Cidadeverde.com

Chuvas causam alagamento no centro comercial de São Raimundo Nonato

  • 98b057fd-eda3-4ac0-b0fe-b1f8bf718205.jpg Cidadeverde.com
  • 0cb687db-2e73-4be7-8033-648f7e5d3d10.jpg Cidadeverde.com
  • 98ea2f9f-90dc-4b31-ae2c-8403c23161d6.jpg Cidadeverde.com
  • aa994907-0f2a-4080-bbae-8ecdd6242b54.jpg Cidadeverde.com
  • 608b71b3-d999-4b16-949a-3f3ffdc9e8bb.jpg Cidadeverde.com
  • 4405a78f-32c0-4765-97a9-7522ad338f14.jpg Cidadeverde.com

As fortes chuvas que caem na região Sul do Estado provocaram um alagamento no Centro Comercial de São Raimundo Nonato, município a 517 km de Teresina. A água corre para as ruas da região onde fica acumulada e acaba invadindo lojas e outros pontos comerciais da região.

Procurada pelo Cidadeverde.com, a assessoria de imprensa da prefeitura municipal informou que o problema é antigo e já é acontece há mais de 40 anos, sempre que chove. Segundo ela, a falta de liberação de verbas federais impede a realização de um projeto de revitalização da região, que prevê a construção de galerias para o escoamento da água.

Ainda segundo a prefeitura, um trabalho paliativo de limpeza dos bueiros da região para evitar os alagamentos.

Chuvas devem continuar

A gerente do Serviço de Meteorologia do Estado, Sônia Feitosa, informou que as chuvas na região devem continuar por conta da  Zona de Convergência do Atlântico Sul, que são ventos que vêm do oceano Atlântico e se encontram com a umidade amazônica e atravessam o país retornando para o oceano. "Eles demoram em média quatro a cinco dias, por isso vimos tantas chuvas no fim de semana, mas até amanhã ainda deve haver chuvas fortes no Extremo Sul do Estado", explica a meteorologista.

Chuvas na capital

Ao contrário do previsto, as chuvas ainda não começaram com sua maior intensidade na capital. Para Sônia Feitosa, o clima deve começar a esfriar nas próximas semanas. "O período chuvoso na região da capital é dezembro, mas ainda não registramos grandes chuvas neste período. A tendência é de pancadas de chuva isoladas", pontuou.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Nova diretora do Parque da Serra da Capivara toma posse

Nesta quinta-feira (7), a governadora em exercício Margarete Coelho participou da solenidade de posse da nova diretora do Parque Nacional Serra da Capivara, Luciana Nars. A cerimônia foi realizada na sede do Senac de São Raimundo Nonato.

A nova diretora do Parque Nacional Serra da Capivara Luciana Nars é analista Ambiental, possui graduação em engenharia agronômica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2004) e mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural. Trabalhou na Reserva Biológica do Jarú, Reserva Extrativista do Rio Ouro Preto e no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros no estado de Goiás. Localizado na região Nordeste do Brasil, o Parque Nacional Serra da Capivara é um parque arqueológico, inscrito pela Unesco na lista do Patrimônio Mundial e é administrado pelo Icmbio.

Para Margarete Coelho, o dever de zelar pelo parque é de todos, inclusive do Governo do Estado. "O Parque Nacional Serra da Capivara é administrado pelo ICMBio. É uma área de preservação nacional, mas o Governo do Estado do Piauí não abre mão das suas obrigações com o parque. Nessa gestão do governador Wellington Dias, nós fizemos um acordo de gestão compartilhada no qual fazem parte a Fundham, o Iphan, ICMBio e o Estado do Piauí, cada um com suas atribuições. No atual momento, nós temos um convênio com a Fundham que nos permite repasse de recursos para manutenção das guaritas e das áreas externas do parque que fazemos através das nossas Secretarias. Hoje, nós assinamos um termo aditivo na cláusula prazo do convênio, o convênio venceu e nós prorrogamos até fevereiro de 2018 onde será disponibilizado os recursos no valor de R$ 555 mil", declarou.

Carmelita Castro, prefeita de São Raimundo Nonato, ressaltou a importância das ações conjuntas para conservação do Parque. "A gente está sempre aberta a negociações em relação ao parque. Com a posse da Luciana, nós estamos construindo um elo muito forte que já existe há muitos anos com o ICMBio. Nosso objetivo é unir forças para conservação desse parque que é patrimônio mundial e que é mais ainda nosso e por isso faremos o possível para zelar por ele", assegurou.

