Cidadeverde.com

Manchas de óleo: Praias Peito de Moça e Pedra do Sal estão impróprias para banho

 

 

 

Atualizada às 17h33min

A auditora da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, Waneska Vasconcelos, não descarta a possibilidade de novas praias do litoral do Piauí serem consideradas impróprias para banho neste domingo (17). 

Manchas de óleo apareceram nas praias de Pedra do Sal, Peito de Moça e Atalaia. Neste domingo o monitoramento continua em mais praias. 

"Se  houver mudanças, mais praias podem ser consideradas impróprias para banho. Amanhã vamos continuar o monitoramento, principalmente, na praia de Pedra do Sal, até pela quantidade de óleo encontrada", disse  Waneska Vasconcelos.

A Semar ainda vai contabilizar a quantidade de óleo encontrada nas praias neste sábado. 

 

Atualizada às 16h16min


A Secretaria Estadual do Piauí (Semar) classificou mais duas praias do Piauí como impróprias para banho: a praia Peito de Moça, em Luís Correia, e a Pedra do Sal, no município de Parnaíba. Na quinta (14), a praia de Atalaia, em Luís Correia, foi a primeira a ser considerada imprópria. As demais praias permanecem liberadas. 

As praias de Atalaia e Peito de Moça já estão sinalizadas para alertar os banhista da presença de petróleo cru na água.  O gerente de fiscalização da Semar, Renato Nogueira, explicou que até o final de hoje a praia Pedra do Sal será sinalizada. 

"Na praia Peito de Moça já foi colocada a placa de imprópria para banho e, ainda hoje, nós vamos nos deslocar para a Pedra do Sal. Lá também estará (imprópria) pelo que já foi visto ontem por nossas equipes. Hoje deve ocorrer o fixar das placas e divulgação de nota", comentou Nogueira.

 Ainda não há dados oficiais sobre a quantidade do recolhimento de material oleoso neste sábado. No final de hoje deverá ser divulgado algum balanço. 

As praias estão sendo consideradas impróprias porque ainda pode haver produto na água. "As manchas têm nas praias hoje ainda são decorrentes de ontem e antes de ontem. O fato de retirar as manchas que estão na areia não quer dizer que a água esteja limpa. A maré pode ter recolhido essas manchas que foram depositadas nas praias. É um cenário diferente do primeiro lá do final de setembro".

As manchas em setembro eram compactadas, dessa vez elas vieram pulverizadas, fragmentadas, diluídas e flutuantes na água.  Essas praias consideradas impróprias para banho não estão interditadas. 

Recomendações

Renato Nogueira fez uns esclarecimentos aos banhistas que teve contanto com a mancha. 

"Não é uma interdição. É um status em que a água se apresenta imprópria para banho. Alguns banhistas talvez não apresentem os sintomas, que são vermelhidão, coceira, escamação, urticária, isso em contato com a pele. Se ingerido pode provocar náusea, dor de cabeça, irritação. Alguns   banhistas podem não apresentar esses sintomas. 

A reação dos banhistas também depende do tempo de contato com o produto e da concentração dessas mancha de óleo na água. "Nem todo mundo que entrar na água vai se sujar. Nem todo mundo que entrar na água vai se contaminar. E nem todo mundo que está na praia vai ver o produto, pois para encontrar é preciso uma verificação minuciosa".

As pessoas que apresentam os sintomas, o gerente recomenda que busquem um posto de saúde. "Quando a mancha se agregar a pele, a limpeza deve ser feita com óleo vegetal seguido de água e sabão". 

Foto: Fiscalização/Semar/Divulgação

 

 

Matérias Relacionadas:


Marinha usa aeronave e navio para apurar denúncias de óleo no Delta de Parnaíba

Força-tarefa recolhe 1,5 tonelada de material oleoso das praias piauienses

 

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Instituto registra 4 tartarugas mortas nas praias do PI; exames serão realizados

Foto: Instituto Tartarugas do Delta / arquivo

 

Dez animais morreram nas praias piauienses neste mês de novembro, mas a relação com a presença de óleo nas águas não está comprovada. De acordo com a bióloga Werlanne Magalhães, vice-presidente do Instituto Tartarugas do Delta, os animais não apresentavam sinais aparentes de intoxicação.

