Cidadeverde.com

Incêndio na região da Serra da Capivara destruiu 1.300 hectares, diz ICMBio

Fotos: Joaquim Neto

O incêndio que atingiu o entorno do Parque Nacional da Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato, destruiu uma área de aproximadamente 1.300 hectares. A informação é do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela unidade de conservação. Se tivesse sido no perímetro do parque, o fogo teria devastado 10% do seu território, que chega a 130 mil hectares.

Fotos aéreas divulgadas pela prefeitura de São Raimundo Nonato mostram o rastro de destruição deixados pelas chamas.  “Ainda estamos concluindo o levantamento, mas já podemos dizer que 1.300 hectares fora atingidos fora do parque”, informa a  a coordenadora Regional do ICMBio, Ana Célia Coelho.

Segundo a coordenadora, o fogo que teve início no domingo já foi totalmente debelado. Na tarde de ontem, a equipe da Força Tática do Maranhão sobrevoo a região e não encontrou mais focos de incêndio, nem mesmo fumaça.

Uma equipe de 40 brigadistas trabalhou para debelar os focos de incêndio. Duas aeronaves, sendo uma do Maranhão, ajudaram no combate às chamas. 

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Incêndio na região da Serra da Capivara foi controlado, diz ICMBio

  • ea0e2726-9174-4017-9aad-b8583b6a7e0e.jpg
  • d19d66b5-8fbf-41ba-b6ed-c4c98e5c0dfe.jpg
  • 65e884fc-fa79-4757-b675-512499f54e54.jpg
  • 6a5847f1-983c-42c0-b204-5e5cf1e405fc.jpg
  • 1ab80ac1-9301-4e69-97e5-b31c1eac331f.jpg
  • 61436554-bcc5-4a0d-882a-e2971adc0d62.jpg

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) garantiu, no final da tarde desta segunda-feira (23), que o incêndio ao redor do Parque Nacional Serra da Capivara está controlado e não corre mais risco de expansão. A mata na região queima desde ontem e o fogo já ameaçava o perímetro da unidade de conservação.

“O incêndio está contido, está controlado, mas ainda os brigadistas estão apagando pequenos focos que ficam. O fogo não chegou a entrar no parque”, explica a coordenadora Regional do ICMBio, Ana Célia Coelho.

O fogo atingiu principalmente a região conhecida como “Baixão das Andorinhas” e, por conta do declive, as chamas não entraram no parque. “O fogo pegou o Baixão das Andorinhas, uma região bem próxima, mas como o baixão é grande, o fogo não entrou no parque”, explica.

O Baixão das Andorinhas é uma região mais distantes da sede do Parque. Lá, o visitante, quando consegue chegar, assiste uma dos espetáculos mais bonitos da natureza. Todos os dias, no final da tarde, centenas de andorinhas descem em voos rasantes para dormir na caverna que existe no local. 

Uma equipe de 40 brigadistas trabalha para debelar os focos de incêndio que ainda persistem. Duas aeronaves, sendo uma do Maranhão, ajudam no combate às chamas. O ICMbio disse que só fará uma avaliação dos estragos causados assim que o fogo for totalmente apagado.

“Nós já pedimos um levantamento, mas tem muito declive, área de encosta. A equipe está voltada para debelar o fogo. Ainda não deu para avaliar a situação de perda de animais. Não deu para fazer uma avaliação ainda do estrago na fauna e flora, só quando o fogo estiver terminado”, finalizou a coordenadora.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Duas aeronaves combatem incêndio na região da Serra da Capivara

  • capivara8.jpg
  • capivara7.jpg
  • capivara6.jpg
  • capivara5.jpg
  • capivara4.jpg
  • capivara3.jpg
  • capivara2.jpg
  • capivara.jpg

Os brigadistas da Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) informaram ao Cidadeverde.com que novos focos de incêndios voltaram a preocupar ao redor do Parque Nacional Serra da Capivara agora por volta das 13h. 

O fogo já estava controlado, mas o clima seco e quente está favorecendo novos incêndios.  As duas aeronaves continuam atuando na região.   

Atualizada às 12h

Duas aeronaves já estão em São Raimundo Nonato ( a 517 km de Teresina) para combater  o incêndio que já dura deste ontem (22) na região do Parque Nacional Serra da Capivara. O fogo teve início fora do parque - na região da Serra do Gringo - mas conseguiu chegar em trechos do Baixão das Andorinhas. 

 A arqueóloga Niède Guidon informou ao Cidadeverde.com que o incêndio foi contido na madrugada deste domingo, mas devido a ventos fortes houveram novos focos de incêndios.

"O incêndio foi controlado, mas ainda tem muita fumaça e como está muito seco e ventos fortes ainda têm focos de incêndios. O fogo no Baixão das Andorinhas foi controlado, mas é preciso apagar tudo", informou Niède Guidon, que ainda não sabe precisar os prejuízos.

O Baixão das Andorinhas é uma região mais distantes da sede do Parque. Lá, o visitante, quando consegue chegar, assiste uma dos espetáculos mais bonitos da natureza. Todos os dias, no final da tarde, centenas de andorinhas descem em voos rasantes para dormir na caverna que existe no local. 

Mais de 50 brigadistas de São Raimundo Nonato e Caracol trabalham no incêndio. Mais de 90% do fogo foi contido. Foram convocados também brigadistas do Maranhão. 

O local é de difícil acesso e por isso é necessário a presença das aeronaves. 

Carros-pipas estão no aeroporto para abastecer as aeronaves que sobrevoam jogando água nos focos de incêndios. 

Segundo a coordenadora Regional do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Ana Célia Coelho, a prioridades é conter os focos de incêndios. Ele informou que o presidente nacional do ICMbio, Ricardo Soavinski, ligou para a gerência no Estado e determinou prioridade as ações na Serra da Capivara. A preocupação do presidente é não chegar a situação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Góias, que o fogo já destruiu 35 mil hectares. 

 

Flash Yala Sena

yalasena@cidadeverde.com

Brigadistas do Maranhão ajudam controlar incêndio na região da Serra da Capivara

  • ea0e2726-9174-4017-9aad-b8583b6a7e0e.jpg
  • d19d66b5-8fbf-41ba-b6ed-c4c98e5c0dfe.jpg
  • 65e884fc-fa79-4757-b675-512499f54e54.jpg
  • 6a5847f1-983c-42c0-b204-5e5cf1e405fc.jpg
  • 1ab80ac1-9301-4e69-97e5-b31c1eac331f.jpg
  • 61436554-bcc5-4a0d-882a-e2971adc0d62.jpg

A prefeita de São Raimundo Nonato, Carmelita Castro, declarou que o fogo no Parque Nacional da Serra da Capivara está em uma região de difícil acesso. Ela informou ainda os guardas-parques estão ajudando os brigadistas para controlar o incêndio. Carmelita destacou que brigadista do Maranhão estão no local para reforçar a equipe piauiense e controlar as chamas. 

"O incêndio já está chegando ao baixinho das andorinhas, mas o helicóptero já chegou a jogar água na região. Essa é uma grande preocupação da Dra. Niede porque o fogo está lá e é uma região de difícil de acesso. É serra, não tem como o carro chegar até lá, tem que ser via área. Na madrugada ficou mais controlado, mas agora pela manhã já avançou mais devido a questão dos ventos. Está sobcontrole até o momento. Ninguém sabe dizer ao certo por onde começou".

Carmelita participa na manhã desta segunda (23) de uma reuniões de prefeitos na Associação Piauiense dos Municípios (APPM) em Teresina.  

A prefeita disse ainda que as chamas atingiram um restaurante, identificado como Canoas, que ficou totalmente destruído. Os guardas-parques estão ajudando e conduzindo o pessoal de fora. 