A nova diretora do Parque Nacional da Serra da Capivara, Luciana Nars, falou sobre o desafio. "É uma grande responsabilidade que nos assumimos. Nós, inclusive, já planejamos diversas ações. Estamos trabalhando na elaboração do plano de manejo que é todo o regramento e o plano estratégico da unidade. Estamos trabalhando pela revitalização do Conselho, além de ações para aumento da visitação, capacitação de novos guias e também elaboração de estratégias que possam aproximar a população do parque criando um elo que induza essas pessoas também a contribuírem para conservação do Parque", informou.

A chefe regional do Icmbio, Ana Célia, ressaltou algumas ações importantes já realizadas no parque. "O Instituto Chico Mendes tem um trabalho continuado. Nós fazemos a gestão – na verdade, nós temos aqui uma co-gestão com a Fumdham – pela preservação, fiscalização, manutenção das equipes que fazem a limpeza de acervo e conservação. Tem todo um trabalho de logística para a manutenção do parque, além das ações de proteção que são ações de fiscalização que coíbe, principalmente, a caça", descreveu.

Margarete Coelho também visitou as obras do Museu da Natureza e as obras da passagem molhada do povoado Ingazeira.

Da Redação
redacao@cidadeverde.com

Livro escrito por Dom Inocêncio é encontrado em residência do Piauí

  • 20170206_172817.jpg Ordem Mercedária do Brasil
  • 20170206_172851.jpg Ordem Mercedária do Brasil
  • 20170206_180245.jpg Ordem Mercedária do Brasil
  • 20170206_180251.jpg Ordem Mercedária do Brasil
  • 20170206_180252.jpg Ordem Mercedária do Brasil
  • 20170206_180329.jpg Ordem Mercedária do Brasil

Um livro escrito por Dom Inocêncio López Santamaria foi encontrado em residência onde viveu em São Raimundo Nonato, município a 517 km de Teresina. A obra estava junto com uma pasta volumosa contendo cartas, documentos e outros registros do bispo que está em processo de beatificação e pode se tornar o primeiro santo a viver no Piauí. 

A pasta foi encontrada em fevereiro de 2017, mas só agora a descoberta foi divulgada pelo provincial da Ordem Mercedária do Brasil, frei Rogério Soares. Ele acompanhou pessoalmente no Piauí, a exumação dos restos mortais de Dom Inocêncio. Após o processo foi instalado no Brasil um Tribunal Eclesiástico e uma comissão histórica que catalogam e investigam todos os registros de Dom Inocêncio pelo Estado. O resultado do processo em sua etapa diocesana será encaminhado para o Vaticano.

“No livro, nunca publicado, ele descreve no Sertão do Piauí. Ele fala da fauna, da flora, da seca do jeito do povo e descreve a caatinga e os animais. É um relato fiel do olhar de quem chega da Espanha em pleno Sertão do Piauí”, explicou o frei.

O livro estava junto a outros documentos em um quarto fechado na casa que os padres mercedários ocupam em São Raimundo Nonato. Entre as cartas encontradas na residência estão solicitações enviadas para órgãos do governo pedindo a construção de estradas, alimento e água para o povo que sofria isolado no sertão do Piauí. “Ele tinha costume de escrever cartas usando papel carbono e ficava com uma cópia dessas cartas que escrevia para entidades governamentais. Isso será um importante registro do seu esforço em prol da mudança na vida das pessoas da região”, reforça frei Rogério.

Congregação nasce no Piauí

Entre os documentos estão ainda cartas enviadas para Madre Lúcia Etchepare, missionária argentina no Brasil que escolheu São Raimundo Nonato para viver. Junto de Dom Inocêncio, os dois fundaram a Congregação das Mercedárias Missionárias do Brasil. A primeira e única congregação religiosa fundada no Piauí. Atualmente a congregação feminina já está presente em boa parte do Brasil, nos Estados Unidos, Cuba e Peru.

Segundo Frei Rogério a ideia é que após catalogados, todos os documentos sejam disponibilizados para consulta na internet. “Os jovens vão poder conhecer esses verdadeiro tesouro da vida de Dom Inocêncio que falam da história de São Raimundo Nonato e do Piauí”, concluiu.

 

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Cura de câncer e arquivos secretos podem ajudar na canonização de Dom Inocêncio

  • fotohistorica1.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocenciovale33.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocenciofolha.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominicenciofolha.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocencio15.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocencio10.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocencio8.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocencio2.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • fotohistorica2.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocencio18.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocencio17vale.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocencio16.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocencio12.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocencio11.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil
  • dominocencio7.jpg Arquivo- Ordem Mercedária do Brasil

A cura de um câncer diagnosticado no padre Herculano Negreiros pode ser o novo milagre incluído no processo de canonização de Dom Inocêncio López Santamaria. O bispo viveu no sertão do Piauí combatendo a fome, a seca e o analfabetismo e pode virar santo após conclusão do processo iniciado no fim do ano passado.

