Cidadeverde.com
Geral

Inquérito apura causas de acidente que matou arquiteto; primo será ouvido

Imprimir

Foto: Valmir Macêdo/Cidadeverde.com

Um inquérito policial foi instaurado na Delegacia de Repressão aos Crimes de Trânsito para apurar as circustâncias do acidente que matou o arquiteto João Vitor Oliveira Campos, 23 anos, que estava no carro que colidiu em uma banca de revista embaixo da Ponte Estaiada, na zona Leste de Teresina, na madrugada da segunda-feira (01). No veículo estava ainda o primo do jovem, Junno Pinheiro Campos, 37 anos, que sobreviveu ao acidente e é considerado testemunha-chave. 

Fernanda Paiva, delegada auxiliar da especializada, conta que requisitou imagens de câmeras de monitoramento ao longo da avenida Raul Lopes, exame pericial do local do acidente e expediu ordem de missão para tentar localizar testemunhas. 

"O fato ocorreu por volta de 2h30. O carro vinha no sentido do shopping para a Ufpi. Foi uma pancada muito violenta. Fizemos algumas solicitações e instauramos inquérito para apurar as circustâncias do acidente, como a questão do velocidade.", disse a delegada. 

Fernanda Paiva ressalta que, apesar do acidente ter ocorrido em uma avenida em linha reta, a pista tem imperfeições. 

"No local do acidente em si não havia câmeras, mas ao longo da avenida e podem ajudar nesse trabalho. De toda forma, o primo da vítima que sobreviveu é a principal testemunha e será ouvido assim que estiver melhor", reitera a delegada. 

Foto: Reprodução Instagram Joaovitorcamposss

O arquiteto (foto) estava no banco do passageiro e morreu no local. Junno Pinheiro dirigia o carro e sofreu um corte na testa e outro atrás da cabeça

Familiares informaram ao Cidadeverde.com que João Vitor  havia saído para vistoriar uma obra e em seguida ido para a ExpoTeresina, que acontecia no Parque de Exposições, na BR-343, de onde voltava com o primo quando ocorreu o acidente.

A banca de revista onde o veículo colidiu foi totalmente destruída. O proprietário registrou Boletim de Ocorrência e já foi ouvido no intuito de buscar reparação dos danos materiais. 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir