Cidadeverde.com
Diversidade

Conselho Estadual de Direitos Humanos elege nova diretoria

O Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanosb- CEDDH elegeu nova diretoria para o biênio 2019/2011. Em reunião plenária realizada ontem (31-01) foram escolhidas as Conselheiras Marinalva Santana (Presidente), Andreia Marreiro (Vice-presidente) e Angélica Coelho (Secretária Geral).

 

O pleno do CEDDH também deliberou sobre as prioridades  de ações  para 2019. Uma das metas a serem alcançadas é a realização de campanha de conscientização sobre a importância dos Direitos Humanos para a construção de uma cultura de paz.

 

09 Lgbts foram assassinados em 2018 no Piauí

O Grupo Gay da Bahia (GGB) divulgou  relatório com levantamento de mortes de pessoas LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), ocorridos durante o ano de 2018. Foram contabilizados 419 assassinatos e suicídios de LGBT que tiveram suas vidas ceifadas por conta da discriminação.

Segundo o relatório, a cada 20 horas, um LGBT morre de forma violenta, vítima de LGBTfobia, o que faz do Brasil o campeão mundial de crimes contra esse segmento populacional. Das 419 vítimas,  191 das vítimas são gays; 164, travestis e transexuais; 52 são lésbicas e  8 bissexuais. O relatório contabiliza ainda 5 heterossexuais, confundidos com homossexuais ou por estarem na cena do crime com as vítimas LGBT.

 

No Piauí, foram registrados 9 crimes, 6 a mais que em 2017 (3 homicídios).  Proporcionalmente, o Estado ocupa a 10ª posição, se considerado o número de vítimas para cada um milhão de habitantes.   Em 10 anos, foram registras 69 mortes violentas de LGBT no Piauí.

Os assassinatos se caracterizam por serem praticados com requintes de crueldade, muitos golpes, múltiplos instrumentos, tortura, incêndio do cadáver.

 

SOBRE O RELATÓRIO:

Desde 1980, o GGB faz o levantamento de mortes violentas contra LGBT. O estudo realizado pela entidade utiliza como base notícias divulgadas por veículos de imprensa e dados enviados por ONGs.

Até 2015 eram computados somente assassinatos. Em 2016, os relatórios passaram a incluir os suicídios. A justificativa para tal inclusão é o fato de estudos científicos apontarem que LGBT , " têm 6 vezes mais chance de tirar a própria vida, em relação a heterossexuais, com risco 20% maior de suicídio quando convivendo em ambientes hostis à sua orientação sexual ou identidade de gênero. Portanto, suicídios de pessoas LGBT, sobretudo jovens, sempre devem ser qualificados como potencializados pelo preconceito e discriminação por sexo e gênero, devendo constar nos relatórios de mortes desse segmento juntamente com os homicídios".

Bate-papo: Respira, Não Pira - Cuide da sua saúde mental

Bate-papo tematizando a saúde mental acontecerá neste domingo(27/01), às 8h, no  Cemitério Jardim da Resurreição. É uma ação dentro  do Janeiro Branco,  mês de conscientização  sobre os cuidados com a saúde sócio-psico-emocional. O mediador será  professor de meditação Yako Guerra.

De acordo com o #Cemi, como é conhecido nas redes sociais, a vida atribulada, as pressões da sociedade e as cobranças pessoais têm deixado muita gente “desgraçada da cabeça”, com estresse, depressão, ansiedade e outros transtornos mentais. A sociedade está doente, mas em vez de procurar ajuda profissional, recorre à automedicação.

Além do bate-papo, os participantes vão experimentar uma aula prática de meditação mindfulness para iniciantes, que segundo pesquisas, é “um santo remédio” para os males da alma e que também afligem o corpo.

Participantes estão convidados a irem de branco para o evento.  O Cemitério Jardim da Ressurreição fica localizado na Avenida Mirtes Melão, 6516, no Bairro Gurupi, zona Sudeste de Teresina.

Ações

O Cemitério Jardim da Ressurreição tem desenvolvido ações  de valorização da vida, buscando discutir temas atuais e importantes para a sociedade, como machismo, homofobia/ transfobia, suicídio, saúde mental, dentre outros.

 

Janeiro Branco

O primeiro mês do ano é dedicado à conscientização dos cuidados com a saúde mental. A campanha, criada em 2014, em Minas Gerais, por psicólogos brasileiros, também tem como objetivo abrir novas possibilidades para tratamentos nos aspectos emocionais e mentais da nossa vida!

De acordo com a psicóloga Gabriela Bandeira, Janeiro Branco é uma campanha criada e promovida por psicólogos com o propósito de convidar a população a discutir a importância do cuidado com a saúde mental em busca de mais felicidade e qualidade de vida. O mês de janeiro foi escolhido, pois representa, simbólica e culturalmente, um mês de renovação de esperanças e projetos na vida das pessoas. Muitas vezes, ao fim de cada ano, fazemos avaliações de como foi o ano que passou e de como queremos que o próximo seja, e a campanha propõe o debate e o planejamento de ações em prol de sua saúde mental. Com a campanha pretende-se difundir um conceito ampliado de saúde mental e saúde emocional, como um estado de equilíbrio.

 

Livro "Escola: Tempo das Coisas" convida leitores/as a pensar sobre famílias, Amor e Educação

O Escritor, educador, teólogo e psicanalista, Rubem Alves, tem a sabedoria de expressar as gentilezas e sensibilidades do mundo ao declarar: “O ato de ouvir exige humildade de quem ouve. E a humildade está nisso: saber, não com a cabeça mas com o coração, que é possível que o outro veja mundos que nós não vemos.”

 Neste sentido, a obra ‘Escola: Tempo das Coisas’, de Josilene Neres, também é uma narrativa que convida pais, educadores/as, pedagogo, crianças, jovens e a sociedade em geral   para   o exercício de um escuta sensível,   acolhedora e respeitosa através do diálogo e convivência com as diferenças.   

O lançamento do livro será nesta quarta-feira(23/01), às 10h, no auditório do CENAJUS. Na ocasião, uma roda de conversa e autógrafo com a autora, a Profa. Drª Shara Jane Holanda Costa e o ilustrador Jota A. A escritora é Assistente Social e chefe da Divisão Pedagógica da Fundação Wall Ferraz.

‘Tempo das Coisas’ é uma narrativa infanto-juvenil permeada pela experiência dolorosa  do abandono de duas crianças e posteriormente o processo positivo de  acolhimento e adoção das personagens em núcleos familiares distintos.

No enredo, a  garota, uma da protagonistas da história, experiencia as relações de amor e cuidado com avó e tias como mães. O garoto tem na família homoafetiva o acolhimento socioemocional. No ambiente escolar, as crianças-protagonistas   convivem com outras das quais percebem-se como modelo familiar ‘padrão’.

Neste cenário narrativo, a obra  já instiga aos leitores/as a refletir sobre: o que pauta as relações familiares? Como desenvolver laços de socio-parentalidade mais respeitosos? A escola, como lugar de aprendizagens significativas, proporciona convivência com pluralidade de sujeitos e experiências familiares? Como a interação com as diferenças permitem caminhos de autoconhecimento e empatia?

Mergulhar na trama dos protagonistas pode revelar novos olhares sobre si mesmo, sobre o mundo ao redor e como descortinar relações humanas de respeito ao outro em toda sua singularidade e beleza. O poeta Belchior provoca em seus versos também essa constatação  sobre redescobrir o mundo: você não sente nem vê/mas eu não posso deixar de dizer meu amigo/Que uma nova mudança em breve vai acontecer/E o que há algum tempo era jovem e novo/ Hoje é antigo/E precisamos todos, todos rejuvenescer”.

Por Herbert Medeiros

Projeto da Casa de Reencontro leva amor e acolhimento para Crianças

“Onde Houver tristeza, que eu leve a alegria/Onde houver desespero que eu leve a esperança/Fazei que eu procure mais: consolar que ser consolado/compreender que ser compreender/amar que ser amado”. As palavras iluminadas da Oração de São Francisco  estão em sintonia com o Projeto de Voluntariado da Casa de Reencontro, vinculado à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas.

A Casa de Reencontro atua com acolhimento de crianças de 0 a 12 anos separadas judicialmente de suas famílias devido à maus tratos, abandono, negligência e outras situações. Em tais circunstâncias, as famílias ficam impedidas provisoriamente de desempenhar função de cuidadoras.  

O projeto visa promover ações para estimular o conceito de voluntariado bem como de responsabilidade social na Casa de Reencontro. Também deseja oportunizar espaços de atuação, agregando ações voluntárias.  A realização de atividade artísticas, recreativas, leituras, rodas de conversa, música e esporte integram ainda o cardápio de iniciativas.

A linha de ação do Projeto tem duas frentes: Apadrinhamento Afetivo e/ou Provedor. O primeiro representa a necessidade das crianças terem acesso à relações familiares e comunitárias, via visitas , passeios no fim de semana ou férias escolares e também orientar o afilhado/a nas suas vivências e situações de vida. O segundo busca sensibilizar aqueles/as que possam contribuir financeiramente para garantir a uma criança bens materiais para estudar, se vestir, ter acesso à cultura e lazer.

Por Herbert Medeiros

Empoderamento Feminino: Lugar de mulher é onde ela quiser

  • Empoderamento_9_Edit.png Fonte: banco de imagens web
  • empoderamento_11.jpg Fonte: banco de imagens web
  • empoderamento_10.png Fonte: banco de imagens web
  • empoderamento_8jpg.jpg Fonte: banco de imagens web
  • empoderamento_7.jpg Fonte: banco de imagens web
  • EMPODERAMENTO_6jpg.jpg Fonte: banco de imagens web
  • EMPODERAMENTO_5jpg.jpg Fonte: banco de imagens web
  • EMPODERAMENTO_4jpg.jpg Fonte: banco de imagens web
  • EMPODERAMENTO_3.jpg Fonte: banco de imagens web
  • EMPODERAMENTO_2.jpg Fonte: banco de imagens web
  • EMPODERAMENTO_1.jpg Fonte: banco de imagens web

Liberdade é ser capaz de amar sem pertencer e viver sem dominar

 

 

Folia de Reis é celebrada no Parque da Cidadania

Com um clima de alegria fraternal, cantos, danças e   celebração das boas novas, a festa de Santo Reis* aconteceu ontem(05/01) no Parque Cidadania. A festança representativa da cultura popular brasileira contou com a presença dos Reisados: Boi Estrela e Reis de Ouro. A banda Valor de PI também contagiou o público. A atividade tinha apoio da Fundação Monsenhor Chaves.

A apresentação dos reisados foi um momento singular da festividade. Ao som das canções, os personagens bailavam e irradiavam alegrias e encantos para plateia. A ambientação lúdica levou também  a criançada  presente ao evento a se  divertir e brincar junto com artistas que performatizavam a folia.

A Banda Valor de PI energizou participantes com cirandas, forró e ritmos nordestinos  populares.

*Folia de Reis

Festra tradicional de expressão da cultura popular com raízes na religiosidade cristã portuguesa e espanhola e trazida ao Brasil provavelmene no século XIX. Tem como norte a celebração da visitia dos três reis magos ao menino Jesus. É celebrada   de 24 de dezembro (nascimento de Jesus) até dia 06 de janeiro (Reis cheam a Belém).

A festa de Reis caracteriza-se pela presença de mestre ou embaixador, contramestre, os três reis magos, os palhaços, os alfeires e os foliões. Nas festividades acontecem desfiles pelas ruas com fantasias coloridas, músicas tipicas e diversos instrumentos: violas, tambores, sanfonas, pandeiros, gaitas etc. A dança também integra o festejo. 