Em dezembro de 2016, o bispo entrou para lista de “servo de Deus” assim como Dom Helder Câmara, arcebispo de Recife (PE), Odete Vidal de Oliveira (Odetinha) e Zilda Arns. Todos vão passar por uma análise criteriosa da igreja Católica para serem beatos [se houver a confirmação de um milagre], e em seguida declarados santos [se comprovados dois milagres].

Cura do Câncer


Padre Herculano Negreiros

Padre Herculano já foi prefeito de São Raimundo Nonato, e conviveu com Dom Inocêncio no início de sua vida religiosa. Em contato com o provincial da Ordem Mercedária do Brasil, frei Rogério Soares, o padre relatou a cura de um câncer após intercessão de Dom Inocêncio.

“Após ter um câncer detectado ele teria que passar pro 40 sessões de radioterapia. Seu médico pediu que ele viesse a Brasília fazer novos exames e ao retornar para Teresina, padre Herculano repetiu seus exames e para nossa surpresa ele estava dispensado das sessões e livre do câncer. Ele já estava muito preocupado pois teve quatro irmãos que morreram de câncer e atribui essa cura as orações que fez à Dom Inocêncio”, explica frei Rogério.

Em passagem pelo Piauí, Frei Rogério Soares, que acompanha o processo de Dom Inocêncio revelou a descoberta de itens e depoimentos que podem ser levados em conta no processo de canonização. Documentos estão sendo recolhidos no mundo inteiro e cerca de 40 pessoas serão ouvidas, entre bispos, padre, freiras e leigos, dos quais, muitos tiveram contato com Dom Inocêncio em vida. O processo, que será entregue ao Vaticano, deve durar mais de dois anos.

Arquivo secreto do Vaticano


Arquivo secreto do Vaticano

Novos documentos atribuídos a Dom Inocêncio foram encontrados no arquivo secreto do Vaticano e em outras inúmeras fontes em Roma. Segundo o frei Reginaldo Roberto Luiz, postulador Geral da Causa dos Santos da Ordem Mercedária, que veio de Roma para acompanhar o processo no Brasil, uma comissão histórica e um tribunal eclesiástico instalados no dia 20 de dezembro de 2016 pelo bispo dom Eduardo Zielski irão analisar os arquivos.

Membros de várias partes do Brasil como advogados e notários analisam, catalogam e digitalizam esses registos que revelam uma proximidade entre Dom Inocêncio e os Papas Pio XXI e Pio XII e sua fama de santidade.

“Não há nenhum documento encontrado no arquivo que possa ser obstáculo para comprovar suas virtudes e fama de santidade. Esses achados são uma grande pérola no nosso processo. Com certeza eles serão pertinentes para colaborar nas comprovações”, explica frei Reginaldo.

Todas as descobertas devem ser mantidas em sigilo por trazerem menções a pessoas ainda vivas. Documentos de 1939 que já se encontram no processo enfatizam a proximidade com os papas Pio XI e Pio XII, com quem Dom Inocêncio trocava correspondências e tratava de evangelização e matérias econômicas como a construção de catedrais e a sustentação do seminário.

“Nós temos diversos nomes de pessoas que relatam milagres, mas manteremos ainda dentro do sigilo os casos que serão investigados para evitar um impacto. Temos alguns que selecionamos para dar o próximo passo que é encaminhar para análise do tribunal eclesiástico. Caso seja comprovado que não há explicação científica para as curas, sejam elas perpétuas ou duradouras, é que elas serão enviadas para o vaticano”, conclui o frei.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

São Raimundo Nonato registra chuva de granizo e queda de Cruzeiro; assista vídeo

Um temporal com chuva de granizo provocou estragos no município de São Raimundo Nonato ( a 517 km de Teresina). A chuva que ocorreu por meia hora na tarde desta quinta-feira (23) causou destruição e deixou parte da cidade no escuro.

A prefeita de São Raimundo Nonato, Carmelita Castro, que estava à caminho do município foi informada que o Cruzeiro, que fica em um mirante caiu. O local - que fica próximo da catedral - é um dos principais pontos turísticos. De lá é possível ter uma visão panorâmica da cidade. O Cruzeiro tem cerca de 20 metros. 

