Cidadeverde.com

Prefeitura de José de Freitas reúne multidão em Festa das Mães

A Prefeitura de José de Freitas, no Piauí,  realizou uma grande festa na noite da última sexta-feira , no ginásio poliesportivo Mestre Eva, para comemorar o dia das mães. Cerca de 1.200 mães marcaram presença na festa e receberam presentes e sorteios de um grande número de brindes.

O ginásio Mestre Eva  ficou pequeno para a grande multidão que compareceu a festa que teve a animação da Banda  Estrela do Norte da Prefeitura Municipal.

O prefeito Roger Linhares e a primeira dama Germane Linhares,  participaram ativamente da festa   que foi organizada pela  assistência social, em parceria com a  saúde de José de Freitas.

Fonte: Ascom

Emgerpi proíbe ocupação e retirada de pedra da Barragem do Bezerro

Uma portaria da Empresa de Gestão de Recursos do Piauí (Emgerpi), do governo do estado, publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (20), proíbe terminantemente a retirada de madeira e pedra da Barragem do Bezerro, em José de Freitas. O açude teve uma infiltração na parede do reservatório e uma das principais causas seria a retirada de pedras do local. O governo montou uma operação de esvaziamento da barragem para evitar seu rompimento por conta do vazamento. Os trabalhos duraram uma semana.

O documento proíbe ainda ocupações, edificações, levantamento de cercas, plantio, roço, queimadas, criação de animais e quaisquer outras intervenções por terceiros não autorizadas na área da barragem.

De acordo com a portaria, assinada pelo presidente da Emgerpi, Décio Solano, quem for flagrado descumprindo o que está previsto no documento sofrerá medidas administrativas e judiciais.

O Ministério Público do Piauí anunciou no dia 11 de abril que iria abrir uma investigação para apurar o suposto furto de pedras da barragem do Bezerro. O ponto de partida para descobrir quem retirou o material é a postagem de um policial militar nas redes sociais dando conta que, há alguns anos, apreendeu um caminhão carregado de pedras. Uma pessoa teria sido detida na época.

Imagens drone da TV Cidade Verde/Edenilton Freitas

“Nós tomamos conhecimento de que um policial postou em uma rede social que teria prendido um suspeito num caminhão. Isso depois de 5 anos. Vamos verificar exatamente o que foi que aconteceu. Primeiro nós vamos abrir uma investigação”, disso o promotor Flávio Teixeira ao Cidadeverde.com.

Um inquérito civil já havia sido instaurado pelo MP para apurar algumas situações envolvendo a barragem como a apropriação de terras, a criação de animais, a invasão da área de preservação permanente, a situação dos barraqueiros e, entre elas, a questão da falta de manutenção da barragem.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Bombeiros pedem que famílias não retornem à áreas de risco

Fotos: Yala Sena/Cidadeverde.com

O comandante do Corpo de Bombeiros Carlos Frederico está fazendo um alerta para que as famílias desabrigadas não retornem às áreas de risco em José de Freitas, mesmo com a redução das chuvas e a diminuição do nível da Barragem do Bezerro.

"O Corpo de Bombeiros não autoriza o retorno dessas famílias. Elas devem evitar voltar para suas casas até que se tenha segurança", declarou.

A chegada do ministro Pádua Andrade, da Integração Nacional, está sendo aguardada no município. O ministro visitará o sangradouro, onde o governo abriu o canal de escoamento das águas. A segurança foi reforçada e a área está isolada.

O comandante informou que as equipes de Busca e Salvamento atenderam cerca de  700 pessoas em José de Freitas, e devido à elevação do Rio Parnaíba, o Corpo de Bombeiros redobrou a atenção nos municípios de Luzilândia, Joca Marques, Madeiro e Miguel Alves.

"Ainda há famílias em áreas isoladas, mas sem risco de alagamento", disse o comandante. O Corpo de Bombeiros disse ainda que a previsão é que nas próximas 48 horas o nível dos rios Longá e Marataoan aumente, por isso, o estado é de atenção máxima. 

O trabalho de resgate das famílias está sendo realizada por uma força tarefa do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Polícia Militar.

Flash de Yala Sena
Redação de Jordana Cury
redacao@cidadeverde.com

Idepi garante que cessou vazamento na barragem e não há risco de rompimento


O Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi) garantiu no final da tarde  desta quarta-feira (11) que a infiltração identificada na parede do reservatório da barragem do Bezerro, em José de Freitas, cessou e diminuiu a pressão sobre a estrutura. 

De acordo com o instituto, a sangramentagem do volume da água foi essencial para a diminuição do volume de água na represa, que chegou a cair mais de 60cm nos últimos dias.

