Cidadeverde.com
Diversidade

Sujeitos Assexuais: o amor fala todas a línguas

Por Herbert Medeiros 

Os/as sujeitos  LGBTQIA+ tem percursos de vidas assemelhados/as em muitos aspectos: opressão, discriminação, preconceito, violências institucionais e estruturais, intolerância no ambiente familiar.  Mas as experiências, sabores e dissabores não se constituem somente a partir de um sopa de letrinhas como se imagina: há entre todos/as nós  um modo de existência, viver, amar, odiar, sentir, se relacionar consigo e o mundo.

E quando  se pensa em pessoas Assexuais, ninguém sabe, ninguém viu. Mas sim, eles/elas existem aos milhões e estão em qualquer  espaço com sua subjetividade dinâmica e complexa:  nas  famílias, na escolas, empresas, esportes, nas artes.  Em cada área onde estejam, contribuem de forma particular nas  interações cotidianas, nos apontando múltiplos caminhos de ser/estar na vida.

Como toda a gente: Amam, se apaixonam (ou não), desejam, se sensibilizam, odeiam/perdoam,  têm múltiplos interesses (e são interessantes), viajam, se relacionam, beijam, são românticos (ou não). As tentativas de pensamento enquadramento  moralista sempre empobrecem nossas possibilidades de conhecer o/a outro/a em sua pluralidade. Rotulemos menos, convivamos mais com as diferenças.

 E também é mister ressaltar, tal qual a qualquer sujeito vivente, são atravessados/as por indagacões/conflitos morais, espirituais, familiares, existenciais. E a melhor alternativa para ampliar nosso horizonte de amar aos que pensam/vivem em linha contrária ao nosso modo de existir seria exercitando o acolhimento e diálogo respeitoso.

 A experiência amorosa e dos prazeres são usufruídas de diversas formas, atravessando diversas instancias da vida, sendo a vivência da sexualidade e da vida sexual expandida para além dos padrões rígidos codificados pela cultura e pelo social.

Os sujeitos  Assexuais  não são aquele ser exótico, diferentão. São pessoas prosaicas  - e nada demais se quiserem  ser diferentão também. Conviver com o semelhante é parte de nossa experiência comunitária de estar alinhado com iguais.

Mas estar aprisionado somente às bolhas do pensamento único atrofia a tolerância, o crescimento espiritual/existencial e a capacidade de abrir janelas de aprendizagem na convivência com os diferentes.

 Por fim, a assexualidade está em nós amadas/os: temos momentos ou períodos da vida em que a experiência sexual - por razões diversas - está subtraída do cotidiano e a vida segue de boa. Casais também  têm essa experiência, sem ser necessário   atribuir a tal condição  um rótulo  classificatório como forma patologizar ou achar quem é caso clínico - vamos com calma nesse campo.

 Cada SER traz em si unidade e pluralidade na suas andanças por essas trilhas do VIVER.  TODAS FORMAS DE AMAR VALE AMAR

Se Liga galera: Daniela Mercury é a atração principal da Parada da Diversidade 2022

A 20ª Parada da Diversidade de Teresina já tem data confirmada: 6 de setembro. O Grupo Matizes, responsável pelo evento, anunciou, neste sábado (6), que a atração nacional será a cantora Daniela Mercury.

A concentração da Parada será às 16h, em frente à Potycabana, com percurso que seguirá pela Avenida Raul Lopes até o estacionamento da Ponte Estaiada.

"A Parada acontecerá na véspera do 7 de Setembro, possibilitando que o evento se estenda até mais tarde e as pessoas possam curti-lo sem se preocupar, já que poderão descansar no feriado. E ter a Daniela Mercury com a gente é maravilhoso! Ela que é um dos nomes LGBTQIA+ mais relevantes da nossa música e fará um show emocionante e muito animado para o público de Teresina", diz a vice-coordenadora do Matizes, Marinalva Santana.

A Parada da Diversidade, que já é aguardada no calendário de eventos de Teresina, acontecerá dois anos após a última Parada presencial, em 2019.

SEMANA DO ORGULHO DE SER

A Semana do Orgulho de Ser será do dia 29 de agosto a 6 de setembro, e terá como tema "Vote por um Brasil de cores e a gente faz um país melhor".

"Nosso objetivo, neste ano de eleições, é conscientizar para a importância de apoiarmos pessoas que defendem a causa LGBTQIA+ e trabalham por um Brasil de respeito às diversidades", explica a vice-coordenadora do Matizes, Marinalva Santana.

Além de Teresina, este ano, a Semana do Orgulho de Ser terá programação em em Altos, Amarante e Floriano.

 

 

Matizes anuncia programação da Parada da Diversidade - Vai ser babado!!!!

O anúncio será feito durante a feijoada de lançamento da Semana do Orgulho de Ser

O Grupo Matizes realizará, no próximo sábado (6), a Feijoada de lançamento da 16ª Semana do Orgulho de Ser. O evento acontecerá no restaurante Recanto do Sabor, localizado no Bairro Marquês, Zona Norte de Teresina. Na ocasião, será divulgada a atração principal da 20ª Parada da Diversidade.

"Convidamos a todos para esse evento que será a largada para nossa Semana do Orgulho de Ser. Lá, faremos o anúncio da data e da atração nacional da tão aguardada Parada da Diversidade deste ano", frisa a vice-coordenadora do Matizes, Marinalva Santana.

Os interessados em participar do evento devem comprar a entrada no valor de 20 reais através da chave Pix do Matizes 05996777000171. Os comprovantes devem ser enviados para o WhatsApp oficial do grupo, (86) 98816-8121.

A Semana do Orgulho de Ser acontecerá do dia 29 de agosto a 6 de setembro, e terá como tema "Vote por um Brasil de cores e a gente faz um país melhor". Este ano, o evento também terá edições em Altos, Amarante e Floriano.

"Nosso objetivo é conscientizar, neste ano de eleições, para a escolha de representantes políticos que defendam a bandeira LGBTQIA+ e as pautas de diversidade", explica Marinalva Santana.

A última edição da Parada da Diversidade foi em 2019. O evento retornará este ano, após dois anos sem ser realizado por conta da pandemia de Covid-19.

Parceria UESPI com Matizes para apoiar ações da 16ª Semana do Orgulho de Ser

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) promove apoio a 16° Semana do Orgulho de Ser, com temática “Vote por um Brasil de cores e a gente faz um País melhor”, idealizada e desenvolvida pelo Grupo Matizes, prevista para acontecer entre o período de 29 de agosto a 06 de setembro em diversos espaços de Teresina, de forma presencial.

A Semana do Orgulho de Ser é realizada pelo Grupo Matizes desde 2005 com o objetivo de levar o debate sobre direitos humanos e diversidades para um público variado formado por estudantes, professores, servidores públicos, militantes do movimento social e, especialmente, LGBT (Lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais). Cada um dos participantes possui liberdade de montar sua programação de acordo com afinidade dos temas e disponibilidade de horários.

Em sua programação, a semana abriga um cardápio variado de atividades gratuitas como oficinas, palestras, mostras de filmes, shows, lançamento de livros, eventos esportivos etc. Todas essas ações têm como foco a promoção de direitos de grupos discriminados, especialmente a população LGBT de Teresina.

De acordo com a Vice-Coordenadora do Grupo Matizes, Marinalva Santana, o evento é reputado como de maior importância pelo Grupo, dentre as ações realizadas ao longo do ano. “É um evento que mobiliza a cidade e possui em leque variado de atividades. A gente consegue fazer parcerias com instituições de ensino, organizações da sociedade civil, sindicatos, etc. Para nós é motivo de alegria, a realização da Semana, e esperamos que esse ano seja ainda mais pulsante e provocativa do que das edições anteriores”.

As ações serão realizadas em diversos locais, dentre eles universidades, escolas, teatros, quadras esportivas, órgãos públicos, praças e parques. Esse formato descentralizado facilita a participação das pessoas, pois a Semana do Orgulho de Ser objetiva ir aonde elas estão.

O movimento visa à desconstrução do preconceito e o enfrentamento da discriminação contra grupos excluídos se revestem de uma importância ímpar. O evento será uma ferramenta importante na luta por mais direitos e contra as opressões de que são vítimas LGBT, mulheres, negros e outros segmentos socialmente inferiorizados.

Fonte: UESPI

Matizes participa da 1ª Feira Literária de Barra Grande

O Grupo Matizes participou, no último final de semana, da 1ª Feira Literária de Barra Grande. O evento, que teve como homenageado o jornalista e escritor Kennark Kruel, aconteceu nos dias 22, 23 e 24 de julho, em Cajueiro da Praia, no litoral piauiense.

O Matizes foi representado pela vice-coordenadora do grupo, Marinalva Santana, que participou de um bate-papo, oportunidade em que falou das ações do Matizes e Avant Grade Edições na área de Literatura, destacando a edição dos livros Letras da Diversidade e Atenção Integral à Saúde das Mulheres Lésbicas e Bissexuais.

"Nós apoiamos iniciativas que incentivam a cultura local, como essa importante feira literária aqui em Barra Grande e a Feira do Livro da Diversidade - FLID (organizada pela Avant Garde com o apoio do Matizes), afirma Marinalva Santana.

O evento contou com lançamento e venda de livros de autores piauienses, leitura de trechos de livros, declamação de poesias, bate-papo literário e shows musicais.

XV Parada LGBTQIA+ de Parnaíba: vai ser tuuuuuuuuuuuuuuuudo!!!11 - Domingo 24/07

Com o tema: ''lgual a você não existe ninguém! Está no seu DNA o seu jeito de ser"!!!  O grupo GUARÁ, com apoio do governo do estado, secretaria do estado da cultura, prefeitura  de Parnaíba, OAB - Comissão da Diversidade, SINTE, SESC, vereadora Fátima Carmino e outras instituições culminará no domingo, dia 24/07 às 16:00 horas com concentração em frente à UFDPAR e depois caminhada até a Beira Rio, a XV Semana da Diversidade de Parnaíba.

Entre as atrações da parada estão: Luketta, Caio Monteiro e banda, Hugo Souza, além de vários DJs e performances incríveis das Drag Queens mais babadeiras do Piauí.

Além da parada, ocorrá no sábado, 23/07 às 17:00 horas na Praça Mandú Ladino a XIII Mostra Esportiva e Cultural com as seguintes modalidades: gaymada, gayvoice, corrida de salto, bolsa arremesso, cabo de gayrra e aerodance.

Nos dias 21/07 e 22/07 das 8:00 às 12:00 horas, no auditório da OAB, haverá um seminário com várias mesas e discussões temáticas envolvendo educação, saúde, cultura e direitos humanos, onde teremos vários convidados como palestrantes.

O grupo GUARÁ caminha para 19 anos de fundação, ao longo desse tempo ele tem se dedicado à luta pela promoção da igualdade, cidadania, prevenção da ISTS/ HIV, junto a população LGBTQIA+ e demais cidadãos.

 #grupoguara #phbcit #paradalgbtquiparanaiba #XVsemanadadiversidadedeparnaiba #guarapi #gratidao #respect  #pride #lgbt  #lipsync  #queen  #lgbt #dragqueen   #lipsync #gay #wig #nail #camisinha #close #sesapi #preservativos #secultpi #luketta #caiomedeiros #prefeituradeparniba #sesaphb

Quilombo Mimbó realiza primeira Ball na comunidade

O Quilombo do Mimbó e a Ballroom Piauí estão unindo potências e vão realizar a Quilomball Mimbó Odara no dia 16 de julho (sábado) dentro da programação da "Ocupação Cultural OdiOdara" via SIEC-PI. A primeira  ballroom do quilombo acontecerá no Clube da Beleza Negra a partir das 19:00 com a presença de referências da cena ballroom norte e nordeste (none): Fênix Zion (Alagoas), Eva Bessa Valentino (Ceará) junto com as representantes piauienses Ayra Dias  e Pai Peste Negra de Munique. Idelzuita Paixão será a mestra de cultura popular homenageada e anfitriã deste evento na comunidade.

Oficinas e giras de conversa antecedem a ball nos dias 14 e 15 de julho (quinta e sexta nos turnos tarde e noite) voltadas para comunidade quilombola. O tema é  a Cultura Ballroom: celebração e cidadania da comunidade LGBTQIAPN+ Preta em conexão com as ancestrais quilombolas. As vagas são limitadas e cada participante receberá uma bolsa de incentivo no valor de R$50,00. As inscrições serão feitas com os mobilizadores do evento na comunidade: Marta Paixão, Roudrigo Paixão e Ramon Paixão.

Para o dia 14 de julho - quinta - estão programadas a gira de conversa e exibição do documentário Kiki (legendado, 2018, EUA), dirigido por Sara Jordenö e co-roteiro de Twiggyy Pucci Garçon. No dia 15 de julho (sexta) acontecerão oficinas de Vogue Femme (05 elementos), runway (desfile de moda) e Vogue (dramático). No dia sábado (16/07), após a ball, apresentarão Preto Tipuá, Carmen Kemoly, Bixnaikas, Grupo de Dança da Escola Pedro Rabelo da Paixão, Dj Sam Drade e outras atrações.

Estas ações integram a programação da “Ocupação Cultural OdiOdara” financiada pelo Sistema de Incentivo Estadual à Cultura do Piauí (SIEC-PI) e realizada pela Associação de Moradores da Comunidade Cajueiro em parceria com A Casarão Cultural em Amarante. O projeto propõe articular a resistência e diversidade da  comunidade LGBTQIA+ piauiense com as lutas e ancestralidades da cultura popular amarantina e suas comunidades tradicionais.

Esta ball valoriza o território quilombola e sua cultura de terreiro, por isso  é inspirada nos orixás e suas cores. As categorias serão:

-Face (categoria exclusiva para rosto retinto) inspirada em Oxum e Xangô e cores amarelo e vermelho; 

 

-Afro Hairstyle (aberto para todes) a inspiração é Yemanjá e a cor é azul claro;

 

-Runway(aberto para todes) - inspirada em Yansã e Oxóssi e nas cores vermelho ou azul turques;

 

-Best Look(aberto para todes) inspirada em Oxumarê e nas  cores do arco-íris;

 

-Posing(aberto para todes) inspiração em Ogum e Exu com cores azul escuro e preto;

 

-Baby Vogue (para iniciantes do vogue) inspiração  nos Erês e cores azul e rosa e

 

-Vogue Performance (old, new, femme) inspirada em Oxalá e Nanã nas cores branco ou roxa

Ao longo do ano ocorrerão várias de atividades culturais programadas pela Casarão Cultural (instagram: @casaraocultural), que possui Galeria de Artes, Studio de Dança, biblioteca, hostel e sala de estudos. O projeto “Ocupação OdiOdara” tem conectado a cultura popular e a cena LGBTQIA+ por meio de referências da cultura popular amarantina representada pelas mestras Nêga Ana, Sibita e Idelzuita Paixão que orientam a produção artística e cultural do projeto. A produção destas ações formativas será agenciada na lojinha de souvenirs e produtora de eventos da Casarão Cultural da Rua das Flores, na AMCC e no Museu das Letras do Piauí.

QUILOMBALL MIMBÓ ODARA /Serviço:

- Objetivo: reunir o Quilombo Mimbó que reexiste desde 1819 e a comunidade negra, periférica e LGBTQIAPN+ da Ballroom na cena nordestina, afim de que essas pessoas se conectem e recriem novos espaços de apoio, resistência e cura pelo viés da cultura dos bailes, levando em consideração que inevitavelmente será um movimento de compartilhamos mútuos.

___________

14/07

-17:00 - EXIBIÇÃO DO DOCUMENTÁRIO Kiki (Legendado, 2018, EUA), dirigido por Sara Jordenö e co-roteiro de Twiggy Pucci Garçon

 

-19:00 - GIRA DE CONVERSA: A Comunidade Ballroom nordestina e o Quilombo Mimbó: ancestralidades, negritudes, periferias, dissidências de gênero e sexuais e HIV/Aids com: Fênix Zion, Ayra Dias e Solimar Lima. Mediação: Nego Val

__

15/07

- 15:00 - OFICINA da categoria VOGUE FEMME (5 elementos) com Pai Peste Nêga da Casa Di Monique (PI)

 

- 17:00 -OFICINA da categoria RUNWAY (desfile de moda) com Pioneer Fênix Negra 007 (AL)

 

-19:00 - OFICINA da categoria VOGUE FEMME (dramático) com Princess Eva Bessa da House of Valentino (CE)

________

 

16/07 - 19:00 - Local: Clube da Beleza Negra/ QUILOMBALL MIMBÓ ODARA

-Dress Code: cores das indumentárias dos Orixás

-Roll Call: Entrada de pessoas influentes na cena Ballroom do Piauí e Quilombo Mimbó

