Cidadeverde.com
Política

No Piauí, Leonardo Péricles critica Bolsonaro e rebate ataques racistas

Imprimir
  • leonardo_pericles_8.jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • leonardo_pericles_7.jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • leonardo_pericles_6.jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • leonardo_pericles_5.jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • leonardo_pericles_4.jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • leonardo_pericles_3.jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • leonardo_pericles_2.jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • leonardo_pericles_1.jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com

Na oportunidade, o candidato Leonardo Péricles criticou o governo Bolsonaro pelos falas de ataques às urnas eletrônicas e, segundo ele, à democracia do Brasil. 

"Não podemos admitir nenhuma possibilidade de golpes no país. O presidente [Bolsonaro] e o alto comando das Forças Armadas vêm ameaçando as urnas eletrônicas. Inclusive dando a entender que não respeitarão o resultado das eleições. Isso para a gente é golpe", lamentou o candidato ao acrescentar que para combater esse discurso, a sigla discutirá três pontos centrais que é o antirracismo, antifascismo e o anticapitalismo. 

O candidato à Presidência da República pela Unidade Popular, Leonardo Péricles, está no Piauí para participar do debate sobre negros em espaços de poder e da convenção partidária da sigla no estado, que lançará uma única candidatura este ano ao cargo deputado federal.

Em entrevista ao Cidadeverde.com, Leonardo Péricles falou sobre propostas que serão apresentadas na campanha este ano e também das mensagens racistas que vem recebendo nas redes sociais.

Para o candidato da UP, os ataques nas redes sociais são a reprodução direta do que é o racismo no Brasil. Segundo ele, os negros têm ocupado no Brasil apenas espaços negativos. E, como exemplo, cita sua candidatura como única de um homem negro de esquerda há 92 anos.

Segundo Leonardo Péricles, sua candidatura é uma afirmação muito importante de bandeiras históricas do movimento negro, como a reparação.

“Nós estamos vivendo hoje numa situação que a maioria de nós, negros e negras, está excluída dos espaços de poder. Se você pegar no Congresso Nacional, nós somos minoria, mas isso também vai se dar em toda área. Só não somos minorias em presídios, nas vítimas de violência, dos que estão entre os mais desempregados, os que não têm casa, os que não tem direitos”, acrescentou o candidato.

Foto: Renato Andrade / Cidadeverde.com 

Leonardo Péricles pontuou que os ataques surgem porque aos negros foi reservado os espaços de subalternidade, superexploração e opressão. Devido a essa questão, quando alguns negros ganham notoriedade, são atacados.

“E nós não estamos calados. Nós fizemos as denúncias desses ataques racistas e entramos com representação no Ministério Público Federal exigindo a identificação desses racistas e a punição exemplar deles. Fazemos isso porque se eu, candidato à presidência da República, sou atacado desse jeito, imagina no dia a dia de nós”, frisou o candidato.

Entre as mensagens revistas que Leonardo Péricles vem recebendo estão de pessoas dizendo que odeiam negros.

Em uma postagem nas redes sociais, o candidato chegou a afirmar que indícios apontavam que algumas dessas mensagens estavam sendo enviadas da Câmara de Deputados.

“Entendemos que um dos problemas para esses ataques é a impunidade. Então, é necessário punir esses racistas de forma exemplar para que outros pensem 100 vezes antes de fazer o mesmo. É preciso agir e cobrar das autoridades porque não dá para deixar a coisa acontecer como está”, acrescentou Leonardo Péricles.


Nataniel Lima
[email protected]

Imprimir