"Nas demais praias do Nordeste, vemos os animais completamente imersos, manchados de óleo. Esse não é nosso caso. Tivemos dez animais mortos em novembro, mas sempre temos um número acentuado de mortes porque as tartarugas comuns daqui são costeiras e ficam expostas à ação humana, se chocam com embarcações, sofrem pesca predatória ou engolem lixo das piscinas naturais das praias. Não há como dizer ainda se algum desses animais teve contato com o óleo o suficiente para causar a morte. Eu acho que esse não foi o caso", disse a bióloga ao Cidadeverde.com.

Werlanne informou que alguns dos animais mortos estão congelados e serão realizadas análises nesta semana. Quatro dos animais foram encontrados nos dois últimos dias, quinta e sexta-feira, quando as manchas das praias ficaram aparentes.

Circula nas redes sociais a imagem de uma tartaruga morta e com uma pequena mancha de óleo na parte inferior. A bióloga explica, entretanto, que para causar a morte, o animal teria que ter engolido ou aspirado o óleo, ou ter estado submerso, como aconteceu em outros locais.

"Pode ser que o animal já estivesse à deriva e passou pelo óleo. Não dá para dizer que foi isso que causou a morte. Dizemos que pode ser causa quando vemos manchas nas narinas, na boca ou na calda, porque indica que pode ter saído nas fezes, ou se encontramos o animal tão manchado que parece que ele mergulhou em uma piscina de óleo. Isso não ocorreu aqui", explica.

As quatro tartarugas mortas nesses últimos dias foram encontradas na Praia de Atalaia (2), Cajueiro da Praia (1) e Pedra do Sal (1).

Jordana Cury
[email protected]

Atalaia é sinalizada como imprópria para banho; demais praias estão liberadas

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) confirmou ao Cidadeverde.com que neste sábado (16), até o momento, apenas a praia de Atalaia, em Luís Correia, continua imprópria para banho. O local está sendo sinalizado com a instalação de placas nesta manhã.

Segundo o órgão, equipes da Marinha, do ICMBio, da Prefeitura de Luís Correia e da própria Semar estão na praia avisando aos banhistas sobre os riscos de entrar na água, mas parte da população continua ignorando as orientações - e os órgãos que fazem a fiscalização não têm o poder de impedir ou retirar as pessoas do mar.

"Foi realizada na manhã deste sábado, a colocação de placas indicativas de que a água da Praia de Atalaia está imprópria para banho. Foi colocada uma placa na entrada da praia e uma placa na saída, no posto da praia. Isso se deve pela presença de óleo na areia e na água. Mesmo as manchas em pequenas quantidades e pequenos tamanho, existe o risco de contaminação para o banhista. Essa é uma medida preventiva para evitar danos à saúde do banhista. A Semar, com isso, aplica a resolução CONAMA 274/200, que diz que na presença de óleo, constatada pelo agente, pode sim considerar a praia imprópria para banho. Não se trata de uma interdição da praia, é uma recomendação de que a água está imprópria para banho. Nós vamos continuar o monitoramento no dia de hoje em outras praias, e se o diagnóstico for o mesmo, tomaremos as medidas cabíveis, consideraremos a praia imprópria para banho", explicou Renato Nogueira, Gerente de Fiscalização da Semar.

Foto: Divulgação Semar

Até agora, já foi retirado óleo nas praias de:

- Atalaia: 830 quilos de óleo com detritos
- Pedra do Sal: 200 quilos de óleo com detritos
- Peito de Moça: 5 quilos de óleo com detritos
- Coqueiro: não calculado
- Praia do Pontal (Ilha Grande): não calculado

Desde setembro, mais de 1,5 tonelada já foi retirada. 

A Semar afirmou que, por enquanto, está descartada a possibilidade de interditar a praia, já que as manchas já estão sendo retiradas e a quantidade é muito inferior à que foi encontrada nos demais estados nordestinos.