O forte vento derrubou árvores e uma torre de telefonia. Alguns bairros ficaram sem comunicação. A prefeitura avalia os prejuízos causados. 

"Ainda estávamos levantando os dados  dos prejuízos para adotar as medidas", disse a prefeita.

Forte chuva em São João

O Cidadeverde.com foi informado que parte do município de São João do Piauí (a 486 km de Teresina) estava sem energia, devido um temporal que caiu hoje na cidade. Circulou informação de que choveu granizo na cidade, mas até agora não foi confirmado.

Centro comercial em São Raimundo Nonato

Pode acontecer em outros municípios

A gerente de Meteorologista, Sônia Feitosa, informou que é comum o fenômeno do granizo nas primeiras chuvas e que pode acontecer em outros municípios do Estado.

"Antes da chuva chegar, o clima fica muito quente e ao se encontrar com uma atmosfera fria se forma partícula de gelo e gera o granizo. O vento começa a circular e a partícula de água ou gelo começa a crescer e por isso chove granizo", informou Sônia Feitosa.

Segundo ela, as pessoas pensam que só chove granizo em locais frios, mas não é verdade. "Pode chover granizo em locais frios de acordo com a precipitação atmosférica, mas é comum a chuva de granizo nesse período de altas temperaturas".

Sônia ressalta ainda que as chuvas em Teresina terão início somente em dezembro.

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Ministério da Integração libera R$ 15,7 milhões para construção de adutora em São Raimundo Nonato

O Ministério da Integração Nacional autorizou, nesta terça-feira (14), a liberação de recursos para a construção da adutora de engate rápido de São Raimundo Nonato. O secretário de Estado da Defesa Civil, Hélio Isaias, informou que a obra custará R$ 15,7 milhões e será executada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf). 

De acordo com o projeto, a adutora terá 26 quilômetros de extensão e deverá levar água dos poços da Serra Branca ao sistema adutor do Garrincho, possibilitando o abastecimento de nove municípios da região da Serra da Capivara. 

Para Hélio Isaias, a construção da adutora é fundamental para solucionar o problema de abastecimento de São Raimundo Nonato e região. "Fiquei extremamente satisfeito ao ser informado da liberação dos recursos para a construção da adutora de engate rápido de São Raimundo Nonato, pois sei a importância dessa obra para resolver o problema hídrico naquela região. Essa foi uma luta incansável que contou com o importantíssimo apoio do governador Wellington Dias, da vice-governadora Margate Coelho, da prefeita de São Raimundo Nonato, Carmelita Castro e do senador Ciro Nogueira Vale também destacar o apoio do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, que se sensibilizou com a crise hídrica enfrentada pelas famílias do nosso semiárido e autorizou o repasse dos recursos. Essa é uma excelente notícia para população do território da Serra da Capivara", comemorou o secretário. 

Fonte: Ccom

Ministério da Integração libera R$ 15,7 milhões para construção de adutora

O Ministério da Integração Nacional autorizou, nesta terça-feira (14), a liberação de recursos para a construção da adutora de engate rápido de São Raimundo Nonato. O secretário de Estado da Defesa Civil, Hélio Isaias, informou que a obra custará R$ 15,7 milhões e será executada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf). 

De acordo com o projeto, a adutora terá 26 quilômetros de extensão e deverá levar água dos poços da Serra Branca ao sistema adutor do Garrincho, possibilitando o abastecimento de nove municípios da região da Serra da Capivara. 

Para Hélio Isaias, a construção da adutora é fundamental para solucionar o problema de abastecimento de São Raimundo Nonato e região. 

"Fiquei extremamente satisfeito ao ser informado da liberação dos recursos para a construção da adutora de engate rápido de São Raimundo Nonato, pois sei a importância dessa obra para resolver o problema hídrico naquela região. Essa foi uma luta incansável que contou com o importantíssimo apoio do governador Wellington Dias, da vice-governadora Margarete Coelho, da prefeita de São Raimundo Nonato, Carmelita Castro e do senador Ciro Nogueira. Vale também destacar o apoio do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, que se sensibilizou com a crise hídrica enfrentada pelas famílias do nosso semiárido e autorizou o repasse dos recursos. Essa é uma excelente notícia para população do território da Serra da Capivara", comemorou o secretário. 



redacao@cidadeverde.com

Forte chuva volta a alagar ruas do Centro de São Raimundo Nonato

  • chuva-05.jpg Em São Raimundo Nonato, temporal inundou ruas do centro comercial
    Fotos recebidas pelo Whatsapp
  • chuva-04.jpg Fotos recebidas pelo Whatsapp
  • chuva-03.jpg Fotos recebidas pelo Whatsapp
  • chuva-02.jpg Fotos recebidas pelo Whatsapp
  • chuva-01.jpg Fotos recebidas pelo Whatsapp

O centro comercial de São Raimundo Nonato, no Sul do Piauí, ficou alagado com a forte chuva registrada no início da tarde desta terça-feira (14). O temporal durou cerca de duas horas, sem relatos de incidentes mais graves no município. 

