Cidadeverde.com
Geral

TV lança projeto com minissérie e eventos sobre os 200 anos da Independência do Brasil

Imprimir

Foto: Dantércio Cardoso

A TV Cidade Verde lançou nesta sexta-feira (12) o projeto especial 200 anos da Independência do Brasil. O lançamento aconteceu no Jornal do Piauí com entrevista especial do escritor Laurentino Gomes, autor do livro “1822”.

Participou do lançamento o escritor e ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Anfrísio Lobão, autor do livro “Mandu Ladino”, o promotor de justiça de Oeiras, Carlos Rubens e a jornalista Cláudia Brandão. O governador Wellington Dias (PT) concedeu entrevista ao vivo falando sobre a importância da história do Piauí para a independência do País. 

O projeto inclui a exibição de uma minissérie sobre a Batalha do Jenipapo, com 10 capítulos, uma iniciativa pioneira de Alexandre Melo em parceria com a TV Cidade Verde.

Ao longo do ano haverá reportagens, entrevistas, exposições e debates sobre o tema. No sábado (13) será o pontapé inicial para esse grande projeto com a reexibição do filme “História da Independência do Piauí”, a partir das 12h15. O filme foi produzido pela TV Cidade Verde e conta a história da Batalha do Jenipapo. 

Em 2022, o Brasil comemora 200 anos de independência. “A TV Cidade Verde se antecipa e inicia essa comemoração a partir desta sexta-feira. A comemoração vai durar um ano com uma série de eventos, programas especiais, exibição de filmes e entrevistas”, diz Cláudia Brandão. 



“Vamos marcar todo o contexto da Independência do Brasil, com a importância da participação do Piauí nesse processo e destaque especial para a Batalha do Jenipapo, incluindo as manifestações em Oeiras e Parnaíba”, acrescenta. “É um grande trabalho de memória, de resgate, de valorização da nossa história dando ênfase ao nosso slogan ‘A boa imagem do Piauí’”, ressalta Brandão. 

O promotor de justiça de Oeiras, Carlos Rubens, fala sobre o sentimento da independência na região de Oeiras na época. Vários personagens se reuniram e o plano foi efetivado. “Destituíram todos os portugueses dos cargos então existentes. A partir daí, o Visconde da Parnaíba comunicou as províncias próximas e emitiu ordem para que muita gente fosse a Campo Maior, onde foi deflagrada a nossa Batalha do Jenipapo".
 


Ao comentar sobre o reconhecimento do Piauí na Independência do País, Anfrísio Lobão lembrou que “o Brasil custou a acordar para esse acontecimento porque a cultura, o meio, a inteligência e a maioria da população se concentrava no Sul. São Paulo e Rio dominavam.  O Nordeste era uma região pouco habitada, pouco conhecida e com dificuldade de comunicação. Isso fez com que o povo do Sul desse pouca importância, mas aqui, diferente do Sul, a Independência foi conquistada na bala, no heroísmo, na luta”.  

Cláudia Brandão ressalta que os livros didáticos deixam muito a desejar. “Neles há uma lacuna grande e imperdoável sobre a participação do Piauí e da Batalhão do Jenipapo travado no dia 13 de março em Campo Maior às margens do Riacho Jenipapo. O escritor Laurentino Gomes, que também é jornalista, escreveu uma série de livros históricos sobre o Brasil e fez esse resgate para nós no livro 1822, que trata da Independência do Brasil. Ele destina algumas páginas para a Batalha do Jenipapo. Ele, inclusive, esteve no Piauí e visitou Campo Maior”.

Em entrevista, o governador Wellington Dias também comentou sobre a participação dos piauienses na conquista da independência. “Garantimos vitórias e mais vitórias ao longo do tempo. Essa da Independência se destaca porque a conquista da Independência para o Piauí também significou a Independência para o Brasil”. 

O governador lembrou das lutas travadas no passado pela libertação. “Pela força, pela coragem, pela luta desigual, que foi canhão contra facão e foice, enfim, vencemos”. 

 

 


A Batalha do Jenipapo também será tema de série de TV. As gravações estão previstas para iniciar neste ano, respeitando as normas de prevenção ao novo coronavírus,devido a pandemia da Covid-19. O diretor da produção, Alexandre Melo, comenta que a série artisticamente vai recompor vários cenários com uma investigação “quase arqueológica”.

Alexandre Melo antecipa alguns pontos a serem abordados, como "o primeiro governador que chega ao Piauí para instituir efetivamente a província, fundar vilas. Uma das missões dele era abolir por completo a escravidão indígena no estado. Todas essas questões estão presentes em uma série de ficção que tem 10 capítulos. Você tem mais tempo para analisar essas questões humanas: quem compunha a sociedade, como ela era criada e que reflexos têm até hoje”. 

Veja mais:

Batalha do Jenipapo quebra mitos sobre a Independência, diz escritor Laurentino Gomes

Conselho vai acompanhar preparativos para 200 anos da Independência do Brasil

 

Flash Carlienne Carpaso e Yala Sena
[email protected]

Imprimir