Cidadeverde.com

Caminhão de vacinas da Sesapi tomba na BR-135

  • acidenteBR_(5).jpg Viviane Setragni/Portal Corrente
  • acidenteBR_(4).jpg Viviane Setragni/Portal Corrente
  • acidenteBR_(3).jpg Viviane Setragni/Portal Corrente
  • acidenteBR_(2).jpg Viviane Setragni/Portal Corrente
  • acidenteBR_(1).jpg Viviane Setragni/Portal Corrente

Mais um acidente aconteceu na BR-135, a chamada “rodovia da morte”. Desta vez, foi um caminhão do governo do Estado que tombou no quilômetro 583, no município de Corrente, nessa quarta-feira (20).  

O caminhão é da secretaria estadual de Saúde (Sesapi) e fazia campanha de vacinação na região. De acordo com informações dos ocupantes do veículo, eles trafegavam em baixa velocidade quando houve o tombamento.  A causa do acidente, segundo o condutor, seria o desnível que existe entre a pista de rolagem e o acostamento. 

"Nós ainda não conseguimos entender como uma simples descida no acostamento acabou com o caminhão tombado, ficamos muito assustados. Se estivéssemos em alta velocidade com certeza teria sido muito mais grave", declarou um dos ocupantes do veículo ao portal Corrente.

Apesar do susto, os ocupantes do caminhão não ficaram feridos. A Sesapi se pronunciou  sobre o caso através de nota.

"Sobre o incidente ocorrido com um caminhão de vacinas na BR -135,, a Secretaria de Estado da Saúde informa que não houve qualquer tipo de dano ocasionado pelo tombamento do veículo. Os condutores e técnicos que estavam no caminhão não sofreram ferimentos e estão bem. 

As vacinas de rotina já haviam sido distribuídas para os municípios de Corrente, Uruçuí e Bom Jesus, as que ainda restavam no veículo foram acondicionadas na regional de Corrente, não houve perca de nenhuma dose", informa a Sesapi.

Perigo

Nesta semana, em entrevista ao Cidadeverde.com, o superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Piauí, Welendal Leal, classificou a BR-135 como "área vermelha" e disse que parte dos acidentes com vítimas fatais na rodovia poderiam ter sido evitados. Somente este ano foram quase 50 mortos. 


Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com