O secretário estadual do Meio Ambiente também foi ao local.

Início do incêndio 

Brigadistas do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) em São Raimundo Nonato (PI) controlaram, no início deste domingo (22), um incêndio que ameaçava atingir a área do parque nacional Serra da Capivara, que abriga inscrições rupestres no Sul do Piauí. A informação é de que as chamas começaram a se propagar no último sábado.

 

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

Brigadistas controlam incêndio próximo ao parque Serra da Capivara

  • ea0e2726-9174-4017-9aad-b8583b6a7e0e.jpg
  • d19d66b5-8fbf-41ba-b6ed-c4c98e5c0dfe.jpg
  • 65e884fc-fa79-4757-b675-512499f54e54.jpg
  • 6a5847f1-983c-42c0-b204-5e5cf1e405fc.jpg
  • 1ab80ac1-9301-4e69-97e5-b31c1eac331f.jpg
  • 61436554-bcc5-4a0d-882a-e2971adc0d62.jpg

Brigadistas do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) em São Raimundo Nonato (PI) controlaram, no início deste domingo (22), um incêndio que ameaçava atingir a área do parque nacional Serra da Capivara, que abriga inscrições rupestres no Sul do Piauí. 

Pedro Lopes, gerente do Prevfogo em São Raimundo Nonato, informou ao Cidadeverde.com que as chamas começaram a se propagar no último sábado e 18 brigadistas trabalharam até 2h da madrugada, retornando ao local às 5h da manhã, para conter as chamas e impedir que a Serra da Capivara fosse atingida. 

"A parte do parque está isenta, não foi atingida. Eles controlaram e foram evitando que chegasse ao parque. Agora o fogo em si não foi controlado totalmente ainda", disse Pedro Lopes. A intensidade do incêndio diminuiu, mas as chamas seguiram em direção à localidade Serra Vermelha - fora da homônima área que é protegida pelo parque da Serra das Confusões. 

Os brigadistas continuam na região, que é de difícil acesso. Uma equipe do Corpo de Bombeiros chegou ao local nesta manhã, mas o gerente do Prevfogo explicou que o caminhão não conseguirá acessar a área do incêndio. A ajuda esperada é de uma aeronave, aguardada por autoridades no aeroporto de São Raimundo Nonato. 

As primeiras informações recebidas pelo Prevfogo é de que um morador da região assumiu sua responsabilidade no incêndio. Ele ateou fogo para limpar uma área e fazer uma casa, mas teria sido surpreendido com uma rajada de vento, que ajudou a alastrar as chamas. O morador já teria se prontificado a explicar a situação junto ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

O vento forte é algo que ainda procupa os brigadistas, que seguem em alerta. "O parque está livre. Até agora não atingiu. Só se por acaso esse fogo se reacender lá onde ele iniciou, mas foi feito o controle dele agora pela manhã. A gente crê que não tem mais a possibilidade (de chegar ao parque). Mas como está ventando muito aqui na região, a gente não descarta", acrescentou Pedro Lopes.

O ICMBio, em parceria com a Universidade Estadual do Piauí (Uespi), tem visitado comunidades da região para conscientizar sobre os riscos de queimadas. Já foram realizadas reuniões em sete localidades, como Novo Horizonte, Serra Vermelha, Serra Branca e Sítio do Mocó, com orientações aos moradores. 

   Reprodução/Instagram


Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Familiares de guarda-parque morto na Serra da Capivara passam por necessidade


Familiares de Edilson dos Santos lamentam falta de assistência por parte da empresa

Os familiares do guarda-parque Edilson Pereira dos Santos, morto por caçadores no Parque Nacional da Serra da Capivara, denunciam que não receberam assistência financeira e psicológica da empresa para qual a vítima prestava serviço. Edilson foi morto há um mês, na localidade de Cambraia, território do município de João Costa, distante 514 km de Teresina. Outros dois vigilantes do parque também ficaram feridos durante a troca de tiros, e resistiram aos ferimentos.   O advogado da família Raimundo Diogenes informou que entrará com uma ação trabalhista contra a empresa. 

A esposa e os filhos de Edilson decidiram buscar ajuda de um advogado, pois, sozinhos, não conseguiam ter acesso a documentos para dar entrada a pensão, dentre outros trâmites burocráticos. A esposa Fabiana Torres disse ao Cidadeverde.com que chegou a tirar um empréstimo para conseguir velar e enterrar o marido. Com Fabiana, o vigilante teve um casal de gêmeos; as crianças estão com cinco anos. Edilson tem outros cinco filhos. 

“Não tivemos assistência de nada. É um descaso, absurdo. Precisamos de ajuda financeira e psicológica. Eu precisei de tratamento, mas meu filho estava com a situação mais delicada e precisou de mais tratamento. A empresa não enviou nenhum representante, nem no dia do velório nem agora. Meus parentes e amigos que estão me ajudando em casa porque nossa renda era do meu marido”, lamenta Fabiana.

Everton Santos da Costa, filho do guarda-parque, também reclama da falta de assistência da empresa, contratada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para vigilância e segurança do Parque Nacional. 

“Além da morte do meu pai estamos vivemos todo esse descaso com a nossa família. Até agora a empresa não se manifestou em nada para nos ajudar”, disse o filho. 

Ação trabalhista

O advogado da família, Raimundo Diogenes, disse que a empresa não tem representantes na cidade; o que dificulta a comunicação direta e repasse de documentação com praticidade. Ele disse ainda que o próprio ICMBio está ajudando no intermédio. 

“A família dependia da renda do guarda-parque, e eles moram numa localidade rural de São Raimundo, estão passando por dificuldades. Recentemente foram enviados a documentação solicitando uma pensão para a família. Estamos esperando a resposta do INSS (Instituto Nacional de Seguro Social)”, disse o advogado.

Diognes disse ainda que deverá ingressar nos próximos dias com uma ação trabalhista pelos direitos material e moral do vigilante, para maior assistência a sua família.  “Vamos entrar com essa ação devido à precariedade de trabalho que ele foi submetido por essa empresa”, acrescentou o advogado. 

O Cidadeverde.com tentou contato com a empresa, mas as ligações não foram atendidas. 

Nota do ICMBio

Desde que o ICMBio foi informado de seu  falecimento, temos procurado dar suporte à família. Não obstante as obrigações legais relacionadas às questões trabalhistas serem de responsabilidade da empresa Thor, contratada para prestação dos serviços de vigia/porteiro no Parque Nacional da Serra da Capivara. Desde que o instituto foi informado do incidente, deslocamos técnicos do ICMBio para a região, estivemos em contato os familiares das vitimas, com as instituições de atendimento médico do estado, com as forças policias e autoridades locais. Também acionamos e estamos acompanhando a empresa contratada para providenciar o pleno cumprimento das obrigações legais.


Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com

Após morte de vigia do parque, operação flagra caçadores na Serra da Capivara

  • caca11.jpg Fotos: PRF-PI
  • caca10.jpg Fotos: PRF-PI
  • caca09.jpg Fotos: PRF-PI
  • caca08.jpg Fotos: PRF-PI
  • caca07.jpg Fotos: PRF-PI
  • caca06.jpg Fotos: PRF-PI
  • caca05.jpg Fotos: PRF-PI
  • caca04.jpg Fotos: PRF-PI
  • caca03.jpg Fotos: PRF-PI
  • caca02.jpg Fotos: PRF-PI
  • caca01.jpg Fotos: PRF-PI

Terminou nesta semana a Operação Capivara, que durante quatro dias atuou na região do Parque Nacional Serra da Capivara, no Sul do Piauí, para coibir crimes ambientais. A ação foi deflagrada quase um mês após um vigilante da unidade de preservação ser morto por caçadores, no dia 18 de agosto. 

A operação ocorreu de 9 a 12 de setembro e contou com a presença da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar do Piauí e servidores do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Eles reforçaram a fiscalização nos 91 mil hectares do parque, que abrange os municípios de São Raimundo Nonato, Coronel José Dias, João Costa e São João do Piauí. 

De acordo com a PRF-PI, foram flagrados vários caçadores em busca de animais silvestres na região. Todos responderão pelos crimes ambientais cometidos. Uma espingarda de caça foi apreendida. 

Ambientalistas lutam contra a caça predatória na Serra da Capivara, cujas imagens rupestres podem ser perdidas se a cadeia alimentar for quebrada. O temor é que a morte de tatus e outros animais aumente a quantidade de insetos que podem prejudicar as pinturas. 

A operação ainda prendeu uma pessoa com 150 gramas de cocaína. Ela trafegava em um veículo na PI-140. 

São Raimundo Nonato recebe mutirão de exames práticos do Detran

O Departamento Estadual de Trânsito do Piauí (Detran-PI), por meio da Diretoria de Habilitação, realiza, nesta semana, nas cidades de São Raimundo Nonato e Floriano, testes de direção veicular para obtenção da 1ª Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Na cidade de São Raimundo Nonato, os exames serão aplicados de 12 a 15 de setembro, com capacidade diária de 50 testes duas rodas, categoria A, e 50 provas quatro rodas, categoria B, C, D e E.

Já na cidade de Floriano, a banca realiza, nos dias 14 e 15 de setembro, com capacidade diária de 150 exames duas rodas, categoria A, e 250 testes quatro rodas, categoria B, C, D e E.

A banca de avaliação de testes práticos do Detran, ainda em setembro, estará nas cidades de Piripiri, Picos, Campo Maior e Paulistana. “Nosso intuito é descentralizar os serviços da capital, proporcionando agilidade e acessibilidade aos candidatos que residem no interior do estado a retirada da primeira habilitação”, informa Sandro Alves, diretor de Habitação do órgão.

As bancas são compostas por 42 examinadores e 5 secretárias, designados conforme legislação, pelo diretor-geral do Detran, Arão Lobão, além de possuírem curso específico para o exercício da função.

Fonte: Ccom

E-mails revelam que guarda da Serra da Capivara havia alertado sobre risco de morte

E-mails revelam que um dos guardas ambientais do Parque Nacional da Serra da Capivara, ferido em uma atentado na semana passada, havia denunciado as condições de trabalho e a invasão de caçadores armados na região. Nas correspondências eletrônicas, enviadas no início deste ano, o guarda João Leite literalmente pedia 'socorro' ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que faz a fiscalização do parque. 

"Nossos contratos foram modificados, nossas armas foram tiradas, nossos salários reduzidos e quatro amigos de trabalho serão demitidos....o desequilíbrio ambiental será visível nos sítios arqueológicos", escreveu João Leite, um dos guardas ambientais que acabou ferido no atentado.

O e-mail foi enviado em fevereiro, mas a resposta do ICMBio só veio no mês de março. 

"Os serviços de vigilância e vigia, limpeza, motorista e apoio adminsitrativo da unidade estão sendo mantidos, mas para que a medida seja efetivada, garantindo a continuidade dos serviços ao longo do ano, sem cortes ou interrupção, considerando os ajustes de racionalização de serviços que passa o Governo Federal, foram necessários pequenos ajustes nos contratos", respondeu o órgão. 

Um dia após a correspondência eletrônica, mais uma vez, João Leite relatou a sensação de medo. 

"Desde o dia 1º de março, os caçadores invadiram o parque. Nas bases que têm funcionários da Fumdham. Os relatos são infinitos de avistamentos de caçadores... Não posso desistir de lutar por um patrimônio cultural que pertence ao povo brasileiro e que eu aprendi a amar e respeitar. Se o ICMBio não puder proteger, eu vou fazer ou morrer tentando", escreveu Leite por email.

Apesar dos sucessivos apelos do guardas, a situação não foi resolvida e as ameaças concretizadas. No última sexta-feira (18), caçadores armaram uma emboscada para os guardas, o que resultou em feridos e um morto.

"Eu vi que o órgão ambiental tinha sido avisado, inclusive por um dos guardas que sofreu o atentado. O órgão sabia o que poderia acontecer, sabia que os guardas estariam desarmados, sem coletes a prova de bala. Acho isso uma responsabilidade muito grande. É um crime. O Governo Federal precisa responder por isso", desabafa o fotógrafo André Pessoa, que tem mais de 25 anos de convivência com o parque. 

O fotógrafo destaca ainda que os guardas ambientais se sentem ameaçados e temem perder os cargos. 

"Existe um medo muito grande das famílias em São Raimundo, uma insegurança de que eles continuem desenvolvendo esse trabalho sem ter a garantia e segurança necessárias. Por outro, eu já tenho notícia de que tem uma equipe do órgão na cidade e a decisão é de acabar totalmente com a fiscalização", finaliza André Pessoa. 


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com
Com informações Notícia da Manhã

Alunos de São Raimundo Nonato recebem revisão do Enem

Alunos do município de São Raimundo Nonato e cidades vizinhas tiveram, nesse domingo (20), a oportunidade de reforçar a preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio no Pré-Enem Seduc. Durante quatro horas, o Ginásio Poliesportivo da cidade recebeu alunos das redes pública, privada e federal de ensino da região.

A ação da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) promoveu aos alunos a revisão das disciplinas de Química, Física, Matemática, Linguagens, Biologia e Redação. As revisões tiveram o suporte do Canal Educação. Presente à revisão, a secretária de Estado da Educação, Rejane Dias, destacou o esforço da Seduc para estar em todos os municípios visando descentralizar as ações do Pré-Enem Seduc.

"Iniciamos as grandes revisões no ano passado com uma quantidade significativa de alunos e este ano praticamente dobramos, e é isso que temos percebido. Cada vez que lançamos o Pré-Enem Seduc em uma determinada cidade, tem sido num sucesso. Temos feito parcerias com os municípios e as gerências mobilizando os nossos alunos dando condições com o transporte escolar para que eles tenham acesso à sede da cidade onde são realizadas as revisões", disse Rejane.

Os alunos tiveram à disposição a mesma estrutura presente nas revisões de Teresina com a entrega, gratuita, de material didático e lanche no intervalo. Ainda em alusão ao "Mês do Estudante", foram realizados sorteios de brindes aos presentes no ginásio.

A aluna do Cemti Moderna, Mikaelly dos Santos, que sonha em cursar medicina, foi a ganhadora de um dos brindes sorteados na revisão. Para ela, o Pré-Enem Seduc está sendo importante para auxiliar no estudo diário e incluir o acesso aos conteúdos.

"No dia a dia, sofremos com os conteúdos, às vezes estudando por 10 horas e, quando chegamos aqui, percebemos que não estamos só nesta situação. Os professores ajudam muito nas dúvidas. Esse projeto é importante para a gente e dá uma motivação a mais para estudar, correr atrás e ver que é possível. Para quem sonha cursar medicina e competir com alunos das escolas privadas, temos que estar muito à frente e este método de estudo facilita. Por exemplo, eu gosto de matemática e química, e com as dicas do professor ficou bem mais fácil estar atenta e resolver as questões", disse a aluna.

Pré-Enem Seduc PPL
Simultaneamente à revisão Pré-Enem Seduc, foi realizado, na Casa de Detenção Provisória de São Raimundo Nonato, o Pré-Enem Seduc PPL, iniciativa que prepara as pessoas privadas de liberdade para o Exame Nacional do Ensino Médio. 

A ação se dá por meio da parceria entre a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), cujo objetivo é ampliar as oportunidades de educação para esse público.

Fonte: Ccom

Posts anteriores