O órgão confirmou ao Cidadeverde.com que já foram encontradas manchas no Delta, mas na parte do Maranhão, e também em pequenas quantidades. 

De acordo com a Semar, não há como prever se chegará mais óleo às praias do Piauí nas próximas horas.


Jordana Cury
[email protected]

 

Força-tarefa recolhe 1,5 tonelada de material oleoso das praias piauienses

  • delta3.jpg Marinha
  • delta6.jpg Marinha
  • delta5.jpg Marinha
  • delta4.jpg Marinha
  • marinha9.jpg Marinha
  • marinha8.jpg Marinha
  • marinha7.jpg Marinha
  • marinha61.jpg Marinha
  • marinha51.jpg Marinha
  • marinha41.jpg Marinha
  • marinha31.jpg Marinha
  • marinha21.jpg Marinha
  • marinha11.jpg Marinha
  • marinha6.jpg Marinha
  • marinha5.jpg Marinha
  • marinha4.jpg Marinha
  • marinha3.jpg Marinha
  • marinha2.jpg Marinha
  • marinha1.jpg Marinha

A força-tarefa formada para limpar a praia de Atalaia retirou 910 kg de material oleoso em apenas dois dias, quinta (14) e sexta (15). Desde o dia 02 de setembro, até hoje, dia 15 de novembro, o grupo recolheu pouco mais de 1,5 tonelada do produto das praia piauienses. As manchas de óleo atingem todo o litoral nordestino. 

Desde quinta (14), quando o material voltou a atingir o litoral piauiense, grupos se uniram para limpar as localidades afetadas.  Devido a grande presença de manchar de óleo, a Semar considerou a praia de Atalaia imprópria para banho. 

O comandante da Capitania dos Portos do Piauí, capitão Benjamin Dante Lima, informou que, além da Praia de Atalaia, foi detectado a presença das manchas em outras praias, mas em pequenas quantidades. 

Nesta quinta, a força-tarefa retirou 5 kg de material oleoso da Praia Peito de Moça, que após retirada do produto, é considerada uma praia limpa, segundo o comandante.  Além das pequenas manchas nessa praia, a Marinha identificou esporádicas manchas na Praia do Coqueiro.

"Agora, apareceu uma grande quantidade de óleo na Pedra do Sal. Ainda está sendo feito a limpeza", acrescentou. 

O Ibama também detectou na quinta (14) a presença de pequenas manchas de óleo na Praia de Pontal, em Ilha Grande.

A limpeza das praias ocorreu sob a coordenação da Marinha do Brasil. A força-tarefa conta com a participação de marinheiros e fuzileiros navais, representantes das prefeituras dos municípios afetados, voluntários, membros da Semar e Ibama. 

As primeiras manchas apareceram no dia 27 de setembro no Piauí e pararam de aparecer no dia 30 de setembro. Naquela época, das 16 praias, sete foram afetadas.  Após o dia 30, as manchas retornaram na última quinta (14).

"As praias estavam limpas, mas, na véspera do feriado, detectamos a presença de óleo na praia de Atalaia. Prontamente, iniciamos o trabalho de limpeza e contamos com o apoio da Prefeitura de Luis Correia, dos fuzileiros navais da Marinha do Brasil (que vieram de Belém para trabalhar no monitoramento das praias), Semar, prefeituras, voluntários", disse. 

Atualização PARCIAL da tabela em 27/09/19 a 15/11/19

Luís Correia: 1 215 kg
Parnaíba: 201 kg
Ilha Grande: 97 kg
Cajueiro da praia: 1kg
Total: 1514  kg

Praias afetadas

A auditora fiscal ambiental da Semar, Waneska Vasconcelos, confirmou que o novo surgimento das manchas identificado nesta quinta-feira (14) afetou cinco praias do Piauí. “Encontramos reincidência das manchas de óleo na Praia do Pontal (Ilha Grande), em Pedra do Sal (Parnaíba), em Atalaia, Peito de Moça e Coqueiro (Luís Correia)”.