O diretor do Idepi, Geraldo Magela, afirma que a situação está sob controle. “A situação atual não apresenta mais o risco de rompimento, isso se deu como resultado da ação emergencial executada pelo Idepi. Vamos continuar com equipe monitorando e executando trabalhos de restauração”, garantiu.

Para o trabalho de restauração permanente da infiltração da parede da represa, o Idepi conta com a consultoria da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na área de mecânica especializada para este tipo de estrutura. Um laudo técnico deverá ser concluído nesta quinta (11).

Mesmo com a situação controlada, a previsão para os próximos dias é de volume considerável de chuvas para a região norte do Piauí, o que deixa as autoridades em alerta para a permanência dos cuidados de evacuação. “A barragem continua sobre monitoramento por mais algum período. As pessoas devem continuar seguindo às orientações da Defesa Civil e dos Bombeiros”, alerta Magela.

Dados atualizados:

582 pessoas desabrigadas em cinco cidades (José de Freitas/Barras/Cabeceira/Esperantina/Batalha);
191 famílias resgatadas; 
60 cm - baixou nível das águas na barragem do Bezerro;
PI-113 - parcialmente interditada no km 9 próximo a Santa Teresa;
Trecho entre José de Freitas e Cabeceira - sem interdição 
12 municípios em estado de emergência no Piauí - seis cidades devido as águas da barragem do Bezerro;

 

 


Flash Yala Sena (Com infomações do Idepi)
yalasena@cidadeverde.com

MP vai abrir procedimento para investigar roubo de pedras na barragem do Bezerro

O Ministério Público do Piauí vai abrir uma investigação para apurar o suposto furto de pedras da barragem do Bezerro, em José de Freitas, a 42 km ao Norte de Teresina. A ação teria contribuído para o vazamento na parede do reservatório. O ponto de partida para descobrir quem retirou o material é a postagem de um policial militar nas redes sociais dando conta que, há alguns anos, apreendeu um caminhão carregado de pedras. Uma pessoa teria sido detida na época.

“Nós tomamos conhecimento de que um policial postou em uma rede social que teria prendido um suspeito num caminhão. Isso depois de 5 anos. Vamos verificar exatamente o que foi que aconteceu. Primeiro nós vamos abrir uma investigação”, disso o promotor Flávio Teixeira ao Cidadeverde.com.

Segundo o promotor, o policial será notificado para prestar esclarecimentos sobre o caso. O MP quer saber o motivo de o inquérito sobre o caso nunca ter chegado à instituição.

“Vamos notificar esse policial para saber quem foi e por que o inquérito não chegou ao Ministério Público, se é que foi aberto. Essa informação do roubo de pedras tem uns 5 anos. Com o problema que aconteceu agora, esse policial postou nas redes sociais que tinha prendido uma pessoa com um caminhão e tinha levado para a delegacia. Ele declarou agora e a prisão teria ocorrido em 2012. Vamos notificar para ele prestar esclarecimentos”, declarou.

Foto: Yala Sena

Na última segunda-feira (9), o promotor disse ao Cidadeverde.com que a retirada das pedras na barragem pode ser vista a olho nu. "As pessoas da região relatam que as pedras foram furtadas durante a construção das residências do programa Minha Casa Minha Vida. Se fala em 100 carradas de pedras levadas. Não é possível que ninguém viu isso", desabafou o promotor há dois dias.

Um inquérito civil já havia sido instaurado pelo MP para apurar algumas situações envolvendo a barragem. "Como a apropriação de terras, a criação de animais, a invasão da área de preservação permanente, a situação dos barraqueiros e, entre elas, a questão da falta de manutenção da barragem", lembra o promotor, que esteve hoje no Jornal do Piauí, da  TV Cidade Verde.

Vazamento

Para amenizar a pressão da água na área do vazamento da barragem, o governo do estado fez um canal forçando o rebaixamento do sangradouro. A medida reduziu em 59cm o nível do reservatórios desde domingo.

Imagens drone da TV Cidade Verde/Edenilton Freitas

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Governador visita barragem em José de Freitas e nega omissão do Estado

  • gov33.jpeg Wilson Filho
  • barragem3.jpg Wilson Filho
  • wdjf4.jpg Wilson Filho
  • wdjf3.jpg Wilson Filho
  • wdjf2.jpg Wilson Filho
  • wdjf.jpg Wilson Filho
  • wdf5.jpeg Wilson Filho

O governador Wellington Dias visitou a cidade de José de Freitas na manhã desta quarta-feira(11). Acompanhado de uma comitiva de secretários, deputados e membros de órgão como IDEPI e Defesa Civil, ele visitou a barragem do Bezerro. No momento ele participa de uma reunião com as equipes de segurança. Em seguida irá à escola onde estão as famílias desabrigadas.