-Jurades: Pioneer Fênix Negra 007 (AL), Princess Eva Bessa Valentino (CE), Pai Peste Nêga Di Monique, Idelzuita Paixão, e Ayra Dias 007

-Chanter/comentator: A Kay Di Monique

-Designer: La Ursa 007

-Apresentações: Preto Tipuá, Carmen Kemoly, Bixnaikas, Dimas Bezerra, Dj Samdra Dee, Grupo de Dança da Escola Pedro Rabelo da Paixão e outras atrações

Agenda ai: XV Semana da Diversidade de Parnaíba - Programção

PROGRAMAÇÃO DA XV SEMANA DA DIVERSIDADE DE PARNAÍBA

   De 18 à 24/07/2022

Tema: "Igual a você não existe ninguém! Está no seu DNA, o jeito de ser”!!!

Dia 18 (Segunda-feira) às 18:00h – Quadra do Colégio Liceu - Abertura da XV Semana da Diversidade/ Quadrangular de vôlei, times: Top Belas, Top Close, Top Mortas  e Top Chiquititas. CTA em AÇÃO , Mobilização e Blitz com Distribuição de Kits com insumos preventivos e folders educativos;

Dia 19/07 (Terça-feira) às 8:00 h  Palestras, Testagens e Aconselhamento e distribuição de Kits com insumos Preventivos e folders educativos,  na feira da Caramurú .CTA/ COAS – SESA

Às 14:00 h - UFDPar – ABERTURA DO XV SEMINÁRIO DA DIVERSIDADE DE PARNAÍBA - Roda de conversa:  A política de cotas e os desafios da democratização da educação superior em um contexto de crises: desafios e perspectivas para os movimentos sociais. Anfitriões Prof. Dr. Luiz Antônio de Oliveira & Prof. Dr. Helder Ferreira de Sousa - Organização: Coordenação do Curso de Bacharelado em Turismo da Universidade Federal do delta do Parnaíba.

Dia 20/07 (Quarta-feira) às 8:00 h. Auditório da UFDPAR – SEGUNDO MOMENTO DO SEMINÁRIO DA DIVERSIDADE - Oficina de Prevenção das IST/HIV/AIDS, com Palestras, Testagens, Aconselhamento, distribuição de Kits com insumos preventivos  e folders educativos. Contaremos também com a presença dos acadêmicos de Medicina da UFDPar, que em parceria com o CTA, farão o acolhimento e distribuição de informativos sobre o Julho amarelo - Prevenção das Hepatites Virais.

Às 14:00 h. UFDPar - Roda de conversas sobre políticas de inclusão de LGBTQIA+ na universidade pública.  - Organização: Centro Acadêmico de Psicologia - CAPSI.

Às 20:00h – Pró álcool Bar Dance -  Escolha da Rainha da Diversidade e Entrega do Prêmio LGTBQIA+ de PHB;

Dia 21/07 (Quinta-feira) - TERCEIRO MOMENTO DO SEMINÁRIO DA DIVERSIDADE - 8:00 às 12:00h – Auditório da OAB - XV Seminário da Diversidade. Mesa 1 – Cultura: Concepções da Cultura LGBTQIA+ e suas Pelejas – Prof. Dr. Ruan Nunes UESPI/, Raul Rodrigues/ Vereador de Luís Correia-PI [email protected]: Isaias Cardoso (Conselho Municipal de Cultura)

Mesa 2 – Educação: FakeNews e seus estigmas: breve histórico sobre sexualidade e identidade de gênero na educação/ Elizangela Duarte- SEDUCPI, Eudes Sousa (poeta, cordelista, escritor e pedagogo) e Wagner Roberto/ Me. Antropologia, Dorinha Alexandrino/ [email protected]: Fernando Mendonça/ GUARÁ

Dia 22/07 (Sexta-feira) - QUARTO MOMENTO DO SEMINÁRIO DA DIVERSIDADE - 8:00 às 12:00h - Auditório da OAB- XV Seminário da Diversidade. Mesa 1 – Saúde: “Desafios relacionados a questões de identidade de gênero na Política de Saúde”.  “Números de infecção por HIV e outras ISTs nos últimos 10 anos BR/PI– Karinna Amorim e Nelson Muniz SESAPI, Maria Laura/ SASC e Márcia Carneiro SESA-PHB. [email protected]: Cinthia Reis/ SESC

Mesa 4 – Direitos Humanos: Praticas metodológicas dos ativistas ligada aos direitos humanos LGBTQUIA+ - Joseane Borges, Vitor Kozlowski SASC/ Mayara Portela/ OAB - [email protected]: Tacyane Machado

                      SERÃO EMITIDOS CERTIFICADOS DE 20 HORAS!!!