O Cidadeverde.com entrou em contato com a equipe de fiscalização da Semar que assegurou que, no momento, apenas a praia de Atalaia é considerada imprópria para banho. Uma nova avaliação das praias será dada na manhã deste sábado (14), na qual será informada se os locais permanecem próprios para banho. 

Até o momento foram registradas novas incidências de manchas nas praias de:

  • Praia do Pontal
  • Pedra do Sal
  • Atalaia
  • Peito de Moça
  • Coqueiro

Orientação para banhistas

A orientação dos órgãos de monitoramento é evitar o contato direto com as manchas e acionar a prefeituras e as equipes de plantão. “Aconteceu de alguns banhistas terem pisado nas manchas. Indicamos que a retirada seja feita com óleo de cozinha ou óleo mineral. Caso alguém tenha algum sintoma alérgico, deve procurar uma unidade de saúde mais próxima”, explicou a auditora ambiental. 

Neste sábado (16), as praias deverão ser sinalizadas com placas alertando os banhistas sobre os riscos de contato com o óleo. 

 

Carlienne Carpaso e Valmir Macêdo
[email protected]

 

Manchas de óleo aparecem na praia do Pontal em Ilha Grande e em Peito de Moça, diz Marinha

Fotos: Clara Pimentel


Turista registra óleo na Praia do Peito de Moça


A Marinha confirmou na manhã desta sexta-feira (15) que novas manchas de óleo foram encontradas nas praias de Peito de Moça, em Luis Correia, e na praia do Pontal, no município de Ilha Grande. Desde ontem, o óleo que não atingia o litoral do Piauí desde o dia 30 de setembro, voltou a aparecer. A Praia de Atalaia foi a primeira ser afetada, sendo inclusive decretada pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente como imprópria para banho.

"Detectamos a presença de manchas esporádicas na praia do Pontal e Peito de Moça. As informações são atualizadas constantemente. Algumas denúncias estão sendo feitas e estamos verificando", disse o comandante da Capitania dos Portos do Piauí, capitão Benjamin Dante Lima.

Segundo ele, a presença do óleo nessas praias é bem menor do que apareceu em Atalaia. "A presença é bem menos que em Atalaia, por isso que só Atalaia foi considerada imprópria", declarou.

Há informações ainda não confirmadas pelas autoridades de que manchas de óleo também foram vistas nas praias do Coqueiro (Luis Correia) e Pedra do Sal, em Parnaíba.

Atalaia

Segundo a Marinha, cerca de 80kg de óleo já foram retirados da praia de Atalaia. "Estamos fazendo a limpeza para que ela volte a ser própria o mais rápido possível. Aconteceu isso nas vésperas de um feriado, não é agradável, mas nós sabemos que a vida humana é muito mais importante. Estamos trabalhando nisso e vamos conseguir vencer essa batalha", declarou o comandante.

Mesmo com a situação, turistas foram flagrados tomando banho na praia nesta sexta-feira.

Hérlon Moraes
herlonmora[email protected]

Turistas ignoram orientação do governo e tomam banho na praia de Atalaia

Alguns turistas que já estão em Luís Correia para o feriadão da Proclamação da República ignoraram a orientação da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e estão tomando banho na praia de Atalaia. Nesta quinta-feira (14), no final da tarde, novas manchas de óleo apareceram na praia, forçando o governo a comunicar que o mar estava impróprio para banho e, assim, evitar que pessoas tivessem contato com o óleo.

Um vídeo feito pela Secretaria de Turismo de Luis Coreia mostra a concentração de turistas na praia desde as primeiras horas da manhã. Nas imagens, duas crianças tomam banho acompanhadas de um adulto. (Veja acima).

Ao Cidadeverde.com, o secretário de Turismo, Jean Clauscius, disse que a praia de Atalaia não está imprópria para banho, como foi divulgado pelo governo. Segundo ele, as manchas que apareceram são muito pequenas e já foram retiradas.

