Cidadeverde.com
Esporte

Jogadora piauiense na Ucrânia relata rotina e dificuldades para deixar o país

Imprimir

Foto: Reprodução / Instagram

A atleta piauiense Kedma Laryssa, de 20 anos, continua abrigada no mesmo hotel desde que os primeiros ataques na Ucrânia foram registrados. O clube onde a jovem atua levou todo o time para o local após o início dos bombardeios da Rússia. A sede do Kryvbas Women fica próximo a uma base militar. O time está há 5 dias confinado no hotel. 

Kedma conversou com o Cidadeverde.com e relatou a rotina e as dificuldades em deixar o país. "Por enquanto aqui ainda não houve ataques. Nosso dia a dia tem sido somente dentro do hotel. Estamos com alimentação tudo certinho e não tem faltado nada para a gente. Não tivemos como sair do hotel", descreveu a jogadora. 

A cidade na Ucrânia onde Kedma está é Kryvyi Rih e fica a pelo menos 1 hora de distância da estação de trem mais próxima. "E o clube diz que, por enquanto, aqui ainda é mais seguro", destacou Kedma Laryssa. 

Nesta terça, o governador Wellington Dias (PT) acionou a embaixada do Brasil na Ucrânia para que seja feito o resgate da atleta e de mais duas brasileiras que atuam no mesmo time de Kedma.

A fronteira mais perto de onde a jogadora está é com a Moldávia, segundo informou a mãe de Kedma, Lúcia Santos. "Mas não tem como elas saírem por não ter transporte", lamentou Santos. 

Apesar dos ataques na Ucrânia, Kedma afirma que não escutou bombas na cidade onde está. "O clima continua um pouco tranquilo", acrescentou a jogadora. 

Representantes da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Fifpro (Sindicato Internacional de Jogadores de Futebol) e do Sindicato de Jogadores de Portugal já entraram em contato com as jogadoras que estão abrigadas no hotel onde Kedma está, mas, até o momento, elas não conseguiram deixar o país. 

Jogadora do Kryvbas Women

Kedma Laryssa atua no time de futebol Kryvbas Women, na cidade de Kryvyi Rih, que está localizada no Sudeste da Ucrânia. Kedma se mudou para o país em agosto de 2021, após sair do clube Tiradentes.

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir