Cidadeverde.com

Indústria de material para parques eólicos é inaugurada em Paulistana

O Piauí tem ganhado destaque quando o assunto é energia renovável. E isso fez dele, um dos maiores produtores de energia limpa do Brasil, o que tem atraído novos investimentos, como é o caso da empresa Rutten – Rudloff Protende Engenharia, que inaugurou na manhã dessa quarta-feira (05), uma filial no município de Paulistana, há 470 km de Teresina.

A vinda da fábrica reflete geração de emprego, renda e aumento da circulação monetária na região. O objeto principal da instalação, é que a indústria produza equipamentos que façam parte da montagem das torres eólicas do parque eólico de Lagoa do Barro, município próximo de Paulistana, como concreto protendido, aparelhos de apoio metálico, emendas para barras de aço, usinagem, torres eólicas de concreto e componentes metálicos para torres eólicas.

A Rudloff Industrial Limitada é uma empresa já consolidada no mercado brasileiro, referência no setor de soluções em engenharia e atenderá a Acciona, empresa de energia eólica, prometendo gerar mais 30 empregos diretos e uma produção de 230 torres por ano, sendo que cada uma leva seis cabos que podem pesar até três toneladas.

De acordo com Igor Neri, secretário do Desenvolvimento Econômico, a empresa Rutten enxergou no Piauí, um grande potencial em energia renovável. "Ao perceber o grande potencial do estado em energias limpas, a empresa procurou uma parceria. Com isso, a Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE), deu todo o suporte e iniciou um trabalho no sentido de trazer a Rudloff de fato para o estado, não só para produzir as torres de Lagoa do Barro, mas também para projetos futuros na região, que foi o caso de Paulistana", disse ele.

Para o governador do Estado, Wellington Dias, a vinda da indústria para o Piauí vai gerar muita competitividade, o que é bom para o Estado e o coloca em um lugar de destaque. “A Rutten produz cabos para vários usos, um deles são os cabos que são colocados nas torres de energia eólica para sustentar a força e o peso da mesma. Tudo será produzido em Paulistana, onde aqui a gente já fornece para a empresa Nordex e Acciona, que por exemplo, estão na região de Lagoa do Barro. Já fornecemos para o Rio Grande do Norte a partir de Paulistana, e vamos fornecer para outros estados do Brasil e também para o exterior. Fico feliz por uma indústria que irá gerar emprego, renda e desenvolvimento para nosso estado, e com certeza ajudará a dar cada vez mais competitividade para o Piauí, para o Nordeste e para o Brasil, com produtos de qualidade e com um preço mais acessível”, ressaltou Dias.

Da Redação
[email protected]