Cidadeverde.com
Diversidade

Os prefeitos de Teresina e os LGBTs

FIRMINO FILHO - dois mandatos - deixou de sancionar duas importantes leis de reconhecimento dos LGBTs como sujeito de direitos: a que prevê sanções administrativas para discriminações motivadas por orientação sexual e a Lei Nº 3401/2004, que reconhece, para fins previdenciários, as uniões homoafetivas entre pessoas do mesmo sexo. Nunca quis conversa com o movimento LGBT.
SÍLVIO MENDES - um mandato e 1/2 - Enviou para a Câmara Municipal o Projeto de Lei instituindo o Conselho Municipal dos Direitos da População LGBT; determinou providências para elaboração de decreto que trata do nome social de travestis. Recebeu, por duas vezes, entidades do movimento LGBT em Palácio.

Conselho Municipal LGBT será instalado em maio

A partir do mês de maio, Teresina deve contar com mais um instrumento de defesa dos direitos da população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais): o Conselho Municipal dos Direitos da População LGBT, criado pela Lei nº 3969, de 12/03/2010.
O órgão colegiado será composto por 14 conselheiras(os): 07 do Poder Público Municipal e 07 da sociedade civil. A representação não governamental será escolhida através de processo eleitoral, regido por um Edital que estabelecerá os requisitos para que as entidades interessadas em compor o Conselho possam inscrever-se.

Crimes homofóbicos?

Nos últimos dias, a mídia piauiense veiculou duas notícias que chamaram a atenção de ativistas do movimento LGBT brasileiro.




Na primeira notícia, a descoberta de uma ossada humana, enterrada em um lugar ermo, no município de Timon. Para a Polícia, os ossos podem ser de um cabeleireiro desaparecido desde fevereiro. Informações  dão conta que a vítima teve seus dentes arrancados pelos assassinos. Crime com requintes de crueldade!

Na outra,  a informação de que o idealizador do Miss Gay de Piripiri teria sido amarrado por três pessoas encapuzadas e levado para um lugar desconhecido.

Seriam esses dois crimes motivados pela intolerância? Se forem, darão robustez à triste estatística, que coloca o Brasil como campeão mundial!
"(Con)VIVER com a DIVERSIDADE faz a DIFERENÇA!

Drag queen ativista se encontra com Lula

A drag queen de Campinas Lohren Beauty e presidente do Grupo E-Jovem se encontrou na tarde de ontem (08/04) com o presidente Lula, em Brasília.

Lohren ocupa a cadeira de representante LGBT no Conselho Nacional da Juventude. A pauta do encontro foram os jovens gays.

"Pedi pro presidente olhar com mais carinho para os adolescentes e jovens LGBT," disse Lohren. "Ele disse que todo o seu governo está empenhado nisso", revelou.

Lohren não comentou mais sobre a reunião com Lula, mas, segundo ela, o presidente elogiou seu vestido. "Ele disse que eu estava realmente vestida para encontrar o presidente!", comemorou.

Fonte: ACAPA

Portugal reafirma posição favorável a união civil de gays

A pedido do presidente Anibal Cavaco Silva, a Corte Constitucional de Portugal legitimou novamente a lei que permite o casamento homossexual no país.


Apesar de ter sido aprovada em janeiro, o presidente ainda tinha dúvidas sobre a constitucionalidade da lei, que retira a obrigatoriedade de que somente pessoas de sexos diferentes podem realizar o matrimônio.



De acordo com a Corte, a Constituição "não proíbe a evolução da instituição do matrimônio" e "sua extensão a pessoas do mesmo sexo não impede o reconhecimento e a proteção da família como elemento fundamental da sociedade".

Primeiro casamento entre mulheres é realizado na Argentina


Duas mulheres, ambas de 67 anos, se casaram nesta sexta-feira (9) em um cartório em Buenos Aires, no primeiro casamento entre mulheres da Argentina.



A argentina Norma Castillo e a uruguaia Ramona "Cachita" Arévalo, que namoravam há 30, se casaram depois de conseguir uma autorização judicial concedida pela magistrada Elena Liberatori.


As duas são ativistas do coletivo 100% Diversidade e Direitos e Norma é titular do Centro de Aposentados Porta Aberta à Diversidade, organizações que fazem parte da Federação Argentina de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais, cujos porta-vozes confirmaram à Agência Efe a celebração da união.


Este é o terceiro casamento entre pessoa do mesmo sexo realizado na Argentina e o primeiro entre duas mulheres.

Fonte: Uol

Posts anteriores