"Em relação as manchas até agora eu lhe garanto que são pequenas, são pingos. Em 2km não tem nada que comprove o que foi colocado na mídia. Tem banhistas. Isso significa que a praia não está imprópria para banho. Não existem essas manchas de óleo como foi colocado na mídia pelos órgãos públicos do estado", contesta o gestor.

"A Marinha está aqui. Tem banhistas do lado deles, inclusive crianças. Significa que a orla de Atalaia não está imprópria para o banho", acrescentou.

Fotos: Secretaria de Turismo de Luis Correia

O secretário disse que a limpeza que está sendo feita na praia é para a retirada de algas da areia. Até o momento, as placas de proibição não foram colocadas pelo município. “Não existem essas manchas como tem nos outros estados”, ressaltou.

A Capitania dos Portos do Piauí disse que a medida adotada pela Semar é preventiva para evitar que pessoas tenham o contato com o óleo.

"É uma medida preventiva visando não trazer danos à saúde de banhistas. O contato pode trazer alergia. Eu concordo e ratifico com a resolução do Conama. É melhor prevenir do que remediar", disse o comandante da Capitania dos Portos do Piauí, capitão Benjamin Dante Lima.

Segundo ele, o trabalho de limpeza começou ainda ontem e envolve já o reforço de fuzileiros navais que chegaram ao litoral durante a semana.

"A gente incrementou a fiscalização na nossa área desde o dia 2 de setembro. Por terra utilizando nossos militares, agora com os fuzileiros navais que estão aqui conosco e ontem quando a gente foi na praia de Atalaia se deparou com a presença das manchas de óleo. Dessa vez as manchas vieram com uma característica um pouco diferente: ao invés daquelas placas maciças que nós tínhamos na areia, a gente observou a presença de óleo pulverizado do tamanho de pequenas moedas. Isso em toda a orla da praia de Atalaia. De pronto a gente já iniciou a limpeza com o apoio da Semar e prefeitura de Luis Correia e com os fuzileiros", afirmou.

O comandante afirmou ainda que uma grande quantidade do óleo já foi retirada e que a limpeza não para. "Já conseguimos recolher uma grande quantidade desse óleo. E vamos continuar para tentar trazer a praia para ficar própria novamente o mais rapidamente possível", declarou.

A secretária do Meio Ambiente, Sádia Castro, disse que a liberação da praia vai depender dos monitoramentos. " Não  podemos prever por quanto tempo vai durar a interdiçã. Vai depender do resultado dos monitoramentos", afirmou.

 

Foto: Marinha

Hérlon Moraes
[email protected]

Semar diz que praia de Atalaia está imprópria para banho após novas manchas de óleo

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente anunciou na noite desta quinta-feira (14) que a orla da praia de Atalaia, no município de Luis Correia, litoral piauiense, está imprópria para o banho. É a primeira intervenção em uma das praias mais visitadas do estado, devido o avanço das manchas de óleo. 

Das 16 praias do litoral do Piauí, sete já foram atingidas pelos resíduos do petróleo cru. Um navio da Marinha iniciou semana passada o monitoramento em busca de manchas. A partir desta sexta-feira (15), a prefeitura de Luis Correia irá colocar placas de aviso de área imprópria para o banho e começar a orientação para os banhistas. 

O gerente de fiscalização da Semar, Renato Nogueira, informou que as equipes de monitoramento tanto da Semar como de outros órgãos detectaram a ocorrência de manchas de óleo na praia de Atalaia.

"As manchas estavam depositadas nas areias e presente na água. Diferentemente no cenário anterior onde foram detectadas manchas na areia da praia".

Segundo o gerente, são manchas pequenas e estavam flutuando na água e em caso de contato com uma pessoa pode levar a reação alérgicas.

"Existe uma resolução do Conama ( a 274/2000), que a Semar pode interditar a praia imprópria para a banho quando há presença de óleo. A Semar toma essa medida preventivamente para evitar que alguém se contamine e que sofra um dano maior", afirmou o gerente.

Ele ressaltou que no final de semana prolongado, com o feriado, muitos turistas, buscam o litoral, mas que existem outras opções de praia. 