Por Herbert Medeiros

 

 

A Artista Chandelly Kidman é atração em filme do Netflix

“A alegria é a prova dos nove” como poetizou Oswald de Andrade.  Estar alegre é um elixir para tornar potente a existência em todas suas formas de expressão. Nesse sentido, o  trabalho da exuberante   Chandelly Kidman,  Drag Performática de Teresina, simboliza também  essa força potencializadora para semear o prazeroso ato de alegrar e encantar vidas.

E para saborear os encantos do trabalho da artista,   acompanhar o minidocumentário realizado pela Netflix, maior plataforma global  de serviços de filmes e séries.  O filme integra ação da Netflix  para celebrar mês da Consciência Negra com websérie denominada ‘Os Originais” e está   veiculado no  Facebook e YouTube.  

A narrativa fílmica desvenda os processos de metamorfose do jovem Dackson Mikael para personificar a deslumbrante Chandelly Kidman, a super-heroína que baila  com suas asas e alegra o  imaginário de crianças hospitalizadas  por problemas de saúde. A personagem encarna, através de  projeto social,  a iniciativa de levar amor e felicidade para o universo infantil.

Para viajar nesse universo mágico, veja filme abaixo. 

Por Herbert Medeiros

Sociedade Civil e Poder Público participam de Ato em Favor dos Direitos Humanos

  • Foto_8.png Herbert Medeiros
  • FOto_7.png Herbert Medeiros
  • Foto_6.png Herbert Medeiros
  • foto_5.png Herbert Medeiros
  • foto_4.png Herbert Medeiros
  • foto_3.png Herbert Medeiros
  • foto_2.jpg Herbert Medeiros
  • foto_1.png Herbert Medeiros

No dia Internacional dos Direitos Humanos(10/12), organizações da Sociedade Civil, ativistas e instituições públicas participaram, no Palácio do Karnak,  da Assinatura do Acordo de Cooperação Técnica entre Órgãos e Entidades no Estado do Piauí para Formação da Rede de Promoção e Defesa de Direitos  no Âmbito Estadual. A ocasião também foi momento de posse d@s  representantes do poder público e sociedade organizada no Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos (CEDDH).

O Acordo de Cooperação Técnica expressa aos participantes a necessidade de promover intercâmbio de informações de forma ágil,  bem como compartilhamento de dados e documentos, autorizando acessos e recebimentos que se fizerem necessários, assegurando, contudo, as políticas de segurança de cada órgão. Também visa uniformizar ações a fim de fortalecer a rede de proteção dos Direitos Humanos(DH).

A representante do Ministério Público Estadual, promotora Mirian Lago, destaca que  a assinatura do acordo é importante pois garante mais  visibilidade a todos os órgãos que trabalham com a promoção e defesa dos DH. Ressalta ainda que o objetivo   principal da Rede  é integrar as instituições para que a promoção das ações seja mais efetivas e ofereça resposta que a sociedade precisa diante das violações de direitos.

Marinalva Santana, ativista do grupo Matizes, expressou o desejo de que o Acordo não fique somente no papel mas que tenha efetividade para atender demandas sociais. A ativista salientou também  que o Estado reverta a situação de violador de direitos para  o papel  de   protetor dos Direitos da Pessoas Humana.

A representante do Matizes  também espera que conselheiros/as do CEDDH  tenham serenidade e compromisso para enfrentar o momento adverso do país e atuar  de forma articulada e inteligente para promover Direitos Humanos.

A Rede de Defesa e Promoção dos DH é formada por: OAB, Ministério Público Estadual, Secretaria de Segurança Pública, Secretaria de Justiça do Estado do PI, Secretaria de Assistência Social e Cidadania, Secretaria Estadual de Educação, UFPI, UESPI,  Instituto Federal de Educação (IFPI), Defensoria Estadual e Defensoria da União, Secretaria Estadual de Inclusão da Pessoa com Deficiência, Coordenadoria de Políticas Públicas para Mulheres, Tribunal de Justiça do Estado do PI, Conselho Regional de Psicologia.

Posts anteriores