Wellington negou que tenha havido omissão por parte do Estado, como acusa o Ministério Público, mas não explicou o motivo da demora em atender às solicitações da Prefeitura da cidade que pediam reparos na parede da barragem.

“Só posso dizer que não apenas na situação de José de Freitas, mas estamos trabalhando em todo o Estado. No domingo já veio uma equipe, fizemos a revisão das barragens e não se tinha a previsão da quantidade de chuvas e nem do que poderia ocorrer. Quando começou o inverno e vimos que iria ficar mais forte. Eu autorizei a criação de um grupo integrado com áreas do Estado e vários órgãos. A presença da Secretaria de Obras e integração com áreas federais para monitorar os rios”, disse.

Wellington destacou as áreas em risco pela cheia do Rio Parnaíba. “Afeta a capital Teresina e algumas cidades ribeirinhas. Passamos a apoiar o trabalho com os municípios. Sempre que tem um período longo de seca tem situações que racham as paredes. Isso ocorre até com uma caixa d’água. Da mesma forma acontece nas barragens mais antigas. Fizemos esse levantamento e melhoramos muitas barragens e evitamos problemas maiores e tivemos esse problema em José de Freitas. Eu recebi o comunicado no domingo e iniciamos uma agenda com o Idepi e determinei essa força tarefa. Uma equipe especial integrada com o município. A vice-governadora acompanhou de perto”, ressaltou.

Fotos: Wilson Filho/Cidadeverde.com

Ele destacou que o risco de alagamentos afetam 15 mil pessoas. “São pessoas atingidas. Não só em José de Freitas, mas Cabeceiras, Joca Marques, Luzilândia são vários municípios que temos situações que precisam de atenção ou retirada para amenizar os riscos e situações em que as pessoas que tiverem as casas caídas precisam de rendimento. Na segunda-feira, em Brasília, já fiz o primeiro contato com o Ministério da Integração Nacional que se dispôs a apoiar a  atenção as famílias, mas em relação aos danos”, disse.

Wellington alertou para as estradas que estão interditadas. “Já temos algumas estradas interditadas e o inverno prossegue com mais chuvas no Centro e Norte do Estado. Já aliviou mais no Sul. Mas ficam os estragos como barragens, pontes e estamos trabalhando para que possamos somar”, destacou.

Diante da situação de perigo, o governador destaca a necessidade de um trabalho integrado. “É preciso trabalhar junto com os municípios e o Ministério da Integração. Um executa outros com obras de engenharia. A notícia boa é que a barragem baixou 59 cm. Reduzimos a pressão da água que sairia pelo sangradouro para evitar que a velocidade da água causasse estragos. A partir da radiografia da parede da barragem vamos tomar a decisão como ué vamos fazer a intervenção definitiva”, explicou. 

Wellington destaca que o trabalho é para garantir que nenhuma vida seja perdida. “Eu vivenciei outros momentos como em Cocal que é dramático. E vivi incêndios em 2015 e 2016 e o objetivo primeiro é o ser humano”, disse.

Em visita ao abrigo das famílias desabrigadas pelo risco de rompimento da barragem, o governador agradeceu aos voluntários. “São pessoas que estão contribuindo e ajudando. Agradeço as famílias que acolheram os desabrigados. Agradeço a todos os voluntários. É um ato de solidariedade. Nosso cuidado principal é com a vida humana”, destacou.

Fotos: Wilson Filho/Cidadeverde.com


Lídia Brito (direto de José de Freitas)
redacao@cidadeverde.com

Rádio é o parceiro inseparável do agricultor desabrigado pela Barragem

  • desa12.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa2.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa14.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa11.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa10.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa9.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa8.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa7.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa6.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa5.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa4.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa1.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com

Quem chega ao alojamento das famílias desabrigadas pelo perigo de rompimento da Barragem do Bezerro, em José de Freitas, é surpreendido pelo som que vem de um radinho de pilha sintonizado no noticiário local. Sentado em uma cadeira ao lado do rádio está o agricultor Francisco Soares.

Preocupado com as galinhas que ele deixou para trás, ele relembra os momentos de tensão. “Os soldados do Exército chegaram dizendo que devíamos sair às pressas. Eu fiquei nervoso. Preocupado com as galinhas. Tive que deixar minhas criações. Com 73 anos de vida nunca tinha passado por isso”, declarou.