 Dia 23/07 (Sábado) às 16:00h - Praça Mandu Ladino – XIII Mostra Esportiva e Cultural LGBTQUIA+:

Gaymada, Corrida de salto, Bolsa arremesso, Cabo de Gayrra, Gay voice e Aerodance.

Dia 24/07 às 16:00 Frente a UFDPar Concentração da XV PARADA LGBTQIA+ de Parnaíba, caminhada até a Beira Rio.

 

APOIO: GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ/  SECULT-PI/ PREFEITURA DE PARNAÍBA/ SEINFRA/ SESA/ SUPERINTENDECIA DE CULTURA/ CTA-COAS/  OAB/ SESC/ SINTE/ COLETIVO MUCURA/ UFDPAR – CURSOS DE TURISMO E PSICOLOGIA/ SIND TRABALHADORES DE PARNAÍBA/ VERADORA FÁTIMA CARMINO/ TV DELTA

Pluralidade de ideias e propostas deram tônica da Reunião para Construir 16ª Semana do Orgulho de Ser

  • Reunião_Semana_6jpg.jpg Marleide Lins
  • Reunião_Semana_5.jpg Marleide Lins
  • Reunião_SEMANA_4pg.jpg Marleide Lins
  • Reunião_SEMANA_3jpg.jpg Marleide Lins
  • Reunião_SEMANA_2jpg.jpg Marleide Lins
  • Reunião_SEMANA_1.jpg Marleide Lins

Por Herbert Medeiros

O Grupo Matizes realizou ontem no Parque Cidadania reunião com parceiros/as para dialogar sobre construção da 16ª Semana do Orgulho de Ser(SOS). O objetivo era escutar  sugestões de ações para Semana focalizando o tema norteador do projeto: “Vote por um Brasil de Cores e a Gente faz um País Melhor”.  Representantes da Comissão de Direitos Humanos da OAB, coletivos de diversidade de representações partidárias, [email protected] acadêmicos, artistas e coletivos culturais estavam presentes na atividade.

Em um primeiro momento, a contextualização do que é e o formato de funcionamento da Semana do Orgulho de Ser foi relembrado pelos matizianas/os. Pontuou-se  a necessidade  de enviar propostas para integrar a programação da Semana seguindo o roteiro: Data, Horário, Local, Tipo de Atividade(oficina, palestra, mesa, roda de conversa), título, Nome [email protected] Palestrantes/[email protected]/[email protected]

As artistas do grupo Bixanikas, Vicente e Val,   indicaram o interesse em inserir dentro da Programação da SOS uma  Ação Artístico-Cultural na cidade de Amarante. Também convidaram os participantes para participar do “Quilomball Mimbó Odara”, organizada pelo Quilombo do Mimbó e Ballroom Piauí. Quilomball acontece dia 16 de julho no Clube da Beleza Negra da comunidade.

Representantes da Comissão de Direitos Humanos da OAB/PI expressaram o desejo de organizar ação baseada em: Metodologia de Roda de Conversa para pensar Desafios de enfrentamento das violações de DH de segmentos vulneráveis.  O DJ Stourada, publicitário e produtor cultural, reforçou o compromisso de promover ações culturais, ampliando o diálogo  com pessoas não-binárias, queers.

A pauta em comum entre [email protected] participantes é afirmar o caráter SOCIOPOLÍTICO das    atividades organizadas por cada entidade durante Semana do Orgulho e Parada da Diversidade. Política no sentido forte da palavra: os corpos dissidentes e suas pautas atravessam a vida polítca; a articulação,  mobilização e luta das organizações sociais em prol de mais Democracia, Respeito,  Direitos e Cidadania são núcleo vivo das democracias; Pessoas diversas  protagonizarem a ocupação  da rua, das instituições, das vivências cotidianas para afirma VOZ E VEZ é parte fundamental da agenda política.

