Cidadeverde.com

Justiça concede prisão domiciliar a irmãs suspeitas na morte de marido de secretária

Foto: arquivo pessoal

O empresário foi morto a tiros na frente das filhas

A Justiça do Piauí concedeu prisão domiciliar a duas irmãs suspeitas de envolvimento na morte do empresário João Rodrigues Dias Neto, marido da secretária municipal de São Raimundo Nonato, no interior do Piauí. A substituição da preventiva em domiciliar foi confirmada pelo delegado Marcelo Leal, gerente de policiamento do interior. Investigação da Polícia Civil do Piauí apontou que o crime foi encomendado por R$ 5 mil.

Precília Ferreira e Patrícia Ferreira teriam participado da logística do crime. O empresário foi assassinado friamente na frente das filhas dias após ter sido apontado como responsável pela morte de um idoso (pai de Precília e Patrícia) durante um acidente de trânsito. Contudo, a Polícia Civil do Piauí concluiu que ele não teve culpa pela colisão.

Além das duas irmãs, outras pessoas da mesma família estão presas por suspeita de envolvimento no crime. O mandante é apontado como Paulo Ferreira, filho do idoso e irmão de Precília e Patrícia. 

Até o momento, oito pessoas foram presas. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil do Piauí. 

 

VEJA A PARTICIPAÇÃO DE CADA INVESTIGADO

Paulo Ferreira - filho do idoso e suspeito de ser o mandante do crime e preso no dia 20 de setembro;

Juniel Assis - suspeito de ser o executor do crime e  preso no dia 15 de setembro;

Juliermes - amigo de Paulo, que teria guardado a arma de fogo usada no crime e presenciado todo o planejamento do assassinato.

Patrícia Ferreira -  filha do idoso, irmã de Paulo Ferreira, apontado como o mandante do crime, que teria ajudado a planejar;

Mauro de Almeida -  marido de Precília e cunhado de Paulo, que é suspeito de saber do plano para matar o empresário e participar do pagamento;

Ronigleison - mototaxista, fazia alguns trabalhos para Paulo, e é apontado como o responsável por ceder o carro usado na logística de fuga que levou Juniel, o executor, a São Lourenço do Piauí. Ele também teria cedido seu veículo para fazer o levantamento da rotina da vítima;

Precília Ferreira- filha do idoso e irmã de Paulo apontada por participação na dinâmica e logística do crime;

Luiz Ferreira- filho do idoso e irmã de Paulo apontada por participação na dinâmica e logística do crime.

 

Graciane Araújo
[email protected]