Cidadeverde.com

Feira Literária de Oeiras leva educação, leitura e cultura às crianças

O universo mágico da leitura, somado à dança, à música e à alegria de milhares de crianças, deu a tônica da terceira edição da Feira Literária de Oeiras – FLOR. O evento correu na Praça das Vitórias nos dias 13 e 14 de novembro, juntamente com o X Festival de Cultura, e arregimentou mais de 15 mil pessoas.


Dividida em seis espaços temáticos, a FLOR fez homenagens ao cartunista e escritor Maurício de Sousa, que foi representado no evento pelo seu assessor de comunicação, José Alberto Lovetro, que proferiu palestra para professores e amantes da literatura.
 
Por todos os lados viam-se livros e crianças mergulhadas na leitura, fascinadas pelo espaço. Outras atividades lúdicas também foram realizadas, como pintura corporal e contação de histórias, além do lançamento de livros e a instigante gibiteca, grande sessão do evento.
 
Umas das inovações do evento foram as rodas de conversas, onde nos dois dias diversos temas foram abordados como: Álcool e Drogas; Namoro e Sexualidade; Ecologia e Meio Ambiente; e Rede Sociais (público e privado).
 
Segundo a Secretária Municipal de Educação, Tiana Tapety, a FLOR é um evento completo, onde professores e alunos começam a se preparar para o início do ano letivo. “Oeiras tem a missão de educar para a leitura, e a FLOR é um estímulo. É maravilhoso ver crianças e adolescentes absorvidos pela magia dos livros. Esse evento é resultado da dedicação, da responsabilidade por se propor uma educação de qualidade e o fomento a leitura desde a base”, destacou Tiana Tapety.
 
Uma das principais propostas da FLOR este ano foi o resgate das manifestações culturais da cidade, fazendo com que crianças reproduzissem algumas apresentações artísticas de cunho popular que vem se perdendo com o tempo. Essa ação vem sendo desenvolvida por escolas da rede municipal de Oeiras, a exemplo do colégio Francisco Quirino, que tem se destacado com a apresentação dos Congos-mirins, e a escola Franscisquinha Martins com o reisado.
 
Com essas ações, as crianças de cada bairro vão se familiarizando com tradições inerentes do seu meio. O evento congrega um conjunto de atividades de incentivo à leitura, trabalhadas ao longo de todo o ano em escolas da rede municipal. “Temos aqui várias atividades, a principal de todas é a leitura, processo que a gente precisa implantar dentro das escolas, usando tudo que a gente pode, e a praça é uma das metodologias que a gente usa para incentivar a leitura no nosso município”, argumenta a secretária de Educação.
 
Para dar ainda mais dinamicidade ao evento, foram criados espaços de pintura corporal, o que atraiu uma grande quantidade de crianças. Outro espaço que foi apropriado pela FLOR foi o Cine Teatro Oeiras, onde foram apresentados dez espetáculos teatrais, sendo na sua maior parte de alunos da rede municipal de ensino.
 
“A escolas municipais de Oeiras estão de parabéns. O projeto de leitura “Aprendendo com Maurício de Sousa” mostra que é possível se fazer educação de maneira equânime. Incentivar a leitura é a forma mais eficaz de disseminar cultura e valores, incitar a imaginação e despertar a criatividade”, pontuou Tiana Tapety.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com