Cidadeverde.com

Famílias de baixa renda terão TV exclusiva após desligamento de sinal analógico

O Ministério da Cultura pretende investir R$ 10 milhões na criação de um''Netflix brasileiro''. Chamado extra-oficialmente de VOD Brasil (Video on Demand) pelos idealizadores, o projeto quer garantir programação televisiva a pessoas de baixa renda após o desligamento do sinal analógico em todo o Brasil.

A programação deve incluir apenas filmes nacionais – cerca de 30 mil produções da Cinemateca Brasileira – conteúdos da rede pública de televisão e títulos de editais, como o DOCTV América Latina.

Operacionalização
Não será necessário ter acesso à internet para assistir filmes do “Netflix brasileiro''. O governo planeja distribuir 12 milhões de receptores a famílias inscritas no Bolsa Família e no Cadastro Único Para Programas Sociais. Com os receptores dedicados para TVs será possível receber o sinal via UHF. 

A plataforma usará também soluções híbridas na difusão de conteúdos, como transmissões móveis por meio de redes P2P e CDN. O usuário do serviço fará o cadastro e receberá um login. 

A plataforma será um canal direto do governo federal com um grande universo de pessoas. As 12 milhões de famílias cadastradas no Bolsa Família equivalem a cerca de 40 milhões de brasileiros.

Sobre o Netflix
O Netflix é um serviço comercial que oferece acesso, via streaming, a filmes e séries de TV. A empresa foi criada nos EUA em 1997 e tem mais de 75 milhões de assinantes no mundo.