa, secretária do Trabalho e Assistência Social do município. 

Nas imagens, um homem espera João Rodrigues passar pela rua. Quando ele vê a motocicleta, o suspeito logo aponta a arma para a vítima e as duas crianças. Ele então realiza disparos de arma de fogo contra João.

A vítima, e a filha mais nova caem no chão, enquanto a mais velha tenta socorrer eles. As duas meninas não ficaram feridas.

 

 


Bárbara Rodrigues e Tiago Melo
[email protected]