Cidadeverde.com

Polícia aguarda laudos e câmeras devem ajudar a identificar suspeito de queimar 5 ônibus

A investigação sobre os cinco ônibus escolares queimados em Piracuruca (a 196 km de Teresina) aponta para um incêndio criminoso. Uma equipe do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) está no município.

Ao Cidadeverde.com, o delegado Genival Vilela declarou que a equipe já coletou alguns depoimentos de adultos e adolescentes. O incêndio ocorreu no pátio do Centro Integrado de Ensino Fundamental, no bairro Baixa da Ema, no último sábado (17).  

A Greco aguarda o resultado das perícias técnicas, mas o delegado afirma que, diante do que já foi apurado, o fogo não surgiu de uma pane elétrica em um dos veículos.

Segundo Vilela, a polícia possui um suspeito de ter praticado o ato. O delegado acredita que o incêndio foi provocado com o uso de gasolina, mas somente o laudo técnico poderá confirmar a informação. Imagens de câmeras de segurança já estão com a Greco. 

"Os ônibus estavam enfileirados, e o fogo teria iniciado das extremidades para o centro, de ambas as extremidades. Como se tivessem ateado fogo em cada uma das extremidades, e isso sugere algo criminoso porque se fosse problema com a fiação elétrica iria começar por apenas um dos lados", pontua o delegado.

"No pátio havia oito ônibus, mas somente sete estavam enfileirados. Desses sete, cinco foram queimados, que eram, justamente, os que estavam nas extremidades. Os dois mais centrais não foram". 

As aulas na escola chegaram a ser suspensas devido a necessidade de substituição urgente da frota uma vez que  a maioria dos 650 alunos são da zona rural, e necessitam do transporte. A Prefeitura de Piracuruca informou ao Cidadeverde.com que contrataria ônibus alternativos para cobertura de toda a rota.


 

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com