Casa da Cultura e centro Urbano de Teresina: a vida ainda pulsa?

Por Herbert Medeiros

O Filósofo Walter Benjamim denomina de flanar a   experiência de perceber as redes  de sentidos contraditórias  da cidade:  andar ociosamente pelas curvas e retas das ruas, avenidas e construções urbanísticas com olhar atento, sensível, aguçado para mapear a vida social e suas dinâmicas.

 Neste sentido, quando se faz a  experiência de flanar    pelo centro de Teresina, o olhar de choque se depara com  os (des)caminhos cinzentos que atravessam a cidade. Casas Residenciais, comerciais, edifícios públicos e privados adormecem em estado de deterioração. O pulsar da vida nestas territorialidades clamam por socorro.

Caso ilustrativo do abandono é  o prédio onde funcionava a Casa da Cultura de Teresina, próxima à praça Saraiva.  Edificação centenária que exala memórias históricas:  moradia do Barão de Gurgueia, funcionamento de Seminário,  residência Episcopal, Sede do DNOCS e por fim, em 1994,  constituiu espaço vivo das expressões culturais da capital e Estado.

A riqueza  de um povo se expressa nos espaços urbanos que celebram a diversidade cultural. A Casa da Cultura era esse lugar onde se respirava as artes :  exposições de artistas plásticos,  apresentações de   dança, performance de bandas e músicos, exibição de filmes. Por ali, interações e diálogos instigantes  sobre cena cultural teresinense palpitavam pelas salas e pátio da casa.

O que  teresinenses de todas classes, escolaridade, condição socioeconômica,  origem, credo e identidade cultural  desejam é poder flanar pelas ruas do centro da cidade: sentir as cores, luzes,  os aromas, as sinuosidades  e registros históricos e patrimoniais  de praças, ruas, jardins, casas, estabelecimentos mercantis.

Para isso, autoridades públicas e privadas precisam reconectar-se com cada lugar da região  central de Teresina. Andar, sentar, escutar, conversar, sentir o testemunho de quem por ali trabalha, mora, passa apressado, circula detidamente. O centro urbano não é só um amontoado de edifícios, praças e casas, estacionamentos – triste fim de um região central privatizada para louvar os carros em detrimento de outras dinâmicas mais ricas complexas.

A vida – em todas dimensões – é marcada pela valorização do patrimônio arquitetônico, cultural e artístico das cidades. O turismo cultural em cidades do Brasil atentam essa realidade: Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, São Luís, Recife, Belo Horizonte, cidades históricas de Minas Gerais. Grandes cidades europeias têm sua riqueza e fonte de sustentação ao oferecer uma gama de lugares para flanar e fruir as cidades.

Mercados, ruas, avenidas, galerias, cafés, centros culturais, casas de espetáculo, museus, parques, praças, monumentos, feiras, festas, celebrações, teatros dão a tônica para uma cidade se tornar um espaço de experiências, memórias, vivências, trocas diversas. Empregos, renda, trabalho e bilhões são gerados quando agentes públicos, privados, sociedade civil dialogam para criar uma vida urbana potente via políticas   culturais democráticas, gerando sustentabilidade socioeconômica e ambiental.  

E com a palavra o grande cronista da vida urbana; João do Rio

“Eu amo a rua. Esse sentimento de natureza toda íntima não vos seria revelado por mim se não julgasse, e razões não tivesse para julgar, que este amor assim absoluto e assim exagerado é partilhado por todos vós. Nós somos irmãos, nós nos sentimos parecidos e iguais; nas cidades, nas aldeias, nos povoados, não porque soframos, com a dor e os desprazeres, a lei e a polícia, mas porque nos une, nivela e agremia o amor da rua. É este mesmo o sentimento imperturbável e indissolúvel, o único que, como a própria vida, resiste às idades e às épocas. Tudo se transforma, tudo varia -o amor, o ódio, o egoísmo. Hoje é mais amargo o riso, mais dolorosa a ironia, Os séculos passam, deslizam, levando as coisas fúteis e os acontecimentos notáveis. Só persiste e fica, legado das gerações cada vez maior, o amor da rua.” – Alma Encantadora das Ruas

Posts anteriores