Cidadeverde.com

Preso suspeito de tentar matar ex-esposa e ameaçar filhas

(Foto: Reprodução Facebook/ Anita Ferreira)

MATÉRIA AMPLIADA ÀS 12H46

Por volta das 10h30, desta terça-feira (09), a Polícia Militar prendeu o suspeito de tentar matar a ex-esposa no fim de semana e ameaçar de morte as quatro filhas. José Pereira de Oliveira foi preso no centro da cidade de Piracuruca, ao Norte do Estado, após perseguição. 

"Desde o crime, a PM está em diligência tentando localizá-lo e sempre com ajuda da população que estava aterrorizada, pois havia informações de que ele pretendia invadir a escola para matar as filhas. No momento da prisão, o suspeito não parecia sóbrio e reagiu. Tivemos que usar moderamente a força para imobilizá-lo", disse o sargento Benedito Vaz, da PM de Piracuruca. 

Ao ser preso, José Pereira permaneceu em silêncio e foi encaminhado à delegacia. 

 

MATÉRIA PUBLICADA ÀS 10H30

A autônoma Anita Ferreira de Sousa Oliveira, 34 anos, está hospitalizada após uma tentativa de feminicídio no último domingo (07), na cidade de Piracuruca, ao Norte do Piauí. A vítima estava em casa quando foi surpreendida com uma facada no peito desferida pelo ex-marido identificado como José Pereira de Oliveira. 

O caso está sendo acompanhado pela Frente Popular de Mulheres Contra o Feminicidio, que acompanha mulheres vítimas de violência no estado. Segundo Alana Freitas, membro do grupo, a vítima mantinha um relacionamento abusivo com o agressor desde os 13 anos de idade. Os dois têm quatro filhas com idades de 8, 11, 17 e 19 anos. 

"Ele já foi preso duas vezes por lesão corporal. Na primeira vez, agrediu a filha com um murro e ela [filha] a denunciou, mas depois retirou a queixa. Tempo depois, ele agrediu Anita a socos e com uma faca e foi preso pela segunda vez por cerca de um ano. Foi solto em 27 de março e no dia 07 de abril tentou matá-la com uma facada", conta Alana Freitas. 

Madalena Nunes, que também é membro da Frente, cobra medidas efetivas do estado para preservar a vítima. Segundo ela, Anita não teria sido avisada da soltura do suspeito. 

"Ele estava preso desde março do ano passado. O problema é que o Estado solta e não dá garantia de vida a vítima. Ele sequer poderia se aproximar dela ou das filhas porque existe uma medida protetiva. O poder público tem que cumprir o seu papel. Acredito que mulheres são mortas por conta da omissão do poder público, pois existe uma legislação, mas a mesma não é cumprida. Ele não poderia ter sido solto, sem a Justiça avisá-la", defende Nunes. 

Anita sofreu uma perfuração de cerca de 5 centímetros no peito e permanece internada. Até a manhã desta terça-feira (09), o suspeito ainda não tinha sido localizado. O caso é investigado pela Polícia Civil de Piracuruca. 

"Fomos atrás de pedir a prisão. O que ele fez foi um ato de extrema violência e ele não pode ficar solto. É uma pessoa fria e mesmo depois de esfaquear a Anita, continua ameaçando as filhas", finaliza Alana Freitas. 

O que a gente tem colocado é que o estado tem que fazer campanha em massa, esclarecendo sobre as leis que protegem as mulheres. Não podemos deixar isso acontecer", completa Madalena Nunes. 

Em todo o estado, nove mulheres foram mortas em 2019, sendo que cinco foram vítimas de feminicídio, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Piauí.

 

COMO DENUNCIAR

Denúncias de violência física, moral ou psicológica contra mulheres podem ser denunciadas às autoridades policiais através do aplicativo Salve Maria ou pelo 181, disque denúncia do DHPP. A identidade do denunciante é mantida em sigilo.


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com