Cidadeverde.com

Conferência define ações para a rede de proteção da criança e do adolescente em Piracuruca

Todos os profissionais da rede de proteção da criança e do adolescente que atuam em Piracuruca se reuniram para debater ações que deverão ser implementadas no sentido de promover garantias e direitos a esse público no município.

Para Anne Mary Cerqueira, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Piracuruca, a Conferência é momento de apresentar à comunidade os serviços que o Conselho pode oferecer para a proteção e a garantia dos direitos da criança e do adolescente. A 7ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente foi realizada na Usina de Cultura, no mês de junho.

“É importante mobilizar, sensibilizar e informar a comunidade quanto à importância da atuação do Conselho em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social, conselheiros tutelares de nosso município e Ministério Público. A comunidade atendeu ao convite e muitos chefes de família compareceram à Conferência. Esta participação popular é essencial, pois a comunidade é um agente multiplicador de informação e assim poderemos oferecer uma rede de proteção coesa para resguardar e garantir os direitos de nossas crianças e adolescentes”, avalia.
 
Para a Marineusa Menezes, secretária municipal de Assistência Social, a conferência é uma oportunidade de alinhar as ações de toda a rede de proteção da criança e do adolescente em Piracuruca. ”Com todos os órgãos unidos e com o apoio da população, teremos condições de resguardar os direitos e oferecer ações sociais que promovam a cidadania”, completa.
 
Fortalecimento de vínculos e combate ao abuso sexual
 
A conselheira tutelar Andressa Amaral destaca que os cinco profissionais do Conselho Tutelar que atuam no município têm focado as ações no fortalecimento dos vínculos familiares, a fim de afastar os jovens dos perigos das drogas e da violência.
 
“Atualmente, a maioria dos atendimentos que fazemos é para o fortalecimento de vínculos das famílias. Muitas crianças deixam de frequentar a escola, passando muito tempo na rua expostas aos perigos que estes ambientes oferecem. A Secretaria de Educação e os professores têm sido os nossos parceiros nesta ação nos relatando estes casos. A partir disto, procuramos a família para reinserir o menor ao núcleo familiar e para que ele retorne à escola”, explica.
 
Outro campo de atuação do Conselho Tutelar de Piracuruca é o combate ao abuso sexual. A conselheira Andressa Amaral destaca que o desafio é desconstruir uma cultura enraizada no interior das cidades brasileiras segundo a qual muitas crianças a partir de 12 anos já começam a ter relacionamentos amorosos e, por consequência disso, iniciam a vida sexual.
 
“Relacionamentos amorosos e relações sexuais com menores, hoje, já são considerados crimes. O nosso desafio é informar a sociedade para que esta cultura, que era aceita até bem pouco tempo atrás, seja desconstruída. Muitas vezes, o menor vítima não entende que está sendo abusado. Quem comete o abuso também não tem essa percepção. Somos cinco conselheiros em Piracuruca e consta em nosso plano de trabalho reduzir os casos de abusos da criança e do adolescente em nosso município”, finaliza.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com