Cidadeverde.com

Ministro da Saúde anuncia R$ 30 milhões em investimentos para hospital de Parnaíba

Inaugurado ainda no início da década de 90, o Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (Heda), em Parnaíba, vem ampliando a capacidade de atendimento. Inicialmente projetado para atender a população de 10 municípios da Planície Litorânea, hoje o hospital é porta aberta para cerca de 30 municípios do Piauí e estados vizinhos do Maranhão e Ceará.

Para dar conta da demanda, o  Governo do Estado vem projetando investimentos e ampliando a capacidade de atendimento da unidade. Em solenidade, nesta sexta-feira (8), o ministro da Saúde, Ricardo Barros, anunciou investimentos na ordem de R$30 milhões para dar continuidade à reforma e ampliação do hospital. O gestor também anunciou a aquisição de dois conjuntos de aceleradores lineares, equipamentos utilizados no tratamento contra o câncer, que serão instalados, um em Parnaíba, no Hospital Marques Bastos, instituição credenciada pelo SUS, e outro no Hospital Universitário (HU), em Teresina. 

“Hoje anunciamos aqui investimentos para a reforma e ampliação de um novo hospital, recurso que só foi possível graças à austeridade, a economia que temos feito no Ministério da Saúde. Conseguimos economizar 4,5 bilhões, e isso permitiu atender projetos como esse. Esses recursos economizados serão reinvestidos”, afirma o ministro.

O secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, destacou a importância das parcerias com a bancada federal do Piauí, que tem trazido os investimentos para ampliar a saúde em todo o estado, lembrou o crescimento da demanda do hospital de Parnaíba e informou que a secretaria vai continuar com os mutirões de cirurgias eletivas para atingir a meta de dois mil pacientes atendidos.
  
“Senhor ministro, apesar dos esforços e da realização de projetos como esse de mutirão de cirurgias eletivas, que temos atingido todas as nossas metas, mas ainda temos uma fila de mais de 7 mil pessoas na espera por uma cirurgia de catarata, já temos parte do recurso, mas precisamos de seu apoio para zerarmos essa fila, esse é nosso objetivo em 2018”, falou Florentino.   

Fonte: Ascom

Mulher não aceita voltar com ex-marido e é agredida com garrafa de vidro

  • de.jpg
  • 24296524_1784605448256593_1610001351274009023_n.jpg
  • 24174325_1784605314923273_1827218105795753399_n.jpg

A  cabeleireira e proprietária de bar Francisca Helena é mais uma mulher vítima de violência doméstica registrada no Piauí.  Ela foi agredida pelo ex-companheiro, com quem foi casada por dez anos, nesse último sábado (2) na cidade de Parnaíba, região Norte do Estado. 

Após sofrer uma série de agressões no decorrer do relacionamento, Francisca decidiu se separar do agressor há 20 dias. A comandante do Grupamento de Atendimento Especial à Criança ao Idoso e a Mulher (GAECIM), capitã Leoneide Rocha, contou ao Cidadeverde.com que o homem foi na casa da ex-esposa tentar retomar a relação. Ela não aceitou e ele quebrou uma garrafa de vidro e fez cortes no rosto e braço da cabelereira. 

“Ela conta que ele já praticava agressões. No sábado ele chegou para conversar,  quis reatar, ela disse que não dava mais certo e ele a agrediu com um gargalo de garrafa. Ela diz que estava de cabeça baixa e quando levantou ele já foi a agredindo”, detalha a capitã Leoneide. 

Após a agressão, o ex-companheiro fugiu. Quando foi encontrado, nesse domingo (03), ele chegou a ser encaminhado à Central de Flagrantes de Parnaíba, mas não ficou preso porque o prazo de prisão em flagrante já havia expirado. 

Com medo do agressor, a cabelereira decidiu passar a noite na casa de familiares. Nesta segunda-feira (04), ela foi à Delegacia da Mulher de Parnaíba denunciar a agressão. A especializada deve solicitar ainda hoje a prisão preventiva do ex-marido de Francisca. 

“Ela [a vítima] está tranquila e decidida em continuar com a denúncia”, acrescenta a comandante do Gaecim.

O ex-marido de Francisca trabalha no setor de fiscalização de limpeza pública de Parnaíba. 



Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com 

Valores acordados durante a ‘Semana de Conciliação’ em Parnaíba ultrapassam meio milhão

A XII Semana de Conciliação em Parnaíba teve bons resultados graças ao trabalho realizado pelo Juizado Especial em parcerias com a faculdade UNINASSAU, UESPI, MP-PI, Defensoria Pública e OAB-Parnaíba. As ações foram feitas de 27 de novembro até 1 de dezembro e os valores acordados entre as partes ultrapassam meio milhão.

De acordo com o Juiz Titular do Juizado Especial e Coordenador em Parnaíba da Semana da Conciliação, Max Paulo Soares Alcântara, o diferencial dessa edição é que as faculdades abrasaram a atividade e proporcionaram a multiplicação de atendimentos. “São realizados 28 atendimentos de meia em meia hora com a ajuda dos acadêmicos e supervisores, o que nos dá uma capacidade para atender mais processos em relação as edições anteriores” comenta.

Para o magistrado, na Semana Nacional da Conciliação é dada uma oportunidade para as partes alcançarem a solução mais adequada ao conflito, em uma condição por elas próprias formuladas, com dia e hora certa para finalização da questão.

Os acadêmicos da Universidade Estadual e da Uninassau dos cursos de Direito, Pedagogia e Psicologia estão ajudando o evento com a triagem dos processos, atendimento inicial, mediação, acompanhamento psicológico e ainda recebendo as crianças na sala da brinquedoteca.

Para a Coordenadora Acadêmica da Uninassau, Rosany Corrêa, “esse trabalho interdisciplinar contribui para a formação profissional dos acadêmicos, uma vez que podem ter uma visão holística que soma a teoria com a prática e ainda contribui com a solidariedade”.

DADOS FINAIS
136 audiências agendadas
87 acordos alcançados
64% de aproveitamento
R$ 885.376,99 em valores acordados

Fonte: Ascom

Mulher é presa suspeita de oferecer falso emprego na prefeitura e no governo do Estado

Uma mulher identificada pela Polícia Civil  como Ana Catarina Brito Cunha foi presa acusada de aplicar golpes contra pessoas desempregadas.

De acordo com o delegado João Rodrigo Luna, a mulher procurava vítimas na internet sob a falsa promessa de empregá-las na prefeitura de Parnaíba e no governo do Estado.

"Ela prometia emprego dizendo que tinha contato com a prefeitura e com o Governo do Estado e pegava currículo das pessoas. Depois ela cobrava uma taxa de em média R$ 350 que ela dizia ser para pagar documentos e então sumia", explica o delegado.

Ainda de acordo com o delegado ela apresentava nomes diferentes e chegava a passar recibo para as vítimas do dinheiro que recebia,

Catarina foi intimada à delegacia sobre outro processo - há várias denúncias registradas contra ela - e ao chegar ao local a Polícia cumpriu o mandado de prisão preventiva expedido pela 1ª Vara Criminal de Parnaíba pela prática de estelionato.

Foram contabilizadas pelo menos 15 vítimas que prestaram esclarecimentos a Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri). As investigações foram comandadas pelo delegado Igor Gadelha. A Polícia Civil aproveita para reforçar que a população denuncie pelo site - clique aqui.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

 

Polícia incinera plantação de cinco mil pés de maconha no litoral

  • 16a1a0e5-457b-450b-a096-3d3ce139cc75.jpg Divulgação
  • ed267c15-e2ac-49e0-b563-e5bd0c0da0a8.jpg Divulgação
  • 814315e0-a2f0-4498-b740-5c284cef5c8c.jpg Divulgação
  • a83748b9-9d79-4013-8220-0fb5ce059721.jpg Divulgação
  • b07fd61a-ff58-45af-921d-27f1559f02b0.jpg Divulgação
  • 4290940a-8e58-4d57-9b9a-52f18156160e.jpg Divulgação
  • aa8ac78e-04f8-46fe-bba8-be028c73175e.jpg Divulgação
  • c64d5334-c912-4229-b340-97635424f868.jpg Divulgação

Atualizada às 08:21 deste sábado (2)

O comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, tenente coronel Antônio Pacífico, informou ao Cidadeverde.com que no fim da operação a PM contabilizou mais de cinco mil pés de maconha. 

Foram encontradas 1430 covas, cada uma com três, quatro ou cinco pés da planta.

"Era um plantio bem avançado de maconha. Com toda estrutura logística, como tanques, bombeamento, irrigação, insumos agrícoloas, todo um aparato. Havia um dispositivo que disparava um alarme quando alguém se aproximava e os suspeitos fugiram", disse o tenente coronel.

O comandante informou que a Polícia Federal foi acionada e deve abrir um inquérito para investigar quem é o proprietário da plantação.

Todos os pés de maconha foram incinerados no fim da tarde dessa sexta-feira (1).

Matéria original

Após denúncia, policiais militares do 2º Batalhão  localizaram, no inicio  da manhã desta sexta-feira (01), uma plantação de maconha. 

O plantio era feito em uma área de mata fechada, dentro de uma propriedade particular, na localidade Ilha das Batatas zona rural de Ilha Grande do Piaui. No total foram quase 150 pés da planta que estavam sendo cultivados em meio à mata.

Nenhuma pessoa foi encontrada no local. Até a chegada à plantação foram colocadas umas espécies de armadilhas com linha de nylon que ao tocar na linha um sino tocava ao lado do acampamento onde os homens ficavam.

Ate o momento ninguém foi preso. A suspeita é que um ex-funcionário da fazenda tenha envolvimento com o plantio. 

Izabella Pimentel Com informações do Blog do Pessoa

Vídeo: pedestre é atropelado ao atravessar avenida no litoral do Piauí

Câmeras de segurança flagraram um trágico acidente na avenida São Sebastião, em Parnaíba, litoral do Piauí. Um pedestre, que não teve a identidade confirmada, foi atropelado por um carro em alta velocidade. 

O acidente ocorreu no fim da tarde desta quarta-feira (29). Antes de atravessar a avenida, o pedestre ainda esperou quase 30 segundos. Contudo, quando resolver ir para o outro lado da via, foi surpreendido por um Celta com placa de Parnaíba.

Com o impacto do acidente, o corpo da vítima foi arremessado por cerca de 10 metros para baixo de outro veículo (Siena preto) que passava pela via. Ele teve morte imediata.

O condutor do carro que atropelou o pedestre foi identificado e encaminhado para a delegacia. 

Foto: BlogdoPessoa

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com
Com informações Notícia da Manhã

Turistas encontram golfinho morto na praia da Pedra do Sal

Um golfinho foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (16), na praia da Pedra do Sal, em Parnaíba. O animal foi encontrado por visitantes que estavam na praia e é da espécie Sotalia guianensis, conhecido popularmente como Boto Cinza.

A pesquisadora Jacqueline Vieira, especialista em Golfinhos explicu que no litoral piauiense é comum a presença dos animais. Há inclusive registros de várias espécies comuns da região. Entre elas estão o Boto Cinza, Nariz de Garrafa e outros.

Segundo a especialista, ele é bem comum no litoral do Brasil. É uma espécie que ocorre desde o Nicarágua até o litoral de Santa Catarina e formam grupos residentes.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

 

 

Viúva de coordenador de presídio diz que perdeu homem da sua vida

 

Durante o velório do coordenador de Disciplina da Penitenciária Mista de Parnaíba, José Silvino da Silva, os familiares afirmaram que ficaram em estado de choque com a morte do familiar e pedem justiça.  Muito emocionada, viúva do agente penitenciário, Marileide de Sousa, disse que “perdeu o homem da sua vida”. 

“Eu perdi o homem da minha vida. É isso que tenho para dizer. Foi o único homem que amei e o único que vou levar para a vida”, lamentou Marileide. 

José Silvino da Silva foi assassinado a tiros na noite dessa quarta-feira (23). A vítima, que também era empresário, estava fechando seu estabelecimento comercial quando dois homens em uma motocicleta atiraram contra ele. A Polícia Militar e a direção do presídio tratam o caso como execução. 

“A gente deseja que seja feita muita justiça. Além de tirar a vida de um trabalhador, tiraram a vida de um pai de família”, disse a filha de José Silvino, Denise Silvino. 

O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), José Roberto, também participou do velório do agente José Silvino. Ele defende que a suposta ordem de execução do coordenador partiu do presídio de Parnaíba.

“As instigações não foram concluídas, mas acreditamos que a ordem partiu de dentro do presídio. Infelizmente o Estado, dentro da sua omissão, não nos dá condições para desenvolvermos nosso trabalho”, criticou o sindicalista. 

José Silvino trabalhava na Penitenciária Mista de Parnaíba há 27 anos e era coordenador de Disciplina e do setor do Almoxarifado do presídio. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios. Até agora nenhum suspeito foi preso. 