A chuva começou por volta de 12h40. Moradores que possuem pluviômetro registraram que a precipitação chegou a 84 milímetros na cidade. Outros municípios próximos também foram atingidos. 

A Prefeitura de São Raimundo Nonato informou ao Cidadeverde.com que o problema do alagamento é antigo e provocado por conta dos bueiros construídos na região. O poder público acrescentou que trabalhou preventivamente e limpou os bueiros para que a água pudesse escoar de forma mais rápida. 

Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apontam que, entre as manhãs de ontem e hoje, foram registradas chuvas em Gilbués (34,2 mm), Alvorada do Gurgueia (32 mm), Caracol (17 mm) e São João do Piauí (11,1 mm). 

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Incêndio na região da Serra da Capivara destruiu 1.300 hectares, diz ICMBio

Fotos: Joaquim Neto

O incêndio que atingiu o entorno do Parque Nacional da Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato, destruiu uma área de aproximadamente 1.300 hectares. A informação é do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela unidade de conservação. Se tivesse sido no perímetro do parque, o fogo teria devastado 10% do seu território, que chega a 130 mil hectares.

Fotos aéreas divulgadas pela prefeitura de São Raimundo Nonato mostram o rastro de destruição deixados pelas chamas.  “Ainda estamos concluindo o levantamento, mas já podemos dizer que 1.300 hectares fora atingidos fora do parque”, informa a  a coordenadora Regional do ICMBio, Ana Célia Coelho.

Segundo a coordenadora, o fogo que teve início no domingo já foi totalmente debelado. Na tarde de ontem, a equipe da Força Tática do Maranhão sobrevoo a região e não encontrou mais focos de incêndio, nem mesmo fumaça.

Uma equipe de 40 brigadistas trabalhou para debelar os focos de incêndio. Duas aeronaves, sendo uma do Maranhão, ajudaram no combate às chamas. 

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Incêndio na região da Serra da Capivara foi controlado, diz ICMBio

  • ea0e2726-9174-4017-9aad-b8583b6a7e0e.jpg
  • d19d66b5-8fbf-41ba-b6ed-c4c98e5c0dfe.jpg
  • 65e884fc-fa79-4757-b675-512499f54e54.jpg
  • 6a5847f1-983c-42c0-b204-5e5cf1e405fc.jpg
  • 1ab80ac1-9301-4e69-97e5-b31c1eac331f.jpg
  • 61436554-bcc5-4a0d-882a-e2971adc0d62.jpg

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) garantiu, no final da tarde desta segunda-feira (23), que o incêndio ao redor do Parque Nacional Serra da Capivara está controlado e não corre mais risco de expansão. A mata na região queima desde ontem e o fogo já ameaçava o perímetro da unidade de conservação.

“O incêndio está contido, está controlado, mas ainda os brigadistas estão apagando pequenos focos que ficam. O fogo não chegou a entrar no parque”, explica a coordenadora Regional do ICMBio, Ana Célia Coelho.

O fogo atingiu principalmente a região conhecida como “Baixão das Andorinhas” e, por conta do declive, as chamas não entraram no parque. “O fogo pegou o Baixão das Andorinhas, uma região bem próxima, mas como o baixão é grande, o fogo não entrou no parque”, explica.

O Baixão das Andorinhas é uma região mais distantes da sede do Parque. Lá, o visitante, quando consegue chegar, assiste uma dos espetáculos mais bonitos da natureza. Todos os dias, no final da tarde, centenas de andorinhas descem em voos rasantes para dormir na caverna que existe no local. 

Uma equipe de 40 brigadistas trabalha para debelar os focos de incêndio que ainda persistem. Duas aeronaves, sendo uma do Maranhão, ajudam no combate às chamas. O ICMbio disse que só fará uma avaliação dos estragos causados assim que o fogo for totalmente apagado.

“Nós já pedimos um levantamento, mas tem muito declive, área de encosta. A equipe está voltada para debelar o fogo. Ainda não deu para avaliar a situação de perda de animais. Não deu para fazer uma avaliação ainda do estrago na fauna e flora, só quando o fogo estiver terminado”, finalizou a coordenadora.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Posts anteriores