Cidadeverde.com

Após 17 meses bandeira de energia volta a ser verde

Crédito: cottonbro

O Ministério de Minas e Energia (MME) anunciou, a partir do dia 16 de abril, a volta da bandeira tarifária verde e pela primeira vez, em dezessete meses, o consumidor não precisará pagar taxa extra na conta de energia elétrica.  As bandeiras tarifárias foram criadas em 2015 e refletem a situação em que se encontram os reservatórios das hidrelétricas brasileiras. Portanto, a bandeira verde indica que o nível das hidrelétricas está satisfatório e nenhuma taxa extra é cobrada. A bandeira amarela indica que o nível dos reservatórios começa a ser comprometido. A bandeira vermelha, patamar 1, indica que os reservatórios estão em um nível que inspira maior cuidado. Finalmente, a bandeira tarifária vermelha, patamar 2, é o pior cenário possível, indicando que o nível dos reservatórios encontra-se em nível crítico. Mas com a escassez de chuvas em 2021, a situação dos reservatórios chegou a uma condição que não se via há 91 anos e o Governo Federal criou a bandeira tarifária escassez hídrica, cujo valor passou a ser R$ 14,20 para cada 100 kWh de energia elétrica consumidos.

A bandeira tarifária é apenas parte integrante da conta de energia elétrica e é paga por todos os consumidores, salvas algumas exceções como é o caso dos consumidores que se beneficiam da tarifa social.  O fim da bandeira escassez hídrica pode representar uma economia mensal em torno de 15% no valor da fatura. A volta da cobrança da bandeira escassez hídrica não está descartada, apesar das intensas chuvas que tem atingido o país nos primeiros meses de 2022.