Ele e as outras famílias do local tiveram as rotinas alteradas no domingo (08). A Defesa Civil evacuou as áreas habitadas próximas à barragem e não há previsão de retorno.

É o drama vivido Inedina Lima. Ela e mais seis pessoas da família foram para o abrigo. “Eu entrei em pânico. Foram momentos de agonia. E agora estou aqui sem saber o que vai acontecer”, disse.

Inedina fala da dificuldade de ficar com filha deficiente no abrigo. “É muito difícil, mas Deus tem ajudado. É difícil ficar com ela aqui, mas estamos sendo bem tratados”, declarou.

No abrigo, as famílias recebem alimentação, mas precisam de doações. “Nós estamos sendo bem tratados. Fazemos as refeições. É tudo organizado, mas não é a mesma coisa da casa da gente”, diz a dona de casa Conceição Lima com lágrimas nos olhos. 

No abrigo, estão alojadas 26 famílias, que totaliza 100 pessoas. A prefeitura pede doações.

“Eles estão precisando de tudo. De alimentação, roupa de cama e colchões. Contamos com a solidariedade de todos”.

A solidariedade tem sido fundamental para que as famílias possam superar esse momento.  “Eu fiquei muito nervoso e minha pressão subiu. Mas depois pensei na graça que Deus me deu de está vivo. Tenho é agradecer”’ diz seu Francisco. Ele afirma que até voltar para casa, o radinho de pilha vai ser o companheiro para enfrentar o momento de angústia. “Deus vai nos proteger”, adiantou.


Lídia Brito (direto de José de Freitas)
redacao@cidadeverde.com

PI-113 para José de Freitas registra deslizamento de terra e fica só com meia pista

Atualizada às 10h25

A Defesa Civil do Estado divulgou um alerta para PI-113 entre os municípios de Teresina e José de Freitas, devido a um deslizamento de terra na encosta. É a principal via de acesso da capital ao município. O órgão pede para motoristas evitarem o local ou trafegar em baixa velocidade. 

A informação foi confirmada pelo diretor da Defesa Civil, Vitorino Tavares. A rodovia já estava comprometida com invasão das águas. Técnicos do DER estão no local. Hoje pela manhã a situação agravou. 

"A pista desmoronou e só está com a metade da rodovia. Tivemos que divulgar agora há pouco o alerta", disse Vitorino.

A região atingida é do Km 9 na altura do povoado Cancela. 

A rodovia está interdita e mais de 100 homens trabalham e dão orientação no local.

No Piauí, já são mais de 230 famílias desabrigadas em seis municípios do Estado (José de Freitas/Barras/Lagoa Alegre/Batalha/Cabeceira e Esperantina). 

O diretor-presidente do Departamento de Estradas e Rodagem do Piauí (DER), Castro Neto, confirmou que houve o deslizamento na região e enviou equipes para fazer os reparos na pista. 

"Houve um deslizamento da pista e estamos fazendo a remoção do material", disse Castro Neto. 

Governo divulga nota:

A Secretaria Estadual de Defesa Civil informa à população que a estrada Teresina-José de Freitas (PI-113) está operando em meia-pista, na altura do Km 09, na localidade Cancela, devido a um deslizamento de terra.

O órgão recomenda cuidado aos motoristas que trafegarem pelo local. O Departamento de Estradas de Rodagem do Piauí (DER) está enviando uma equipe ao ponto do deslizamento.

Já a pista do Rodoanel de José de Freitas e o trecho da PI-113 que liga José de Freitas a Cabeceiras estão liberados para o tráfego normal.

A Secretaria de Defesa Civil informa ainda que acionou o nível de alerta moderado aos municípios de Buriti dos Lopes e Luzilândia, e nível de alerta alto nas cidades de Piracuruca, Esperantina, Barras e Batalha devido ao risco de inundação dos rios Parnaíba, Longá, Piracuruca, Marataoan e seus afluentes.

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com 

Prefeitura pede doação para famílias desabrigadas; mais de 200 em abrigo no Piauí

  • desa12.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa2.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa14.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa11.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa10.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa9.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa8.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa7.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa6.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa5.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa4.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa1.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • desa.jpeg Wilson Filho/Cidadeverde.com

A forte chuva que caiu na noite de ontem (10) no Piauí deixou ainda mais em alerta as autoridades sobre  a ameaça de rompimento da Barragem do Bezerro, em José de Freitas. Escolas viraram verdadeiros alojamentos. No Centro de Atenção Integrado (Caic), no bairro Cidade Nova, há mais de 100 pessoas que necessitam de alimentos, roupas e colchões. No Piauí, são mais de 200 pessoas em abrigos. Na manhã desta quarta-feira (11), a prefeitura de José de Freitas pede doações para as famílias desabrigadas no município. 