Izabella Pimentel com informações da TV Cidade Verde
redacao@cidadeverde.com 

Preso suspeito de matar o coordenador da Penitenciária Mista de Parnaíba


Coordenador José Silvino

O delegado de Parnaíba, Eduardo Aquino,  informou ao Cidadeverde.com que, agora há pouco, foi dado o cumprimento ao mandado de prisão contra um dos suspeitos de matar o coordenador da penitenciária Mista de Parnaíba, José Silvino da Silva, de 56 anos. O suspeito, identificado como Isaías Lima dos Santos, foi preso na sua residência no bairro São Vicente de Paula.  Ele seria o executor do agente penitenciário, que foi morto na noite de ontem (22).

Eduardo Aquino disse ao Cidadeverde.com que o suspeito nega a autoria do crime, mas a investigação possui provas que ele estava no local do crime e tem participação direta na morte do coordenador, que também era empresário no município. 

Isaías Lima usa tornozeleira eletrônica e já possui passagem por homicídio e roubo. Ele tem 27 anos. 

“Ele não confessou o crime e nega participação. Mas com as informações e provas que já temos, cumprimos o mandado de prisão temporária dele.  Estamos com menos de 24 horas e já dando essa resposta para a sociedade. Continuamos com as investigações para concluir o inquérito”, disse o delegado. 

Ainda não há informações oficiais sobre o motivo que levou a morte do coordenador. A Polícia Civil, até o momento, não confirma se a execução partiu de dentro da penitenciária e se o coordenador já estava sob ameaça de morte. 


Suspeito foi preso e levado para a Central de Flagrantes de Parnaíba

Isaías foi encaminhado para a Central de Flagrantes de Parnaíba para os procedimentos de praxe e será ouvido pelo delegado titular da Delegacia de Homicídios/Latrocínio/ de Parnaíba (DHTL). A prisão contou com apoio do Núcleo de Inteligência da Planície Litorânea e Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DEPATRI)

A Polícia Civil segue em diligências para identificar os demais envolvidos no crime, e pede auxílio da sociedade com informações que possam colaborar para a completa solução do caso, através do link: bit.ly/denunciapcphb 

Morte

O coordenador da penitenciária Mista de Parnaíba, José Silvino da Silva, 56 anos, foi assassinado a tiros na noite dessa quarta-feira (23). Segundo a Polícia Militar, a vítima, que também era empresário, estava fechando seu estabelecimento comercial quando dois homens em uma motocicleta atiraram contra ele. 

Foram efetuados, pelo menos, três disparos na região da cabeça de José Silvino, que morreu na hora. José Silvino trabalhava na Penitenciária Mista de Parnaíba há 27 anos.

 

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

Coordenador de presídio é morto e direção acredita em execução

O coordenador da penitenciária Mista de Parnaíba, José Silvino da Silva, 56 anos, foi assassinado a tiros na noite dessa quarta-feira (23). Segundo a Polícia Militar, a vítima, que também era empresário, estava fechando seu estabelecimento comercial quando dois homens em uma motocicleta atiraram contra ele. 

O caso é considerado pela polícia como execução. O comandante do 2º Batalhão da PM de Parnaíba, major Antônio Pacífico, informou que a dupla não roubou nada do agente penitenciário e que os dois já chegaram atirando. Foram efetuados, pelo menos, três disparos na região da cabeça de José Silvino, que morreu na hora. 

“Foi uma execução. Eles não levaram nada da vítima. Foram para matar”, disse o comandante major Pacífico. 

José Silvino trabalhava na Penitenciária Mista de Parnaíba há 27 anos e era considerado pelo gerente da unidade prisional, Fernando Caldas, como um “irmão”.  O diretor lamentou a morte do agente e disse ao Cidadeverde.com que não tem suspeita sobre a motivação assassinato. 

“Era um agente extremamente competente. Era coordenador de disciplina e responsável pelo almoxarifado, ficava mais na área estrutural e organizacional do presídio. O agente Silvino era calmo, não se envolvia em problema com detento. A gente está sem entender. Estamos eu e equipe pensando em um motivo. Não conseguimos achar um foco”, contou o gerente da Penitenciária Mista de Parnaíba.  

O gerente também acredita que o crime foi uma execução. Ele conta que a dupla perguntou aos moradores da região onde era a loja de Silvino e que os bandidos estavam procurando ele. Perguntado se a suposta ordem de assassinato partiu de detentos do presídio, Fernando Caldas acredita que a possibilidade é remota.

“Não tem nada que ele [agente] tenha participado que possa justificar uma ordem de execução de dentro do presídio”, assegura.

José Silvino era casado e tinha filhos. A Delegacia de Homicídios de Parnaíba investiga o caso. Ainda não há informações sobre suspeitos. 


Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com 

Posts anteriores