Recomendações

A Semar orienta que se o banhista encontrar manchas de óleo em outras praias deve comunicar os órgãos competentes como Ibama, Semar, Capitania dos Portos para que possa ser feita a limpeza.

"A limpeza da praia de Atalaia já está sendo providenciada pela Prefeitura e pelos órgãos da força-tarefa, de acordo com a liberação de recursos".

Segundo o gerente, não há previsão de quando a praia de Atalaia será liberada.

"Amanhã a gente espera uma nova resposta da maré para ver como o cenário se comporta. Não tem como fazer uma previsão de quanto a praia será liberada e se outras praias serão atingidas, pois o fenômeno está variando com a maré". 

 

Flash Yala Sena
yala [email protected]

Homem é preso suspeito de roubar cofre com dízimo de igreja; veja flagrante

Um homem foi preso em flagrante suspeito de roubar um cofre de dízimo de uma igreja no litoral do Piauí. O caso ocorreu na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, no Centro do município de Luís Correia, a 346 quilômetros de Teresina.

O caso foi flagrado pelas câmeras do circuito de segurança da paróquia na manhã dessa segunda-feira (4). O homem entra na igreja por uma das portas que está aberta. Ele se dirige ao cofre e levar cerca de um minuto para arrombar o compartimento e retirar o dinheiro.

“Ele já tem passagem pela polícia por roubo, estava em condicional. Ele relatou à polícia ter levado cerca de R$ 180 reais da igreja, mas o dinheiro não estava com ele no momento da prisão”, contou o major Danilo Palhano, da Companhia Independente de Policiamento Turístico (CIPTUR).

Foto: Reprodução Google Street View

Igreja onde o furto ocorreu.

O Cidadeverde.com entrou em contato com a Secretaria da paróquia que não quis gravar entrevista. A secretaria não confirmou a quantia, tendo em vista que o arrecadado ainda não havia sido apurado.

Ainda segundo a secretaria da igreja, este é o segundo roubo registrado depois que o circuito interno de segurança foi instalado. O sistema de segurança foi implantado para coibir os furtos que são frequentes. 

Valmir Macêdo
[email protected]

 

Correios da cidade de Luiz Correia é alvo mais uma vez de arrombamento

Foto: reprodução

A Polícia Federal foi acionada na noite de sábado (2), para atender ocorrência de arrombamento na agência dos Correios na cidade de Luiz Correia no litoral piauiense. 

Devido aos constantes arrombamentos a agência dos correios de Luiz Correia não trabalha mais como banco postal (dinheiro), apenas utilizada para serviços de correspondências e encomendas. Os arrombadores buscam por objetos de valor que são encaminhados para entrega pelos correios de Luiz Correia. 

Não foi informado o que levaram do local. 

com informações jornal da parnaiba/portal do catita

Ciptur apreende mais de R$ 8 mil e drogas em casa no litoral do Piauí

Foto: Divulgação PC-PI

A Companhia Independente de Policiamento Turístico (Ciptur) apreendeu mais de R$ 8 mil em dinheiro, celulares, trouxinhas de maconha e também pés da planta em uma residênica na cidade de Luís Correia, no litoral do Piauí. Segundo o tenente Mesquita Júnior, policiais estavam em uma diligência relacionada a uma tentativa de homicídio e acabaram fazendo o flagrante por tráfico de drogas. 

"A equipe estava fazendo o levantamento de uma tentativa de homicídio. Fomos até essa casa que era de uma pessoa suspeita do caso. Lá, ele demonstrou muito nervosismo e acabamos descobrimos alguns pés de maconha que estavam em um vaso, trouxinhas da droga, celulares e uma considerável quantia em dinheiro", explica tenente Mesquita Júnior. 

O suspeito- que não teve a identidade revelada- foi preso por tráfico de drogas e encaminhado para a delegacia da cidade. 

"Sobre a participação dele na tentativa de homicídio caberá à Polícia Civil", concluiu o tenente da Ciptur. 


Graciane Sousa
[email protected]

Posts anteriores