O governador Wellington Dias (PT) está em deslocamento para visitas as áreas alegadas. 

Famílias lamentam sair de casas

"É muito difícil deixar nosso lar, nossos objetos, as coisas que a gente cria sem saber se quando voltarmos vamos encontrar tudo lá", lamenta Conceição dos Santos, que está alojada em uma escola com seus três filhos.

Manoel de Messias, que mora na comunidade Malha de Fora, lamenta a situação, mas diz que o importante é estar vivo. 

"Estamos muito tristes, mas o importante é a vida da gente. Algumas pessoas ficaram lá, não quiseram vir. Nunca imaginei passar por isso", disse Messias que também está abrigado no Caic.

Assistência aos desabrigados

Fátima Pinto, secretária municipal de Assistência Social, reforça o pedido de ajuda aos desabrigados. . 

Fátima Pinto, secretária municipal de Assistência Social

"Precisamos de colchões, kits de limpeza, alimentos. Até o momento está sob controle, mas a gente não sabe até quando eles vão ficar por aqui", pede a secretária.

A quem procurar em José de Freitas para doações: 

Escola Agripino Portela -no bairro Santa Rosa 

Caic - no bairro Cidade Nova

Corpo de Bombeiros

Defesa Civil do município

 

Nível de água na barragem

Mauro Torres, secretário municipal de infraestrutura, diz que os esforços estão concentrados para diminuir o nível d'água do açude. 

"Com isso conseguimos diminuir a pressão da água no paredão. A rachadura se mantém estável e mesmo com as chuvas temos conseguido diminuir o nível de água. Até ontem, tínhamos baixado em torno de 28 cm", explica Torres. 

O gestor municipal diz que ainda não há previsão para que as famílias retornem para suas casas. "Não podemos atestar 100% que não haverá rompimento", resumiu Torres. 

Fake news 

O secretário criticou fake news que circulam a respeito da ruptura do açude, bem como a interdição de vias de acesso. Segundo Mauro Torres, apenas uma alça do rodoanel ficou intrafegável por cerca de duas horas. 

"Essas informações têm prejudicado bastante. A todo momento, a gente tem que largar o que estamos fazendo para desmentir informações falsas. Pedimos para que as pessoas parem de fazer isso", conclama o secretário. 


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Governo enviará 150 homens da PM para região da barragem e interdita PI-113

O governo do estado vai enviar 150 homens da Polícia Militar para auxiliar nos trabalhos da Defesa Civil na região de José de Freitas. A situação é de alerta máximo por conta da ameaça de rompimento da barragem do Bezerro e dos alagamentos causados pela cheia dos rios Marataoan e Longá nas cidades de Barras, Esperantina e Batalha. Uma reunião na tarde desta terça-feira (10) entre a Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e DER definiu novas estratégias de enfrentamento aos problemas, que envolve também as estradas, como a PI-113, que já foi interditada por conta das águas.

“A reunião foi de nivelamento. A crise não está só em José de Freitas. Em Barras está grave, Cabeceiras está grave, Esperantina, Luzilândia, Joca Marques, Madeiro e a área urbana de Batalha. Foi uma reunião para fazer um balanço e traçar a logística de transporte das pessoas. Vamos enviar 150 homens da Polícia Militar hoje. Estamos recebendo o reforço de mais um helicóptero, do estado do Ceará”, disse a vice-governadora Margarete Coelho, que participou da reunião.

O diretor-geral do DER, Castro Neto, informou que uma equipe do órgão já se deslocou para a PI-113 com o objetivo de avaliar possíveis danos na estrada, principalmente nas proximidades do rodoanel de José de Freitas. O transbordamento de um outro açude na região alagou um trecho da rodovia.

“Tem uma lâmina de água no rodoanel que vai pra Barras e Cabeceiras e nossa equipe já se deslocou para o local. As primeiras informações são de que não existe nada grave na PI-113, mas temporariamente está interditada pela Defesa Civil e Polícia Militar”, ressaltou.

De acordo com o diretor, quem estiver se deslocando para Barras ou Cabeceiras deve pegar um desvio pela cidade de Campo Maior.

Segundo Geraldo Magela, diretor do Idepi, á agua que passa por cima da PI-113 não é da barragem do Bezerro. "Fica acima da barragem", explica. 

Ainda de acordo com o órgão, o rebaixamento do sangradouro da barragem já reduziu o nível de água em 23 centímetros nas últimas 24 horas. "A situação é estável", garante.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Posts anteriores