Cidadeverde.com

Bando que explodiu agências invade Piracuruca para fugir de barreira da PM

A quadrilha que explodiu as agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica em Campo Maior na madrugada de terça-feira (30) deixou a população de Piracurura em pânico à noite ao tentarem fugir de uma barreira da Polícia Militar. Vários tiros foram disparados na cidade.

Assustados, os moradores enviaram dezenas de áudios a familiares e amigos alertando sobre o perigo. Veja a transcrição de alguns dos áudios:

"Gente, está tendo um tiroteio aqui perto das Três Lagoas". "Galera, tiroteio aqui no centro da Cidade. Os 'cara' tão trocando tiros aqui no Centro da Cidade". "Ainda agora deram uma rajada aqui, tranquei tudo, com medo de bala".

O coronel Márcio Oliveira, coordenador-geral de operações da PM/PI, confirmou ao Notícia da Manhã de hoje que o bando que agiu em Piracuruca é o mesmo que explodiu as agências bancárias de Campo Maior.

Márcio afirma que ontem, quando houve as explosões, os bandidos foram identificados e a Polícia está em diligência desde o primeiro momento. "Mas na hora do ataque, havia reféns e a equipe foi bastante prudente em Campo Maior. Tivemos que aguardar a liberação dos reféns para fazer o resgate e, aí sim, focarmos nas ações de captura", conta o coordenador.

Segundo Márcio Oliveira, a PM montou um plano de contingência, contando com equipes especializadas, como BOPE e Rone. "Estamos com toda a área cercada e estamos trabalhando na divisa do Ceará, junto ao comandante de Camucim, do Batalhão de Divisas do Ceará", informou.

O coronel contou que na noite desta terça-feira, a PM passou a monitorar as três caminhonetes usadas pelos bandidos nas explosões: uma RAV 4 preta, uma S10 branca e uma Frontier preta, que terminou topando com uma equipe policial na estrada de Batalha, que dá acesso a Piracuruca. 

Foto: Divulgação / PM

Márcio Oliveira dá detalhes de como começou a perseguição:

"Aí os bandidos retornaram, lançaram miguelitos na estrada. As três viaturas que estavam com o coronel Erisvaldo tiveram seus pneus furados e eles foram rumo a Piracuruca. Nós montamos uma barreira na saída da estrada de Batalha, quando eles perceberam a barreira, atiraram nos policiais, que revidaram, atingindo o veículo deles. Eles adentraram a cidade de Piracuruca e, na rotatória do Centro, eles perderam o controle da Frontier preta, bateram o veículo. Alguns dos que estavam na Frontier adentraram na RAV4 e outros dois tomaram uma motocicleta de assalto de um cidadão".

O coronel explica ainda que os bandidos continuaram, mas a polícia cessou os disparos porque estava no período urbano da cidade, o que colocaria os cidadãos em risco.

"Mas você viu aí, duas pistolas calibre 9mm. Duas delas fazem fogo automático, dão rajadas. Carregadores de pistola com 32 disparos, carregadores de fuzil AK-47, coletes balísticos tirados da Caixa Econômica, outros dois coletes que já estavam com eles. Então, tem um fardo material que estamos levantando agora e as diligências continuam. A determinação é manter o cerco até fazer a prisão de todos esses marginais", declarou o militar.

Márcio Oliveira disse que os bandidos atiraram na polícia de fuzil e a polícia reagiu com tiros de fuzil também, por isso eles perderam o controle do veículo.

O coordenador disse que ninguém ficou ferido na cidade, mas pode ser que haja policial ferido. Disse ainda que agora os bandidos estão em apenas dois carros. 

Polícia Civil, Militar e Federal estão trabalhando de forma integrada para capturar os envolvidos. 

Jordana Cury
jordanacury@cidadeverde.com